Madaíl: “Derrota com a Sérvia pode significar nada”

Hugo Delgado / Lusa

Antigo presidente da Federação Portuguesa de Futebol defende o seleccionador Fernando Santos.

Portugal não conseguiu apurar-se já para a fase final do Mundial 2022 de futebol, depois de ter perdido em casa frente à Sérvia por 1-2, na noite passada. Os protestos foram bem perceptíveis no Estádio da Luz, com o foco a ser novamente Fernando Santos.

Gilberto Madaíl disse à TSF que o resultado foi “infeliz”, assegurando que a selecção portuguesa não jogou “o seu melhor mas também não merecia perder“.

“É importante reflectir sobre o jogo, procurar uma saída nova que permita, como acredito que vai acontecer, que a selecção possa garantir a qualificação para o Mundial. Mas ainda faltam alguns meses, tempo para que tudo se torne melhor, para que as perspetivas mudem”, comentou.

Madaíl elogiou os adeptos portugueses, essencialmente os que estiveram no Estádio da Luz: “Não foi por falta de apoio do público que não conseguimos vencer a Sérvia. Mais uma vez será importante fazer o apelo ao público desportivo para que venham apoiar a nossa equipa.”

O antigo presidente da Federação Portuguesa de Futebol defendeu Fernando Santos, que está confiante na presença no Qatar: “Quem vem a dirigir o barco vem a dirigi-lo muito bem. Não é por causa de uma derrota, que até pode significar nada, que passa a fazer sentido mudar o comandante do barco ou a tripulação”.

No entanto, convém “unir esforços, em tempos de águas mais conturbadas”, avisou o antigo responsável máximo pela federação.

Em relação à própria Federação Portuguesa de Futebol, Gilberto Madaíl também defende a entidade que liderou: “A federação deve continuar a fazer aquilo que tem feito até agora. Proporcionar todas as condições ao grupo de trabalho para que possam sair vitoriosos. Da parte da federação não há muito a fazer, além do que tem feito – e muito bem – até agora”.

  Nuno Teixeira, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.