Maduro denuncia “boicote mundial” contra as eleições parlamentares

Cristian Hernandez / Lusa

Nicolás Maduro, Presidente da Venezuela

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, denunciou na segunda-feira um “boicote mundial” às eleições parlamentares marcadas para 06 de dezembro e pediu aos seus simpatizantes que lutem para garantir a vitória.

“Estamos a enfrentar um boicote mundial contra as eleições parlamentares constitucionais na Venezuela (…), querem sabotar as eleições na Venezuela”, disse.

Nicolás Maduro falava durante uma videoconferência com dirigentes do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV, o partido do Governo), transmitida pela televisão estatal venezuelana.

“Um terrorista como Simonovis [Iván, ex-polícia que fugiu da prisão domiciliária] disse que haveria ataques terroristas na Venezuela. Elliot Abrams [político norte-americano] disse que eliminariam Maduro antes de dezembro”, explicou.

Nicolás Maduro pediu aos dirigentes do seu partido e simpatizantes que estejam alerta, alegando que o “imperialismo” norte-americano pretende boicotar o direito dos venezuelanos a votar e eleger novos deputados para o parlamento.

“Temos de sair, para combater o boicote, nas ruas”, instou.

Por outro lado, anunciou que a Assembleia Constituinte (composta unicamente por simpatizantes do regime, após a vitória da maioria opositora nas eleições parlamentares de 2015), estará a funcionar até ao próximo mês de dezembro.

Nicolás Maduro anunciou que 107 partidos, entre nacionais e regionais, já inscreveram os seus candidatos às eleições.

O Conselho Nacional Eleitoral da Venezuela iniciou no dia 10 de agosto o período de apresentação das candidaturas, que vai decorrer até quarta-feira, podendo candidatar-se 107 organizações políticas, 30 delas de caráter nacional.

No entanto, 27 organizações, entre elas os quatro maiores partidos da oposição (Ação Democrática, Primeiro Justiça, Vontade Popular e Um Novo Tempo), já anunciaram que não vão participar nas legislativas, que antecipam ser “uma fraude”.

Segundo o registo preliminar eleitoral, estão recenseados mais de 20 milhões (20.733.941) dos 32 milhões de venezuelanos. Neste sufrágio, os venezuelanos vão eleger 277 deputados.

As eleições legislativas anteriores realizaram-se em 06 de dezembro de 2015, tendo sido eleitos 167 deputados.

A Venezuela tem, desde janeiro, dois parlamentos parcialmente reconhecidos, um de maioria opositora, liderado por Juan Guaidó, e um pró-regime, liderado por Luís Parra, que foi expulso do partido opositor Primeiro Justiça, mas que continua a afirmar que é da oposição.

  // Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Este é outro… Nunca vai admitir uma derrota nas urnas. Eu nunca defendi o golpe de estado do Guaidó porque é pior a emenda que o soneto. Mal ou bem o Maduro ganhou as eleições e tem bastante apoio popular. Quem apoia o golpe de estado do Guaidó, apenas o faz porque gostava de ver no poder um agjo da sua cor política, mas Guaidó não tem qualquer legitimidade sem ir a votos nas próximas eleições. Maduro é que nunca vai querer sair por sufrágio e aí, teremos um problema… Mas até novas eleições, Maduro está no poder com legitimidade democrática. Houve inúmeros observadores internacionais a corroborar a legitimidade das eleições.

    • “Maduro ganhou as eleições e tem bastante apoio popular.”

      Ó homem… algo vai mal na sua cabeça. Apoio popular?! Deve estar a falar dos milhões de Venezuelanos que tiveram de abandonar a sua pátria. E só não saíram mais porque os países vizinhos barraram as entradas. O amigo precisa de olhar mais por si.

    • Está completamente enganado, por favor informe-se. Nas últimas eleições parlamentares (2015), a oposição venceu de forma esmagadora (112 lugares, contra 55 do partido do Maduro). E o que fez o Maduro? Criou um parlamento só com apoiantes dele, ignorando todas as decisões do parlamento democraticamente eleito. Sabendo que na eleição presidencial seguinte iria ser corrido de forma ainda mais esmagadora, o que fez Maduro? Impediu essa mesma oposição de participar nas eleições presidenciais de 2018! E até os fantoches que concorreram contra o Maduro não aceitaram o resultado destas eleições, com suspeitas de fraude massiva. Estas mesmas eleições, que você afirma terem dado “legitimidade democrática” foram aceites por “democracias plenas” tais como China, Cuba, Irão, Egipto, Russia, Síria e Turquia.
      Cumprimentos.

RESPONDER

Evergrande escapa por um triz ao default e garante o pagamento de juros de 71.7 milhões de euros

A gigante imobiliária chinesa conseguiu cumprir com o pagamento dos juros no limiar do fim da extensão do prazo. No entanto, persistem os receios sobre a possibilidade da crise na China contagiar a economia mundial. A …

Pessoas a andar na rua em Viena, Áustria

Em caso de apagão geral, Áustria é o primeiro país europeu a ter um Plano B(lackout)

E se houvesse um apagão que afetasse todo o continente europeu? O cenário é o argumento que o Ministério da Defesa austríaco tem usado para enviar um aviso à população desde o início deste mês. A …

Só um terço das empresas em Portugal têm gestores com um curso superior

O estudo da Fundação Francisco Manuel dos Santos refere que este valor é negativo para o país já que a formação superior dos gestores está associada à produtividade e há maior probabilidade da empresa começar …

Governo avança com desconto de 10 cêntimos por litro nos combustíveis para as famílias

O Governo vai criar um desconto de dez cêntimos por litro nos combustíveis para todas as famílias, até 50 litros por mês. Uma medida que estará em vigor entre novembro deste ano e março do …

Inês Sousa Real, porta-voz do PAN

PAN já enviou memorando de entendimento ao Governo

O partido Pessoas–Animais–Natureza enviou ao Governo, esta sexta-feira, o memorando de entendimento com cerca de 60 propostas, no âmbito do Orçamento do Estado para 2022 (OE2022). "O PAN fez chegar ao Governo um memorando do qual …

Alterações ao Orçamento de 2021 custaram, afinal, muito mais do que o estimado pelo Governo

Apenas duas das 291 medidas adicionadas representaram um impacto anual de 88 milhões de euros, com o Governo a calcular, durante a especialidade, que a totalidade custaria 3,2 milhões de euros. As alterações feitas ao Orçamento …

Entre a pandemia e os preços da energia, Marcelo alerta que chumbo do OE criaria "mais um problema"

O Presidente da República reiterou, esta sexta-feira, que deseja evitar uma crise política criada por um eventual chumbo do Orçamento de Estado, porque "só juntaria um problema" à pandemia e à subida dos preços dos …

França dá a partir de dezembro "cheque-combustível" de 100 euros

França vai dar a partir de dezembro um “cheque-combustível” único de 100 euros a cerca de 36 milhões de condutores que ganham menos de 2.000 euros por mês devido à escalada dos preços do gasóleo …

Parlamento aprova extinção do SEF

A extinção do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) foi aprovada na Assembleia da República, esta sexta-feira, com os votos a favor do PS, BE e da deputada não-inscrita Joacine Katar Moreira. O texto final apresentado …

Mais oito mortes e 930 novos casos de covid-19. Incidência sobe

Portugal registou, esta sexta-feira, mais oito mortes e 930 casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 930 novos …