A má alimentação mata mais do que o tabaco

Um estudo afirma que uma má dieta alimentar é a principal causa de morte no mundo e que as pessoas comem muito açúcar e sódio, e poucos cereais, grãos, frutas e legumes.

Pessoas de todo o mundo estão a comer poucos alimentos saudáveis e demasiados alimentos prejudiciais para a saúde, garante um estudo científico publicado esta quinta-feira na revista médica The Lancet.

De acordo com o estudo, uma má dieta alimentar é responsável por mais mortes do que qualquer outro fator de risco, incluindo o hábito de fumar. Cerca de 11 milhões de pessoas morrem todos os anos devido a maus hábitos alimentares.

Em 2017, uma em cada cinco mortes no mundo estava associada a uma má dieta alimentar, que provoca doenças cardiovasculares, cancros e diabetes tipo 2. O tabaco matou 8 milhões, afirma o estudo.

O estudo “Carga global da doença examinou as tendências de consumo de acordo com 15 fatores, entre 1990 e 2017, em 195 diferentes países.

A maior proporção de mortes relacionadas com a dieta alimentar foi registada no Usbequistão, que é seguido pelo Afeganistão, ilhas Marshall e Papua Nova Guiné. Os países que tiveram a menor proporção foram Israel, com apenas 89 óbitos por 100 mil pessoas, seguido por França, Espanha, Japão e Andorra.

“Este estudo confirma o que muitos pensam há vários anos: que uma dieta pobre é responsável por mais mortes do que qualquer outro fator de risco no mundo”, disse o autor do estudo, Christopher Murray, investigador da Universidade de Washington.

Na média global, o consumo per capita de bebidas com açúcar é dez vezes superior ao recomendado, e o de sódio, 86% superior. As pessoas comem, em média, apenas 12% da quantidade recomendada de nozes e grãos. O consumo de carnes vermelhas é também 18% superior ao considerado adequado.

O estudo concluiu que as dietas mais associadas às mortes são aquelas com muito sódio e insuficiente ingestão de frutas, verduras, legumes, frutos secos e Ómega 3. A ingestão de bebidas doces, açúcares, gorduras e carne vermelha têm menor influência.

Para os cientistas, “as mortes estão mais associadas com não comer alimentos saudáveis em quantidade suficiente, do que com comer demasiados alimentos prejudiciais para a saúde”.

Segundo os dados recolhidos, das 11 milhões de mortes, 10 milhões foram por doenças cardiovasculares, 913 mil por cancro e 339 mil por diabetes tipo 2.

No entanto, manter uma dieta saudável e equilibrada não depende apenas da vontade das pessoas. Como era previsível, o estudo mostra que a desigualdade económica influencia negativamente nas escolhas alimentares.

Em média, para consumir as porções de fruta e vegetais recomendadas pelos médicos (cinco por dia) custa apenas 2% da renda das famílias nos países ricos, mas mais de metade da renda nos países mais pobres.

Com base no estudo, os autores defendem que as autoridades responsáveis devem concentrar-se em impulsionar dietas equilibradas e o acesso a produtos saudáveis, em vez de se focarem na restrição de alimentos menos saudáveis.

ZAP // DW

PARTILHAR

RESPONDER

Minas americanas continuam inseguras apesar de multas de mil milhões de dólares

O veredito é dado pela sistema federal que multa as empresas mineiras: nem os mais de mil milhões de dólares em multas se revelaram suficientes para desencorajar as práticas inseguras do setor. Esta foi a conclusão …

Ainda há esperança. Corais do Atlântico reproduziram-se pela primeira vez em laboratório

Este é um avanço histórico que poderia ajudar a salvar corais em todo o mundo, incluindo o ameaçado recife da Flórida, nos Estados Unidos. O Aquário da Flórida, nos Estados Unidos, conseguiu que o coral Dendrogyra …

Cientistas descobrem a melhor maneira de ensinar uma nova língua a crianças

As pessoas muitas vezes assumem que as crianças aprendem novas línguas facilmente e sem esforço, independentemente da situação em que se encontram. Mas será verdade que as crianças absorvem linguagem como esponjas? Estudos mostraram que as …

Cientistas descobrem que as mantas gostam de socializar e de fazer amigos

Embora já tenham sido consideradas criaturas solitárias, um novo estudo descobriu que as mantas formam relações sociais e escolhem parceiros sociais. De acordo com o IFLScience, uma equipa de cientistas estudou mais de 500 grupos sociais …

Planta que não se reproduzia há 60 milhões de anos no Reino Unido revivida pelas alterações climáticas

Há 60 milhões de anos que as cicas não se reproduziam no Reino Unido. Agora, com a subida das temperaturas devido às alterações climáticas, fizeram-no pela primeira vez. As cicas são plantas lenhosas muito parecidas com …

Líderes políticos e religiosos ultraconservadores reunidos secretamente em Fátima

A reunião foi promovida pela International Catholic Legislators Network (ICLN). O encontro começou na quinta e termina este domingo. Entre muitos, conta com a participação do primeiro-ministro húngaro, Viktor Orbán. Vários líderes políticos e religiosos ultraconservadores …

Rio alerta para "divórcio violento" e medo de Costa em perder votos para o BE

O líder do PSD, Rui Rio, disse este sábado que as críticas de António Costa ao Bloco de Esquerda refletem "ingratidão" e o "medo" que o Partido Socialista tem em "perder" votos para os bloquistas …

Trump diz que Boris é "o homem certo" e promete "grande acordo comercial"

Os dois líderes estiveram reunidos à margem da cimeira do G7. Trump elogiou Boris e garantiu que o acordo comercial com o Reino Unido será rápido depois do Brexit. Johnson diz que será "fantástico". O Presidente …

Uma impressora 3D construiu uma casa em apenas 12 horas

A impressora 3D S-Squared (SQ3D) construiu um protótipo básico de uma casa em cerca de 12 horas. A estrutura tem 46 metros quadrados e foi construída através de uma mistura de cimento em camadas. O trabalho …

Uma estrela supermassiva explodiu e aniquilou tudo à sua volta

Uma estrela renegada, que explodiu numa galáxia distante, forçou os astrónomos a colocar de lado décadas de investigação e a concentraram-se num novo tipo de supernova que pode aniquilar completamente a sua estrela-mãe - não …