Macron venceu Le Pen no debate mais “feroz” que a França já viu

Eric Feferberg / EPA

Os candidatos Marine Le Pen e Emmanuel Macron no último debate televisivo antes das eleições presidenciais

Os candidatos Marine Le Pen e Emmanuel Macron no último debate televisivo antes das eleições presidenciais

O centrista pró-europeu foi considerado “mais convincente” do que a rival de extrema-direita, no debate televisivo desta quarta-feira à noite, a três dias da segunda volta das presidenciais francesas, indicou uma sondagem.

Um total de 63% dos entrevistados por telefone, no final do debate, considerou Emmanuel Macron “mais convincente”, contra 34% que se pronunciou a favor de Marine Le Pen, de acordo com o estudo difundido pela televisão francesa BFMTV.

Nunca antes a França teve um debate tão áspero e violento como o que ocorreu esta noite, com dois candidatos que possuem projetos muito diferentes, mesmo antagónicos, e divergem também na dialética.

“O senhor Macron é o candidato da globalização selvagem, da ‘uberização’, da precariedade, da brutalidade social, da guerra de todos contra todos, da pilhagem económica dos nossos grandes grupos, do desmembramento da França pelos grandes interesses económicos, do comunitarismo”, acusou Le Pen.

Macron respondeu-lhe à letra, dizendo: “A sua estratégia é dizer muitas mentiras”. “A senhora é herdeira de um sistema que prospera com a ira dos franceses há décadas”, frisou o candidato do movimento “Em marcha”.

Le Pen acusou ainda o rival de ser “complacente com o terrorismo islâmico”. “A segurança e o terrorismo são grandes problemas e estão completamente ausentes do seu projeto”, disse a candidata, com uma voz forte e olhar duro.

Macron, por outro lado, acusou Marine Le Pen de “trazer a guerra civil para o país”. “O que você propõe, como é hábito, é o pó de perlimpimpin. Você faz a guerra contra o terrorismo na televisão, mas cada vez que há propostas de reformas no Parlamento Europeu, você não as vota”, acusou Macron.

Ian Langsdon / EPA

Apoiantes de Emmanuel Macron assistem ao debate do candidato contra Marine Le Pen

Apoiantes de Emmanuel Macron assistem ao debate do candidato “contra” Marine Le Pen

O ex-ministro da Economia também prometeu reduzir os impostos para todos os trabalhadores bem como conceder subsídios de desemprego a artesãos independentes, comerciantes e agricultores que vão à falência, mas que atualmente não são elegíveis para os benefícios.

Macron reconheceu que iria aumentar os impostos sobre os reformados que “estão bem financeiramente”. O candidato também acusou Le Pen de não ter um plano para financiar as políticas que propõe.

Após dez dias de uma campanha agressiva entre as duas voltas das presidenciais, Macron, que obteve o melhor resultado na primeira volta, é ainda apontado pelas sondagens como o vencedor a 7 de maio, com cerca de 60% das intenções de voto, mas a margem de avanço em relação a Le Pen está a diminuir.

Num escrutínio muito atentamente observado internacionalmente, os dois candidatos devem convencer os muitos eleitores indecisos a dar-lhes o seu apoio, enquanto se prevê que a taxa de abstenção possa ultrapassar os 22% no próximo domingo.

Os seus programas eleitorais estão nos antípodas: Emmanuel Macron é liberal e pró-europeu, Marine Le Pen é anti-imigração, anti-Europa e antissistema.

O primeiro agrada sobretudo aos jovens urbanos, à classe média e ao meio empresarial; a segunda seduz as classes populares, a população rural e uma fatia do eleitorado francês vítima de desemprego endémico.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Rússia ameaça retaliar face às sanções "hostis" do Reino Unido

A Rússia ameaçou responder às sanções "hostis" anunciadas por Londres contra 59 pessoas e entidades, 25 delas russas. A Rússia vai responder às sanções "hostis" anunciadas pelo Governo britânico contra 49 pessoas e organizações, 25 das …

Ministério dispensa quase todos os alunos da renovação de matrículas (após ataques informáticos e o desespero dos pais)

As matrículas online são agora obrigatórias apenas para os alunos que no próximo ano lectivo vão iniciar os 5.º, 7.º e 10.º anos de escolaridade. O anúncio é feito pelo Ministério da Educação depois das …

"Estavam prontos para bater". Atleta Ricardo dos Santos vai processar polícia londrina

O atleta português Ricardo dos Santos disse na segunda-feira que não demorou mais de 20 segundos a parar o carro, quando lhe foi pedido pelas autoridades em Londres, e garantiu que vai processar a polícia …

Motorista de autocarro em morte cerebral depois de agressões de passageiros em França

Um motorista de autocarro foi declarado em morte cerebral esta segunda-feira, em França, depois de ter sido agredido no domingo por passageiros a quem recusou a entrada no transporte público. No domingo à noite, um motorista …

Erro de laboratório origina 20 casos em dois clubes da Liga búlgara

Vinte pessoas estão infetadas com o novo coronavírus, após um futebolista com covid-19 ter participado no duelo entre o Cherno More e o Tsarko Selo, da Liga búlgara, devido ao erro de um laboratório, foi …

Soleimani foi assassinado de forma "ilegal e arbitrária", considera perita da ONU

A relatora especial da ONU, Agnes Callamard, considera que os Estados Unidos não apresentaram provas suficientes para justificar o ataque. Uma especialista da ONU concluiu que o general iraniano Qasem Soleimani, morto num raide norte-americano …

Bolsonaro infetado com covid-19

A imprensa brasileira confirmou, esta terça-feira, que o Presidente Jair Bolsonaro está infetado com covid-19. O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, testou positivo à covid-19. De acordo com a Globo, a informação foi avançada pelo próprio, …

Costa avisa que vem aí a "fase mais crítica" dos incêndios e pede prevenção

O primeiro-ministro participou numa reunião de acompanhamento e monitorização sobre prevenção e combate a fogos florestais e advertiu, esta terça-feira, que Portugal entra agora na fase mais crítica. Esta terça-feira, o primeiro-ministro advertiu que Portugal entra …

"Fracasso" no combate à covid-19. Diretora de Saúde de Israel demite-se

Siegal Sadetzki, diretora dos serviços públicos do Ministério da Saúde de Israel, denunciou o "fracasso" das autoridades em retardar a propagação da covid-19 no país, apresentando a sua demissão. Uma responsável do Ministério da Saúde de …

Quase 900 professores vão entrar nos quadros do Ministério da Educação

Quase 900 professores vão entrar nos quadros do Ministério da Educação, no âmbito do concurso externo imposto ao Estado pela União Europeia. Mais de 800 professores passaram a integrar os quadros do Ministério da Educação através …