Maioria da procura pelas acções dos CTT veio de fora de Portugal

Marco de Correio no Jardim das Amoreiras em Lisboa (foto: Paulo Juntas / wikimedia)

Marco de Correio no Jardim das Amoreiras em Lisboa (foto: Paulo Juntas / wikimedia)

A maioria da procura pelas acções dos CTT – Correios de Portugal veio de fora de Portugal, adiantou hoje o secretário de Estado das Infra-estruturas, Transportes e Comunicações.

“A maioria da procura veio de fora de Portugal, o que significa que os investidores internacionais continuam a olhar para Portugal e para a sua recuperação económica como sendo algo de sustentável não apenas no curto prazo, mas também no médio e longo prazo”, afirmou Sérgio Monteiro numa conferência de imprensa conjunta com o secretário de Estado das Finanças, Manuel Rodrigues.

A conferência de imprensa realizou-se depois de ter sido divulgado que as acções dos CTT vendidas na Oferta Pública de Venda (OPV) destinada ao público em geral custarão 5,52 euros, valor máximo do intervalo que o Governo tinha determinado.

Questionado pelos jornalistas sobre o preço fixado para as acções, Sérgio Monteiro disse que o valor “definido pelo Governo tem em consideração as ofertas recebidas”, salientando que “a procura mais do que superou a oferta em muitas vezes”.

O secretário de Estado disse que, “tendo em consideração a procura que foi verificada para este preço, consideramos que o preço é adequado e justo”.

O secretário de Estado das Finanças, Manuel Rodrigues, afirmou, por seu turno, que “a vitalidade e o potencial do mercado de capitais nacional estão refletidos no interesse manifestado por investidores, nacionais e internacionais, na operação de venda dos CTT”.

Manuel Rodrigues acrescentou que “este interesse é, por sua vez, uma confirmação do regresso da confiança” na economia portuguesa.

A quantidade de acções representativas do capital social dos CTT a alienar na OPV é de 21 milhões de acções e as destinadas a venda directa institucional de 84 milhões, incluindo quase 10 milhões (9.545.454) correspondentes ao lote suplementar.

Do total reservado à OPV, um lote de 5,25 milhões de acções será para os trabalhadores dos Correios.

O Estado, através da Parpública, ficará com 30% dos CTT após a IPO, pelo menos durante nove meses.

O secretário de Estado Sérgio Monteiro quis hoje “passar uma mensagem de total tranquilidade e confiança a todos os portugueses que utilizam os serviços dos CTT”, referindo que a “única coisa” que vai mudar após a privatização é o accionista.

“A empresa, independentemente da origem dos seus novos accionistas, continuará a ser uma empresa portuguesa, a pagar impostos em Portugal, com os trabalhadores vinculados à lei laboral portuguesa”, salientou.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Marinha dos EUA está a desenvolver drones para matar ovos em ninhos de pássaros selvagens

A Marinha norte-americana e a empresa Hitron Technologies uniram esforços para desenvolver um drone autónomo projetado especificamente para procurar e destruir o maior inimigo da Marinha: os pássaros. Os drones, que estão já a ser testados …

Cientistas criam hologramas que se movem pelo ar

Uma equipa de cientistas da Universidade Brigham Young, nos Estados Unidos, conseguiu desenvolver um holograma que projeta imagens em movimento. Se é fã de Star Treck, ficará impressionado com a mais recente inovação. Um grupo de …

Gangue detido por falsificar a especiaria mais cara do mundo

As autoridades espanholas detiveram um gangue que fazia milhões de euros por ano a falsificar a especiaria mais cara do mundo: o açafrão. Os 17 membros da quadrilha foram detidos na região de Castela-Mancha. Os criminosos …

Santuário medieval recebe escultura em pedra que usa máscara contra a covid-19

Uma catedral histórica do Reino Unido renovou um santuário do século XIV, acrescentando um detalhe que coloca em evidência o momento pandémico que o mundo vive. Agora, a nova escultura está a usar uma máscara …

Aos 10 anos, Adewumi chegou à elite mundial do xadrez (e fugiu ao Boko Haram)

Tanitoluwa Adewumi foi perseguido pelo Boko Haram, fugiu da Nigéria e foi sem-abrigo nos Estados Unidos. Agora, com apenas 10 anos, chegou à elite mundial do xadrez. Grande Mestre é um dos títulos vitalícios concedidos pela …

Hegemonia económica da China cada vez mais longe. Queda demográfica coloca Pequim sob pressão

O objetivo do país é tornar-se na maior potência económica do mundo nos próximos anos, mas a corrida pela hegemonia - disputada com os EUA - pode não ser uma meta fácil de alcançar. O …

Miss Universo 2021. Concorrente da Singapura usa roupa com o slogan "Stop Asian Hate"

Bernadette Belle Ong, uma concorrente do Miss Universo 2021, vestiu uma roupa com as cores de Singapura que continha as palavras Stop Asian Hate ("parem com o ódio contra os asiáticos"). Bernadette Belle Ong aproveitou o …

A Índia está a tornar quase impossível a vacinação dos sem-abrigo

A Índia está a dificultar o processo de vacinação dos sem-abrigo, uma vez que o programa requer um número de telemóvel e uma morada residencial. Muitas pessoas não têm nem um, nem outro.  Na Índia, quase …

Violência contra as mulheres é "uma pandemia", alerta ONU

Uma década após a criação da Convenção de Istambul, o marco dos tratados de direitos humanos para acabar com a violência de género, as mulheres enfrentam um ataque global aos seus direitos e segurança, alertaram …

Já se sabe qual a ocasião mais perdida do ano devido à pandemia (e há uma campanha para compensar)

Tomar um café com um amigo ou um familiar é o momento mais perdido do último ano devido à pandemia de covid-19. Nos últimos 12 meses, e em todas as cidades europeias, estima-se ter havido …