Magna Carta foi assinada há 800 anos

Wikimedia

“O Rei João assina a Magna Carta”, James William Edmund Doyle (1864)

Esta segunda-feira assinala-se o 800.º aniversário da assinatura da Magna Carta, documento icónico na história inglesa e símbolo mundial de liberdade, justiça e proteção contra o poder absoluto.

Para celebrar a data, no local onde a Magna Carta foi assinada, nos prados de Runnymede, 32 quilómetros a oeste de Londres, será inaugurada no domingo uma estátua da rainha Isabel II com quatro metros de altura, e no dia seguinte a própria rainha estará no local para uma cerimónia oficial.

A centenária regata de Egham no Tamisa, a 28 de junho, será este ano a “Regata Egham da Magna Carta”, e no castelo, recém renovado, da cidade britânica de Lincoln estará em exposição uma das cópias originais do histórico documento.

As celebrações dos 800 anos da Magna Carta já começaram em fevereiro, com a organização pela ‘British Library’ da primeira exposição a juntar as quatro cópias existentes do documento original, enquanto a Casa da Moeda britânica emitiu uma moeda comemorativa de duas libras.

A Magna Carta foi, na sua origem, um acordo de paz: em 1215, um grupo de barões ingleses, descontentes com os pesados impostos a que eram submetidos para financiar as campanhas militares – fracassadas – do rei João “Sem-Terra”, revoltaram-se.

Peculiarmente para a época, os rebeldes não se reuniram em redor de um pretendente ao trono, exigindo não o derrube do monarca, mas a confirmação de liberdades e privilégios a que pensavam ter direito.

Conquistada Londres, o rei foi obrigado a ceder, e as duas partes encontraram-se num campo a oeste de Londres à beira de um rio.

O documento assinado continha 63 cláusulas que confirmavam a amnistia dos nobres revoltados, a liberdade da igreja inglesa, mas também princípios que ainda hoje estão na base das democracias ocidentais, como o direito a um julgamento justo, a proteção contra prisões ou confiscações de bens arbitrárias e a instituição de mecanismos de limitação do poder.

Para os seus contemporâneos a Magna Carta foi um fracasso, com aplicação problemática uma vez que nenhuma das partes tinha a intenção de cumprir o acordado.

Dois meses depois da sua assinatura a Magna Carta foi anulada pelo papa Inocêncio III.

Mas os compromissos que continha foram retomados nas décadas seguintes e, com algumas alterações, acabou por ser integrada na legislação inglesa.

Apesar da importância que acabou por alcançar no seu tempo, a história da Magna Carta não é apenas a história de um documento físico, mas sobretudo a história do seu simbolismo.

Ao mesmo tempo que ao longo dos séculos ia perdendo influência legal, foi crescendo a sua mitologia como documento consagrador de liberdades individuais antigas, cuja origem se perdia no tempo.

Esta visão, desligada da história real do documento, perdurou pelos séculos seguintes, inspirando a formação do sistema constitucional inglês, o liberalismo dos novos Estados Unidos da América, e os direitos reclamados pelos revolucionários franceses.

Na história medieval de Portugal não existe um documento comparável, mas a influência da Magna Carta, direta ou não, paira sobre os documentos fundadores do liberalismo português e estende-se até à Constituição que hoje rege a República Portuguesa.

Curiosamente, embora as cláusulas da Magna Carta na sua grande maioria tenham sido anuladas ao longo do tempo, substituídas ou simplesmente tornadas irrelevantes, 800 anos depois três delas – sobre a liberdade da igreja de Inglaterra, sobre as liberdades da cidade de Londres e sobre a recusa da privação de liberdade de forma arbitrária – continuam em vigor na lei inglesa, provando a imortalidade e invulgar atualidade de um dos mais importantes documentos da história universal.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Agência europeia de aviação prepara-se para autorizar regresso do Boeing 737 MAX

A Agência Europeia para Segurança da Aviação (EASA) manifestou hoje intenção de aprovar o regresso da aeronave Boeing 737 MAX aos céus da União Europeia (UE), mas apenas se forem cumpridos requisitos técnicos e de …

Xi Jinping dá os parabéns a Joe Biden pela vitória nas eleições

O Presidente chinês deu os parabéns pela vitória ao Presidente eleito dos Estados Unidos, esta quarta-feira, expressando esperança num espírito de cooperação entre os dois países, para que todos fiquem a ganhar. A China foi uma …

Cristiano Ronaldo é o único português nomeado para os prémios "The Best"

O avançado da Juventus é o único português nomeado para os prémios "The Best", inserido na lista de 11 candidatos na categoria de melhor futebolista de 2020, divulgada hoje pela FIFA. Cristiano Ronaldo reparte a nomeação …

Máscaras descartáveis são de plástico e ameaçam flagelo ambiental. Governo lança campanha de sensibilização

Em plena Semana Europeia de Prevenção de Resíduos, o Ministério do Ambiente e da Ação Climática lançou a campanha “Não Deixes Cair a Máscara”. Por mês, são usadas no país 150 milhões de máscaras. De acordo …

Football Leaks. Julgamento suspenso por 14 dias devido a caso de covid-19

O julgamento do processo Football Leaks foi suspenso por 14 dias, esta quarta-feira, devido à confirmação de um teste com resultado positivo ao novo coronavírus de um familiar de um dos juízes do coletivo. Cerca de …

Morreu El Pibe, Diego Armando Maradona

O antigo internacional argentino Diego Armando Maradona morreu esta quarta-feira aos 60 anos de idade. Foi vítima de uma paragem cardiorrespiratória, avança a imprensa argentina. O estado de saúde do ex-futebolista estava debilitado e, segundo relatos do …

Empresas deixam de estar obrigadas a pôr o código QR nas faturas

A obrigatoriedade de as empresas incorporarem nas faturas o código QR e o código único de documento “traria custos adicionais para as micro pequenas e médias empresas, particularmente na adaptação de sistemas informáticos”. A obrigatoriedade de as …

Bolieiro cita Sá Carneiro e reconhece "exigente missão"

O novo presidente do Governo dos Açores, José Manuel Bolieiro, tomou esta terça-feira posse na Assembleia Legislativa Regional e, citando Sá Carneiro, reconheceu a "exigente missão" que tem pela frente. "Medimos os desafios a enfrentar e …

Escócia é o primeiro país a tornar os produtos menstruais gratuitos

Os produtos de higiene íntima feminina vão passar a ser gratuitos na Escócia. A primeira medida do género em todo o mundo entrará em vigor em janeiro e tem o objetivo de combater a “pobreza …

Fenprof diz que a falta de docentes em algumas escolas se resolvia com oferta de horários completos

A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) estima que milhares de alunos continuem sem ter todas as aulas por falta de docentes, um problema que acredita que se resolvia com medidas como completar os horários vagos …