Macron diz que convenceu Trump a manter tropas na Síria

Ian Langsdon / EPA

Emmannuel Macron com Donald Trump

Emmanuel Macron afirmou que os ataques na síria foram um sucesso “no plano militar” e revelou ter persuadido Donald Trump a não retirar as tropas norte-americanas do terreno.

Este domingo, o Presidente francês Emmanuel Macron disse que os ataques ocidentais contra a Síria foram um sucesso “no plano militar” e revelou ter convencido o seu homólogo dos Estados Unidos a não retirar as tropas norte-americanas do terreno.

Em entrevista televisiva, Macron declarou que “no plano militar tivemos sucesso na operação”, acrescentando que “foi a comunidade internacional que interveio”, numa referência à operação comum dos Estados Unidos, França e Reino Unido, realizada na madrugada de sábado fora do quadro das Nações Unidas.

Além disso, o Presidente francês garantiu durante a entrevista que terá persuadido o Presidente Donald Trump, que já havia manifestado intenção de retirar as tropas norte-americanas do terreno, “de permanecer” na Síria, na sequência dos ataques dos Estados Unidos, França e Reino Unido na madrugada deste sábado.

“Há dez dias, o Presidente Trump dizia que os Estados Unidos admitiam a hipótese de se descomprometerem com a Síria, mas convencemo-lo que era necessário permanecer“, declarou.

Os Estados Unidos têm aproximadamente 2 mil soldados das forças especiais na zona Nordeste da Síria, onde combatem com os curdos do YPG e com as Forças Democráticas Sírias. Além disso, segundo o Observador, financiam e treinam estes dois grupos, que combatem o Estado Islâmico e também as tropas de Bashar al-Assad.

Além disso, Macron deu a entender que Donald Trump poderá ter equacionado um ataque mais forte do que aquele que foi perpetuado no sábado, no qual foram lançados 105 mísseis entre os EUA, França e Reino Unido. “Convencemo-lo de que é preciso limitar esses ataques às armas químicas”, referiu o Presidente francês.

Ainda nas mesmas declarações, o chefe do Eliseu assegurou que a França “não declarou guerra ao regime” de Bashar al-Assad e recordou a vontade de Paris de encontrar uma solução política “inclusiva” à guerra na Síria, que junte todos os setores envolvidos na crise.

Este sábado, os Estados Unidos, a França e o Reino Unido realizaram uma série de ataques com mísseis contra alvos associados à produção de armamento químico na Síria, em resposta a um alegado ataque com armas químicas na cidade de Douma, Ghouta Oriental, por parte do governo de Bashar al-Assad.

A ofensiva consistiu em três ataques, com uma centena de mísseis, contra instalações utilizadas para produzir e armazenar armas químicas, informou o Pentágono. O presidente dos Estados Unidos justificou o ataque como uma resposta à “ação monstruosa” realizada pelo regime de Damasco contra a oposição. Segundo o secretário-geral da NATO, a ofensiva teve o apoio dos 29 países que integram a Aliança.

Na sequência destes ataques, e a pedido da Rússia, realizou-se uma reunião de urgência do Conselho de Segurança da ONU, na qual foi rejeitada uma proposta de condenação da ofensiva militar, apresentada pelos russos.

Vladimir Putin avisou que novos ataques à Síria por países europeus e Estados Unidos podem provocar “o caos” nas relações internacionais, enquanto o líder sírio acusou os EUA e os seus aliados de lançarem uma “campanha de falácias e mentiras” após a ofensiva militar.

Na segunda-feira, será entregue ao Conselho de Segurança da ONU um projeto de resolução sobre a Síria, que inclui um novo mecanismo de controlo sobre o uso de armas químicas. Segundo fontes diplomáticas, o texto redigido pela França abrange três áreas: química, humanitária e política.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Pois! Toda a gente sabe que a ideia foi do Passos! Ai este Macron… Se calhar isto tudo foi inventado pelo Marques Mendes…

  2. Jornalistas sérios, que fazem reportagens sérias, não têm lugar de destaque na imprensa mundial.
    Robert Fisk, do jornal The Independent é um deles. Vou colocar o link da globo, com a notícia em português, para todos perceberem. https://oglobo.globo.com/mundo/robert-fisk-busca-pela-verdade-no-entulho-de-douma-22600271 (notícia original: https://www.independent.co.uk/voices/syria-chemical-attack-gas-douma-robert-fisk-ghouta-damascus-a8307726.html)
    Há pessoas bem doentes da cabeça, e só vos digo que não são os tipos maus que certos meios de comunicação nos querem fazer acreditar.
    Pensem por vocês próprios!

RESPONDER

Estado vai pagar férias a 15 mil portugueses

O Governo, em parceria com a Fundação INATEL, lança nesta quinta-feira um programa que visa oferecer férias gratuitas ou a baixo custo, a pessoas com deficiências ou com mais de 55 anos de idade e …

Guru indiano condenado a prisão perpétua por violar jovem

Asaram Bapu violou uma jovem de 16 anos em 2013, enquanto os pais, que eram seus seguidores, esperavam e cantavam as orações do guru do lado de fora. Um tribunal indiano na cidade de Jodhpur, no …

Não houve segundo atirador no assassinato de John F. Kennedy

A velha teoria da conspiração que especulava que John F. Kennedy foi morto a tiro por um segundo atirador que estaria no infame "monte relvado" foi finalmente posta de lado. O Presidente dos Estados Unidos, John …

Deputado do PSD mora em Lisboa, mas recebe subsídios como se vivesse em Portalegre

O ex-número 2 do PSD, o deputado José Matos Rosa, reside em Lisboa há três anos, mas recebe do Parlamento o subsídio de transporte e as ajudas de custo porque declara Portalegre como a sua …

Bastonária dos Enfermeiros pede investigação a contratos de contentores no São João

A bastonária dos Enfermeiros pede às autoridades que investiguem os contratos entre o Hospital São João e as empresas que fornecem os contentores onde estão instaladas a pediatria e a neurocirurgia. Em entrevista à agência Lusa, …

ADN ajudou a capturar assassino que aterrorizou Califórnia nos anos 70 e 80

As autoridades da Califórnia anunciaram a prisão de um homem suspeito de ser o "assassino do estado dourado", responsável por assassinatos e violações em massa na Califórnia nas décadas de 1970 e 1980. "Na terça-feira, um …

Jihadista portuguesa capturada quando fugia dos combates na Síria

Uma mulher portuguesa que fez parte do grupo terrorista Estado Islâmico está entre as pessoas que foram capturadas por soldados curdos, nos últimos meses, e que vivem num acampamento do Alto-Comissariado das Nações Unidas para …

Estado prevê ganhar mais de 25 milhões com leilão de madeira queimada

Este será o terceiro e o maior leilão para vender madeira ardida proveniente de matas nacionais afetadas pelos incêndios de outubro. O Governo espera arrecadar mais de 25 milhões de euros. Segundo o jornal i, está …

Varoufakis cobra ao Governo português dívida de gratidão para com os gregos

O atual líder do movimento pan-europeu DiEM25, empenhado na formação de um movimento transnacional, participou esta quarta-feira no desfile na Avenida da Liberdade comemorativo do 25 de Abril, integrado no partido Livre. Yanis Varoufakis, ex-ministro das …

Academia Sueca pondera não conceder Nobel da Literatura este ano

A Academia Sueca, abalada por um escândalo que envolve fugas de informação e abusos sexuais que fez sair cinco membros, poderá não atribuir este ano o prémio Nobel da Literatura. Em declarações à televisão SVT, o …