Máfia siciliana nasceu à custa da venda de limões e laranjas

Mike Palazzotto / EPA

Toto Riina, padrinho da máfia siciliana, e um dos mais temidos criminosos morreu na prisão aos 87 anos quando cumpria 26 penas de prisão perpétua.

Uma investigação apurou novos dados sobre o crescimento da máfia da Sicília, concluindo que as suas origens estão associadas ao aumento da procura e dos lucros resultantes da produção de limões e de laranjas, no final do século XIX.

Esta pesquisa, realizada por investigadores das Universidades da Rainha em Belfast (Irlanda), de Manchester (Reino Unido) e de Gotemburgo (Suécia), constata que a máfia siciliana se instalou e cresceu no âmbito da procura pública por frutas cítricas, em especial limões e laranjas.

Uma procura que foi incrementada pela descoberta, por parte do médico James Lind, no final do século XIX, de que estas frutas ajudavam a prevenir e a curar o escorbuto, dado serem ricas em vitamina C, notam os investigadores num comunicado divulgado pelo site Alpha Galileo.

Os primeiros registos da máfia siciliana respeitam aos anos de 1870 e, desde cedo, esta se infiltrou na vida económica e política de Itália e dos EUA.

As razões para os “assassinatos, atentados e desvio de dinheiros públicos” são práticas “observadas durante os últimos 140 anos”, mas “as razões por trás do seu aparecimento continuam obscuras”, salienta o professor de Economia Arcangelo Dimico, elemento da Escola de Gestão da Universidade da Rainha que esteve envolvido na pesquisa.

Aquilo que a investigação permitiu perceber é que “a presença da máfia nos anos de 1880 é fortemente associada com a prevalência do cultivo de citrinos na Sicília, destacam os autores do estudo que analisaram dados das cidades sicilianas recolhidos durante um inquérito parlamentar realizado entre 1881–1886 e a partir de 1900.

“Dada a posição dominante da Sicília no mercado internacional de frutas cítricas, o aumento na procura resultou numa grande entrada de receitas para as cidades produtoras de citrinos, durante os 1800″, explica o professor.

“A combinação de altos lucros, de um Estado de direito fraco, de um nível muito baixo de confiança interpessoal, e os altos níveis de pobreza local fizeram dos produtores de limão um alvo adequado para a predação, já que havia poucos meios para efectivamente reforçar os direitos de propriedade privada”, acrescenta o investigador.

Assim, “os produtores de limão recorreram à contratação de afiliados da máfia para protecção privada e para agirem como intermediários entre os retalhistas e os exportadores nos portos”, nota o professor.

Até agora, as origens da máfia eram essencialmente atribuídas à instabilidade política italiana e, em particular, à realidade siciliana e às fraquezas do seu sistema institucional.

Mas afinal, terá sido o boom económico, fomentado pela procura de laranjas e limões, a impulsionar a actividade da máfia, constata esta pesquisa.

SV, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

O RRS David Attenborough, navio virgem dos reinos polares, já saiu do estaleiro

O navio RRS Sir David Attenborough saiu finalmente do seu estaleiro. O já lendário navio vai agora ser sujeito a alguns testes antes de ser oficialmente entregue ao serviço, em novembro deste ano. A construção do …

Vulcões ativos produzem 30 a 50% da atmosfera de Io

Novas imagens rádio obtidas pelo ALMA (Atacama Large Millimeter/submillimeter Array) mostram, pela primeira vez, o efeito direto da atividade vulcânica na atmosfera da lua de Júpiter, Io. Io é a lua mais vulcanicamente ativa do nosso …

Descobertas pegadas fossilizadas com mais de 10 mil anos. São a trilha pré-histórica de uma mãe com um bebé ao colo

Uma equipa de investigadores internacional descobriu o trilho pré-histórico mais comprido do mundo no Novo México, nos Estados Unidos. O novo estudo conta a historia de uma mulher que carregou um bebé nos braços durante …

Pure Skies. Empresa desenha cabines dos aviões do pós-pandemia

Desde o início da pandemia, os especialistas têm testado diferentes maneiras de alcançar o distanciamento social em aviões, embora com pouco sucesso. Agora, há uma empresa que está a levar esta ideia até ao próximo …

OE2021. Bloco de Esquerda vota contra na generalidade

O Bloco de Esquerda vai votar contra a proposta do Orçamento do Estado para 2021 na generalidade, anunciou a coordenadora do partido, Catarina Martins. Em declarações aos jornalistas, a bloquista confirmou este domingo que o …

PS ganha eleições nos Açores sem garantia de maioria absoluta

O PS voltou a ganhar as eleições regionais dos Açores, obtendo entre 37% e 41%, o que não garante a maioria absoluta, segundo a projeção à boca das urnas realizada este domingo pela Universidade Católica …

Extinção da fauna em Madagáscar pode dever-se à presença humana (e a mudanças climáticas)

Grande parte da fauna de Madagáscar e das ilhas Mascarenhas foi eliminada durante o último milénio. Neste sentido, uma equipa de cientistas analisou um registo do clima nos últimos 8000 anos nas ilhas. O resultado …

PAN vai abster-se na generalidade. OE mais próximo da aprovação

O partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN) vai abster-se na votação na generalidade da proposta de Orçamento do Estado para 2021 (OE2021) na próxima quarta-feira, anunciou a líder parlamentar do partido, Inês Sousa Real. Com a abstenção dos três …

O passado tóxico fica para trás. Asbestos, a cidade "amianto", mudou de nome

A cidade canadiana Asbestos (que significa amianto) ganhou um novo nome, quase 11 meses após o anúncio da votação. Wuase metade dos cerca de 6 mil residentes da cidade canadiana marcaram presença numa votação organizada num …

Menino de 12 anos encontra fóssil de dinossauro com 69 milhões de anos

Nathan Hrushkin, aspirante a paleontólogo de 12 anos, encontrou o fóssil de um dinossauro enquanto passeava com o pai em Alberta, no Canadá. Depois de enviarem uma fotografia ao Museu Royal Tyrrell, ficaram a saber …