Emitido mandado de detenção contra ex-primeiro-ministro da Macedónia

European People's Party / Wikimedia

Nikola Gruevski, ex-primeiro-ministro da Macedónia

O ex-primeiro-ministro da Macedónia, Nikola Gruevski, foi condenado em outubro pela utilização pessoal de um Mercedes avaliado em 600.000 euros, pago com dinheiros públicos. No entanto, o ex-governante não se apresentou em tribunal.

Um tribunal macedónio emitiu esta segunda-feira um mandado de detenção contra o ex-primeiro-ministro Nikola Gruevski, que não se apresentou para cumprir uma pena de prisão por abuso de poder, anunciou o ministério do Interior do país.

O ex-governante, de 48 anos, e antigo líder do VMRO-DPMNE (direita), governou o país de 2006 a 2016. Foi condenado em apelo em outubro pela utilização pessoal de um Mercedes avaliado em 600.000 euros, pago com dinheiros públicos.

A sua detenção foi solicitada por um tribunal de Skopje após o fim de um prazo ao ex-líder político, atual deputado, para se apresentar na prisão após ter movido todos os recursos.

“O ministério recebeu a ordem do tribunal principal de Skopje para prender Gruevski”, declarou Toni Angelovsvki, porta-voz do ministério do Interior. “De momento não existe mandado de detenção internacional. Caso não seja detetado no país nas próximas 24 horas, vamos procurá-lo à escala internacional“, explicou o responsável.

Nikola Gruevski confronta-se apenas com o início de problemas judiciais, por estar indicado em outros cinco processos, relacionados com corrupção, abuso de poder, fraude eleitoral e ainda escutas ilegais de opositores ou representantes da sociedade civil. Ao referir-se à sua condenação, Nikola Gruevski denunciou uma “perseguição política”.

O seu campo político foi afastado do poder na primavera de 2017 por uma coligação liderada pelo social-democrata Zoran Zaev, apoiado pelos partidos da minoria albanesa.

O ex-líder conservador era considerado a expressão da intransigência do seu país e ex-república jugoslava no conflito com a Grécia, que exigia ao seu pequeno vizinho uma alteração do nome, para terminar com o veto sobre a adesão da Macedónia à NATO e ao processo de adesão à União Europeia.

Em 30 de setembro, um referendo consultivo aprovou por larga maioria o prosseguimento deste processo, mas com uma reduzida taxa de participação (36,8%), que invalidou a consulta. Na ocasião, a formação conservadora optou por não apelar diretamente ao voto “não”, sugerindo a abstenção.

No entanto, o parlamento aprovou em 20 de outubro, por uma maioria de dois terços e com a contribuição decisiva de diversos deputados do VMRO-DPMNE, a alteração do nome do país para “República da Macedónia do Norte“, um primeiro passo para terminar com um diferendo com Atenas e que se prolonga desde a declaração da independência da Macedónia, em 1991.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Governo do Brasil aponta início da vacinação entre janeiro e fevereiro

O ministro da Saúde do Brasil, Eduardo Pazuello, disse que o país vai começar a receber 15 milhões de doses de vacinas para a covid-19 entre janeiro e fevereiro de 2021, com mais cem milhões …

Solução para Novo Banco pode não passar por um OE retificativo, diz João Leão

O ministro de Estado e das Finanças, João Leão, disse que a alternativa à anulação da transferência de 476 milhões de euros para o Novo Banco não tem "necessariamente que passar" por um orçamento retificativo …

Plano de vacinação arranca em janeiro com três fases. 950 mil pessoas no primeiro grupo prioritário

Pessoas com mais de 50 anos com uma patologia frequente nos casos graves de covid-19, residentes e/ou internados em lares e profissionais de saúde integram o primeiro grupo prioritário para a administração da vacina de …

Segunda vaga de moratórias autorizada pela Autoridade Bancária Europeia

A Autoridade Bancária Europeia (EBA) autorizou a reabertura de moratórias de crédito, com efeitos a partir de 01 de outubro até 31 de março de 2021, dois meses após ter suspendido novas adesões. Num comunicado publicado …

Turquia alvo de críticas duras em reunião da NATO e em risco de sanções

A Turquia esteve esta quarta-feira sob um fogo de críticas na reunião virtual dos Ministros dos Negócios Estrangeiros (MNE) da NATO e, com a deceção manifestada pelos Estados Unidos, deve preparar-se para sanções económicas americanas …

O que Neymar mais quer é voltar a jogar com Messi. Só se vier a custo zero, diz o Barça

O internacional brasileiro Neymar, que alinha pelo PSG, confessou esta quarta-feira que o mais deseja é voltar a jogar com o astro argentino Lionel Messi, com quem partilhou balneário entre 2013 e 2017 no Barcelona. …

Ministro da Administração Interna e procuradora-geral da República vão ser ouvidos no Parlamento

Eduardo Cabrita será ouvido sobre o caso do cidadão ucraniano assassinado nas instalações do SEF e Lucília Gago sobre a "recente diretiva sobre os poderes hierárquicos" na magistratura do Ministério Público. A comissão de Assuntos Constitucionais …

Portugal regista mais 79 mortos e 3.772 novos casos de covid-19

Portugal contabiliza esta quinta-feira mais 79 mortos relacionados com o novo coronavírus, que provoca a covid-19, e 3.772 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS). Desde o início da …

França investiga 76 mesquitas por suspeita de radicalização islâmica

A França vai investigar nos próximos dias 76 mesquitas por suspeitas de radicalização islâmica, anunciou esta quarta-feira o ministro do Interior do país, Gerald Darmanin. Trata-se de 16 templos na região de Paris e 60 no …

Medidas estão a dar resultados. Novas regras apresentadas sábado vão vigorar até 7 de janeiro

O primeiro-ministro afirmou que as medidas adotadas estão a produzir resultados, havendo uma trajetória descendente de novos casos de covid-19, mas advertiu que janeiro é mês de risco e as restrições não podem ser aliviadas. Esta …