Lucro das seguradoras aumenta 29%

Christopher S. Penn / Flickr

-

O resultado líquido combinado das seguradoras que actuam em Portugal ascendeu a 692 milhões de euros no ano passado, um aumento homólogo de 29%, explicado pelo bom desempenho dos mercados de capitais e por algumas operações extraordinárias.

A informação foi hoje divulgada pela Associação Portuguesa de Seguradores (APS), num encontro com jornalistas em Lisboa, no qual foi dado conta de que, das 42 seguradoras que actuam no mercado português, só seis companhias tiveram resultados negativos em 2013.

Segundo Pedro Seixas Vale, presidente da APS, o crescimento dos lucros do sector foi possível devido à “recuperação dos mercados de capitais, em especial a do segmento da dívida, e duas operações extraordinária de venda de carteiras de Vida risco que, por si só, valeram perto de 180 milhões de euros”.

O responsável assinalou que foi no ramo Vida, “mais sensível à componente financeira e directamente afectado pelas referidas operações extraordinárias”, que a “melhoria das condições de exploração mais se fez sentir”.

Em contra ciclo, o segmento Não Vida “sofreu uma forte contracção do seu resultado”, frisou Seixas Vale, tendo sido penalizado pelos custos do temporal de Janeiro do ano passado, que ascenderam a 100 milhões de euros, bem como pelo desequilíbrio económico do ramo Acidentes de Trabalho, a par de outros ramos e modalidades de menor dimensão.

De resto, as seguradoras mantêm em termos gerais uma “sólida posição financeira”, realçou, com o activo total próximo de 56 mil milhões de euros, os capitais próprios superiores a 5 mil milhões de euros (uma ligeira descida face a 2012) e uma margem de solvência mais de duas vezes superior aos níveis mínimos exigidos (218%).

Com a entrada em vigor das novas regras para o sector a aproximar-se (em 2016), Seixas Vale disse que “o sector no seu conjunto tem condições para as regras de Solvência II, que têm “muito impacto na área Vida”, mas considerou “natural que um ou outro operador necessite de reforçar os seus capitais próprios”.

Um dos pontos em destaque na apresentação da APS passa pela “carga fiscal elevadíssima” suportada pelo sector, conforme salientou Seixas Vale.

As seguradoras são responsáveis por cerca de 3% do total da receita fiscal e por 10% do IRC, segundo a APS.

“O contributo do sector segurador para o financiamento do Estado revela-se também pela enorme carga fiscal e parafiscal que gera e suporta, equivalente a cerca de 800 milhões de euros (sem retenções na fonte de IRS e IVA suportado”, sublinhou o presidente da APS.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

PAN foi o único partido sem irregularidades nas autárquicas de 2017. Movimentos cívicos são dos que menos cumprem

Depois da notificação da Entidade das Contas e Financiamentos Políticos, o Ministério Público fica agora encarregue de aplicar as coimas por violação da lei do financiamento dos partidos políticos e das campanhas eleitorais. As informações reveladas …

Jesus terá acusado Taarabt de ter adormecido em campo no Spartak-Benfica

O treinador benfiquista, Jorge Jesus, terá acusado Adel Taarabt de ter adormecido em campo no encontro entre o SL Benfica e o Spartak Moscovo. Com o Benfica já a vencer por 2-0 diante do Spartak Moscovo, …

Sistema de avaliação da Função Pública em stand by

As negociações em torno da revisão do sistema de avaliação de desempenho dos funcionários públicos estão paradas. A última vez que o Governo se reuniu com os sindicatos foi em maio. Nessa altura, o Governo falhou …

Central do Pego. Governo acusado de leiloar um bem que não lhe pertence

O Governo está a ser acusado de querer leiloar a Central do Pego, um bem que, segundo a Trustenergy, não lhe pertence. Em outubro de 2019, o primeiro-ministro anunciou que o Governo estava preparado para encerrar …

Portugal é dos países mais atrasados na vacinação dos jovens

Numa altura em que cerca de 90% das pessoas nos grupos etários acima dos 60 anos já estão completamente vacinadas contra a covid-19, Portugal é dos países com menor percentagem de adultos dos 18 aos …

Sporting pode pagar até 12,5 milhões de euros por Ugarte

O negócio da venda de Manuel Ugarte ao Sporting pode chegar até aos 12,5 milhões de euros por 80% dos seus direitos desportivos. Sporting CP e FC Famalicão continuam a negociar os moldes pelos quais se …

Insolvência da Groundforce não cessa contratos e salários vão ser pagos

O Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa declarou a Groundforce insolvente quase três meses depois de o pedido ter dado entrada. O Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos (Sitava) esclareceu esta quarta-feira que a insolvência …

Machu Picchu é mais antigo do que se pensava

Um novo estudo acaba de revelar que a cidadela Inca no topo da montanha de Machu Picchu, no Peru, foi construída e ocupada por volta de 1420-1530 d.C., décadas antes do que se pensava. Machu Picchu …

Karsten Warholm é um recordista olímpico e mundial chateado com a Nike

Atleta norueguês acredita que a tecnologia incorporada pela gigante norte-americana contribui para a descredibilização do atletismo, já que dá aos atletas uma sensação de corrida semelhante a um trampolim. “A melhor corrida da história olímpica.” “Uma …

Incêndios da Grécia e da Turquia podem chegar em breve a Portugal

As labaredas vistas na Grécia e na Turquia neste verão podem chegar nas próximas duas semanas a Portugal, que deverá registar um aumento de 20 graus nas temperaturas. Uma onda de calor que dura há vários …