Com o país em alvoroço, Lukashenko foi à Rússia pedir o apoio de Putin (que lhe pode sair caro)

Aleksander Lukashenko viajou, esta segunda-feira, até à Rússia para se encontrar com Vladimir Putin. O apoio do Presidente russo poderá sair caro à Bielorrússia, anteveem os analistas.

Em Minsk, capital da Bielorrússia, continuam os protestos contra a reeleição do Presidente do país, Aleksander Lukashenko. No domingo, pelo menos 100 mil pessoas saíram às ruas para apelar a novas eleições livres e transparentes. Enquanto isso, Lukashenko viaja hoje até Sochi, na Rússia, à procura do apoio de Vladimir Putin para apaziguar os protestantes.

Segundo o jornal Público, os analistas preveem que a ajuda de Putin venham com um preço elevado, apesar da forte relação entre os dois países. Mas se Putin vê a Bielorrússia como um importante aliado na contenção do Ocidente, também encontra resistência face às intenções de integrar Minsk num espaço económico comum, numa espécie de confederação.

“Aleksander Lukashenko está mais dependente do que nunca de Moscovo para se manter no poder e a Rússia pode aproveitar essa fraqueza para preparar uma integração mais profunda, ou então exigir concessões mais imediatas, que aumentem a dependência da Bielorrússia, mas que não passem necessariamente por uma integração formal”, disse o responsável pela Europa Central e de Leste do think tank German Marshall Fund, Joerg Forbrig, em declarações ao Público.

Forbrig sugere que a Rússia possa pedir uma “junção em termos de moeda e Constituição” entre os dois países, por exemplo, a troco do seu apoio. Isto resultaria numa espécie de absorção da Bielorrússia por parte Rússia, naquilo que os autores classificam como “anexação suave”.

A colocação de bases militares russas na Bielorrússia ou até a exigência do reconhecimento de territórios anexados são também hipóteses possíveis, de acordo com Forbrig. Vladimir Putin podem também exigir que “setores-chave da economia bielorrussa sejam privatizados por empresas russas”.

E qual a posição da União Europeia em relação a isto? Forbrig acredita que Bruxelas deve “dar um sinal claro de que uma interferência na Bielorrússia terá consequências e que quaisquer acordos assinados agora com Lukashenko não são legais, uma vez que ele não tem legitimidade enquanto Presidente”.

Duas figuras da oposição bielorrussa presas recentemente, como Maria Kolesnikova, um dos rostos da campanha para as presidenciais de 9 de agosto, estão detidas por “colocarem em risco a segurança nacional”, anunciou a Comissão de Investigação, na semana passada.

Maria Kolesnikova e Maxime Znak, membros do “Conselho de Coordenação” da oposição, realizaram “ações visando desestabilizar a situação sociopolítica e económica (…) do país e comprometer a segurança nacional”, segundo um comunicado daquele organismo encarregado dos principais processos criminais na Bielorrússia.

Kolesnikova pediu esta quinta-feira ao Comité de Investigação para processar os serviços de segurança que lhe fizeram ameaças de morte caso não abandonasse o país.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Dupla de cientistas apresenta uma nova abordagem para reciclar plástico

Um novo estudo oferece uma abordagem totalmente nova para reciclar plástico, tendo sido inspirada na forma como a natureza naturalmente "recicla" os componentes dos polímeros orgânicos presentes no ambiente. As proteínas são um dos principais compostos …

Edição de 2021 da Web Summit recebe 40 mil participantes. Moedas como presidente não será problema

Evento, que se realiza entre 1 e 4 de Novembro, volta a decorrer em formato presencial depois de em 2020 a pandemia ter transferido as atividades para o ambiente digital. O presidente executivo da Web Summit, …

Alunos carenciados com desempenho inferior aos dos mais favorecidos

Mesmo tendo acesso a meios digitais, o desempenho dos alunos carenciados foi sempre “inferior” aos dos seus colegas oriundos de meios mais favorecidos.  Segundo noticia o Público, esta é uma das principais conclusões a que chegou …

José Rendeiro condenado a três anos e seis meses de prisão efetiva

Embaixador jubilado Júlio Mascarenhas acusa o BPP de o ter convencido a investir num produto com juros e capital garantido num momento em que o banco já atravessava sérias dificuldades. O antigo presidente do Banco Privado …

Cantor R. Kelly declarado culpado por crime organizado e tráfico sexual

O cantor norte-americano R. Kelly foi esta segunda-feira declarado culpado por crime organizado e tráfico sexual, após um julgamento em Nova Iorque, nos Estados Unidos da América (EUA), que decorreu durante seis semanas, no qual …

"A FIFA engloba 211 países e 133 nunca estiveram num Mundial"

Arsène Wenger apresenta argumentos para defender a realização de um campeonato do mundo de dois em dois anos. O novo calendário FIFA continua a originar reacções e entrevistas. Arsène Wenger falou sobre as propostas - a …

Responsáveis do Lar do Comércio acusados por 67 crimes de maus tratos

O Ministério Público (MP) imputou 67 crimes de maus tratos, 17 deles agravados por resultarem em morte, a um ex-presidente e a uma diretora de serviços do Lar do Comércio, em Matosinhos. Num processo em que …

Sporting: espanhóis analisam o "maior" Haaland

Avançado do Borussia Dortmund apresenta recordes que, nem Messi, nem Cristiano, tinham. O Sporting entra em campo para a segunda jornada da Liga dos Campeões, diante de um Borussia Dortmund que tem no seu plantel uma …

Escola proíbe alunos de levarem almoço de casa. Ministério da Educação fala em “recomendação”

Interpretações distintas das normas emitidas pelo Ministério da Educação e a inexistência de equipamentos para aquecer as refeições em linha com as recomendações de segurança motivadas pela covid-19 podem estar na origem da decisão. Os alunos …

Autárquicas foram prova de vida para o CDS. Rodrigues dos Santos respira, Melo põe-se à espreita

Nuno Melo já se tinha colocado em posição de ataque na corrida interna, mas terá de esperar. O CDS "está vivo" e as autárquicas foram prova disso. O CDS decidiu apoiar Carlos Moedas e não se …