Contra tudo e todos: Maduro inicia novo mandato sem jurar no Parlamento

chavezcandanga / Flickr

Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro

Nicolás Maduro assume esta quinta-feira, 10 de janeiro, um segundo mandato de seis anos como Presidente da Venezuela. Num país à beira da rutura financeira, a legitimidade do líder é colocada em causa dentro e fora de casa.

Nicolás Maduro está mais isolado do que nunca, mas, ao mesmo tempo, nunca esteve tão firme no poder. Esta quinta-feira, Maduro presta juramento, perante o Supremo Tribunal de Justiça venezuelano, para iniciar mais um mandato como Presidente da Venezuela, um país imerso numa crise económica, social e humanitária.

Segundo o Público, a Lei Fundamental venezuelana estabelece que “o candidato eleito tomará posse como Presidente da República no dia 10 de Janeiro, mediante juramento na Assembleia Nacional”. O problema é que o Governo deixou de reconhecer a legalidade do órgão legislativo, controlado desde 2015 pela Mesa da Unidade Democrática (MUD) – a plataforma política de oposição ao chavismo –, e cujo novo presidente também não aceita a legitimidade de Maduro.

“A partir de 10 de Janeiro, Maduro estará a usurpar a Presidência da República. Estamos em ditadura”, declarou Juan Guaidó, do partido Vontade Popular, ao tomar posse, no dia 5.

Por esse motivo, o regime virou-se para o Supremo, baseando a sua decisão na referência constitucional que determina que “se por qualquer motivo o Presidente não puder tomar posse perante a Assembleia Nacional, fá-lo-á perante Supremo Tribunal de Justiça”. O “motivo” apresentado foi a tal condição de “desacato” que atribui ao Parlamento.

No entanto, nem a oposição, nem a grande maioria dos países reconhecem a validade do novo mandato do sucessor do falecido ícone do socialismo bolivariano, Hugo Chávez, que chegou ao poder em 2013.

Segundo o Conselho Nacional Eleitoral da Venezuela, Maduro foi reeleito para um novo mandato presidencial nas eleições antecipadas de 20 de maio de 2018, com 6.248.864 votos (67,84%). Um dia depois das eleições, a oposição venezuelana questionou os resultados, alegando irregularidades e desrespeito pelos tratados de direitos humanos ou pela Constituição do país.

A oposição, que considera que Maduro “usurpou” o poder, não está sozinha. As eleições não foram reconhecidas pelos Estados Unidos, Canadá, União Europeia e 12 países latino-americanos. Recentemente, o Grupo de Lima – com exceção do México -, integrado por 14 países, pediu a Maduro que não assuma a presidência e que devolva o poder ao Legislativo, controlado pela oposição. Mas Caracas viu isto com uma incitação a um golpe de Estado.

A Assembleia Constituinte – Desde agosto de 2017 que Maduro governa com uma Assembleia Constituinte de poder absoluto que substituiu na prática o Legislativo, a Assembleia Nacional – integrada por representantes do chavismo, decretou inclusivamente que os opositores que apoiaram a declaração do Grupo de Lima serão investigados por traição à pátria.

Já a União Europeia, pediu uma nova eleição “livre e justa”. António Tajani escreveu no Twitter que “no Parlamento Europeu estamos com os venezuelanos, humilhados a cada dia pela ditadura com opressão, pobreza e fome. A Venezuela deve recuperar a liberdade e a democracia com eleições limpas”, defendeu o presidente do PE.

Maduro, por sua vez, acusou Tajani de falar “como se fosse o vice-rei da América” e disparou também contra o Grupo de Lima: “É uma mentalidade imperialista que tem o cartel de Lima e estes funcionariozinhos do Parlamento Europeu acreditam que nos vamos ajoelhar”, disse Maduro.

Como resposta, Caracas resolveu aproximar-se dos seus aliados – Rússia, China, Irão, Turquia e Coreia do Norte – e Maduro prometeu firmeza na resposta a todos aqueles que contestarem a sua legitimidade.

“A quem não reconhecer a legitimidade das instituições venezuelanas daremos uma resposta recíproca e oportuna. Agiremos com muita firmeza. A Venezuela tem que ser respeitada e exerceremos nossas faculdades políticas e diplomáticas para nos fazer respeitar”, salientou.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

Responder a Eu! Cancelar resposta

Médicos alertam: técnica de tapar a boca com fita-cola para dormir melhor é perigosa

Chama-se "buteyko" e consiste em encontrar formas de respirar melhor pelo nariz, entre as quais fechar a boca enquanto dormimos. A tendência está a gerar um debate entre os médicos, que consideram esta técnica perigosa. Foi …

Incentivos financeiros ajudam pessoas a deixar de fumar

Fumar mata um em cada dois fumadores ávidos, mas desistir leva a grandes melhorias na saúde, aumento da esperança de vida e poupança de custos com cuidados de saúde. Pagar às pessoas para pararem de …

Há uma coisa simples que podemos fazer para combater as alterações climáticas: falar sobre o problema

A preocupação com as alterações climáticas pode ser muitas vezes um fardo solitário, mas a verdade é que não precisa de ser assim. De acordo com um novo estudo, simplesmente falar sobre o assunto com …

Em busca das duas princesas alemãs. Vaticano analisa ossários após encontrar túmulos vazios

Os trabalhos começaram esta manhã no cemitério que fica dentro das muralhas do Vaticano e foram analisados os restos dos dois ossários, explicou o porta-voz interino da Santa Sé, Alessando Gisotti. Os ossários estavam perto dos …

Miguel Pinto Lisboa é o novo presidente do Vitória de Guimarães

Miguel Pinto Lisboa foi eleito, este sábado, o novo presidente do Vitória de Guimarães, avança a imprensa portuguesa. Os números ainda não são oficiais, mas as primeiras projeções indicam que o candidato de 47 anos da …

Incêndios em Castelo Branco e Santarém. Há quatro bombeiros feridos, um em estado grave

Dois incêndios em Castelo Branco estão a mobilizar mais de 500 operacionais e 15 meios aéreos. Há estradas cortadas e aldeias evacuadas. Dois incêndios em povoamento florestal, todos no distrito de Castelo Branco, um no município …

"É contra a vontade de Deus". Família que se recusou a pagar impostos é condenada na Austrália

Uma família cristã australiana recusou-se a pagar impostos, alegando que é "contra a vontade de Deus". Em tribunal, o juiz obrigou a pagar 1,3 milhões de euros. Em 2017, na Tasmânia, uma família cristã não pagou …

David guardou uma pedra durante anos pensando que era ouro. Afinal, era bem mais raro que isso

Em 2015, David Hole estava a explorar Maryborough Regional Park, perto de Melbourne, na Austrália. Com um detetor de metais, descobriu algo fora do comum: uma rocha avermelhada muito pesada que repousava em argila amarela. Maryborough …

Quadro roubado por soldado nazi é devolvido a museu de Florença

O quadro de natureza-morta tinha sido roubado do museu por um soldado nazi como um presente para a sua esposa. Agora, o quadro foi devolvido ao museu pelos alemães. Um soldado nazi em retirada de Itália …

Um segundo. Foi o tempo que a Inteligência Artificial precisou para resolver um cubo mágico

Investigadores da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, desenvolveram o DeepCubeA, um algoritmo capaz de resolver o desafio do Cubo de Rubik em pouco mais do que um segundo.  De acordo com a equipa de investigadores …