Máfia siciliana nasceu à custa da venda de limões e laranjas

Mike Palazzotto / EPA

Toto Riina, padrinho da máfia siciliana, e um dos mais temidos criminosos morreu na prisão aos 87 anos quando cumpria 26 penas de prisão perpétua.

Uma investigação apurou novos dados sobre o crescimento da máfia da Sicília, concluindo que as suas origens estão associadas ao aumento da procura e dos lucros resultantes da produção de limões e de laranjas, no final do século XIX.

Esta pesquisa, realizada por investigadores das Universidades da Rainha em Belfast (Irlanda), de Manchester (Reino Unido) e de Gotemburgo (Suécia), constata que a máfia siciliana se instalou e cresceu no âmbito da procura pública por frutas cítricas, em especial limões e laranjas.

Uma procura que foi incrementada pela descoberta, por parte do médico James Lind, no final do século XIX, de que estas frutas ajudavam a prevenir e a curar o escorbuto, dado serem ricas em vitamina C, notam os investigadores num comunicado divulgado pelo site Alpha Galileo.

Os primeiros registos da máfia siciliana respeitam aos anos de 1870 e, desde cedo, esta se infiltrou na vida económica e política de Itália e dos EUA.

As razões para os “assassinatos, atentados e desvio de dinheiros públicos” são práticas “observadas durante os últimos 140 anos”, mas “as razões por trás do seu aparecimento continuam obscuras”, salienta o professor de Economia Arcangelo Dimico, elemento da Escola de Gestão da Universidade da Rainha que esteve envolvido na pesquisa.

Aquilo que a investigação permitiu perceber é que “a presença da máfia nos anos de 1880 é fortemente associada com a prevalência do cultivo de citrinos na Sicília, destacam os autores do estudo que analisaram dados das cidades sicilianas recolhidos durante um inquérito parlamentar realizado entre 1881–1886 e a partir de 1900.

“Dada a posição dominante da Sicília no mercado internacional de frutas cítricas, o aumento na procura resultou numa grande entrada de receitas para as cidades produtoras de citrinos, durante os 1800″, explica o professor.

“A combinação de altos lucros, de um Estado de direito fraco, de um nível muito baixo de confiança interpessoal, e os altos níveis de pobreza local fizeram dos produtores de limão um alvo adequado para a predação, já que havia poucos meios para efectivamente reforçar os direitos de propriedade privada”, acrescenta o investigador.

Assim, “os produtores de limão recorreram à contratação de afiliados da máfia para protecção privada e para agirem como intermediários entre os retalhistas e os exportadores nos portos”, nota o professor.

Até agora, as origens da máfia eram essencialmente atribuídas à instabilidade política italiana e, em particular, à realidade siciliana e às fraquezas do seu sistema institucional.

Mas afinal, terá sido o boom económico, fomentado pela procura de laranjas e limões, a impulsionar a actividade da máfia, constata esta pesquisa.

SV, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Limitação dos apoios a sócios-gerentes não é "justa", diz Confederação das empresas

A Confederação das Micro, Pequenas e Médias Empresas não entende a razão para limitar a ajuda a sócios-gerentes ao valor de 1.905 euros, proposta que não consideram justa. Em entrevista à Rádio Observador na quinta-feira, o …

Devolução de manuais. Diretores acusam políticos de "brincar às escolinhas"

Os diretores escolares criticaram hoje o 'timing' da proposta de suspensão de devolução de manuais escolares, acusando os políticos de andar a “brincar às escolinhas” sem perceberem o trabalho que implica reutilizar milhões de livros. O …

Passageiros dos EUA e PALOP têm de apresentar teste negativo de covid-19

O Governo prorrogou várias medidas restritivas do tráfego aéreo com destino e a partir de Portugal, com novas orientações e exceções, num despacho publicado terça-feira em Diário da República. Segundo noticiou o Expresso, um comunicado do …

PGR angolana diz que Isabel dos Santos pode ser ouvida em Portugal

Isabel dos Santos pode ser ouvida em Portugal ou noutro país com acordos judiciários com Angola, no âmbito do processo-crime por alegada má gestão e desvio de fundos da Sonangol, disse à Lusa fonte da …

Autoridades descartam participação da milícia "Escritório do Crime" no caso Marielle Franco

O envolvimento da milícia conhecida como "Escritório do Crime" no homicídio da vereadora e ativista Marielle Franco chegou a ser investigado, mas foi descartado pela polícia brasileira. O delegado brasileiro Daniel Rosa, da cidade do Rio …

Desconfinamento não foi suficiente. Desemprego volta a subir em Espanha para valores de 2016

O número de desempregados inscritos nos serviços públicos de emprego em Espanha voltou a aumentar em 5.107 pessoas em junho, uma desaceleração em relação a maio, atingindo um total de 3.862.883 espanhóis. De acordo com os …

Governo vai monitorizar discurso de ódio na Internet

O Governo vai monitorizar o discurso de ódio nas plataformas online, estando "em vias" de dar início à contratação pública de um projeto que deverá traduzir-se num barómetro mensal de acompanhamento e identificação de sites. Segundo …

Tribunal britânico decide que é Guaidó (e não Maduro) quem manda nas reservas de ouro da Venezuela

A justiça britânica decidiu esta quinta-feira que é o líder da oposição venezuelana Juan Guaidó e não o Presidente Nicolás Maduro quem tem autoridade sobre as reservas de ouro da Venezuela depositadas no Banco de …

Mistério resolvido. Cientistas descobriram como é que as cobras "voam"

Nem todas as cobras se movem arrastando-se discretamente pelo chão. Há uma cobra do género Chrysopelea que parece voar de árvore em árvore. Agora, os cientistas descobriram como é que estes animais se movem pelo …

Mais de 80 mil pessoas registaram-se na Segurança Social desde janeiro

O programa “Segurança Social na Hora”, criado em janeiro deste ano, abrangeu até ao momento 80.700 pessoas, de acordo com os dados divulgados pela ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social (MTSSS). Ana Mendes Godinho avançou …