O lixo espacial ameaça as comunicações terrestres

O lixo espacial está a tornar-se “numa grande preocupação para a comunidade internacional”, alertou a diretora do Escritório das Nações Unidas para Assuntos do Espaço Exterior (UNOOSA). Em declarações à EFE, a responsável disse ainda que estes vestígios ameaçam mesmo as comunicações terrestres.

Desde meados do século XX, quando a corrida espacial arrancou, foram realizados mais de 5.000 lançamentos para o Espaço, que levaram à acumulação de cerca de 23.000 objetos em órbita. Destes, apenas 1.200 são satélites em funcionamento, de acordo com a Agência Espacial Europeia (ESA). A maioria restante não tem qualquer utilidade, é lixo espacial.

“À medida que o número de atores e o número de objetos lançados para o Espaço aumenta, o problema [do lixo espacial] torna-se numa grande preocupação para a comunidade internacional”, explica Simonetta Di Pippo, citada pela agência EFE.

Toda a situação se agrava, uma vez que ocorre uma espécie de efeito em cadeia: quanto mais objetos em órbita, maior é a probabilidade de ocorrem novas colisões, criando assim mais lixo espacial. Um satélite “morto” pode gerar vários fragmentos destes vestígios.

Tanto a ESA como a Agência Espacial Federal da Rússia (Roscosmos) estimam que existam cerca de 700.000 objetos ou fragmentos como mais de um centímetro e sem utilidade a orbitar a alta velocidade – 56.000 quilómetros por hora – à volta da Terra.

Um eventual impacto de qualquer um destes milhares de elementos contra um satélite em funcionamento ou contra a estrutura de uma estação espacial pode causar danos significativos e várias disfunções, inclusive nas comunicações terrestres.

“Devido ao risco de colisão, os satélites de telecomunicações e, em geral, todos os nossos objetos funcionais no Espaço sideral, enfrentam um risco maior de danos devido aos detritos espaciais”, sustentou a responsável da ONU.

O lixo espacial é classificado de acordo com o seu tamanho em três categorias: detritos com menos de um centímetros, de um a dez centímetros e mais de dez centímetros.

Embora o impacto de detritos espaciais como menos de um centímetro não represente nenhuma ameaça significativa, os vestígios com vários centímetros não são apenas os mais numerosos, como também os mais perigosos.

Para já, não há legislação – só ideias

Atualmente, não existe nenhuma legislação internacional que obrigue entidades estatais ou empresas privadas a evitar ou diminuir a produzir este tipo de resíduos.

Contudo, nos últimos anos, surgiram algumas iniciativas para reduzir o lixo espacial, que vão desde a projeção de objetos que desaparecem em órbita depois de cumprirem a sua missão, bem como projetos para remover detritos já exististes.

Exemplo desta última é o “laço” espacial apresentado por cientistas russos. Recorrendo a um loop espacial, um módulo seria seria conectado através de de um cabo para os níveis superiores dos foguetes para capturar e remover detritos espaciais em órbita.

Apesar das novas tecnologias e projetos, a responsável da ONU diz que se espera que o lixo espacial venha à aumentar, uma vez que a corrida espacial continua a desenvolver-se e, principalmente, porque uma uma nova geração de pequenos satélites de baixo custo começou a invadir o espaço – é o caso da Starlink, de Elon Musk, lançada em maio. Também Jeff Bezos, proprietário da Amazon, tem ideias para um projeto semelhante.

“Embora a nova tendência de colocar grandes constelações de satélites em órbita possa beneficiar muito as tecnologias de comunicação, esta também tem o potencial de gerar novos detritos espaciais, principalmente devido ao maior risco de colisão e ao maior número de lançamentos por ano”, alerta a especialista.

“Outra preocupação com essas mega-constalações está relacionada uma uma eventual poluição luminosa, que poderia complicar a observação e a investigação espacial”.

“Como qualquer outra atividade espacial, os benefícios e perigos das mega-constalações devem ser pesados. A transparência e a cooperação internacional nos procedimentos para colocar as mega-constelações no espaço serão essenciais para mitigar o problema e garantir a segurança futura do ambiente espacial”, rematou.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Câmara do Porto quer isentar rendas de 257 estabelecimentos até junho

A Câmara do Porto vai propor a isenção total das rendas de 257 estabelecimentos situados em prédios municipais, no período de 18 de março a 30 de junho, no valor global de cerca de 112 …

Deslocações na Páscoa limitadas ao concelho de residência

O Governo vai limitar as deslocações dos portugueses durante o período de Páscoa aos concelhos de residência de permanência. De acordo com o Jornal de Notícias, que avança a notícia esta quinta-feira, entre a sexta-feira Santa …

"Dos mais novos no mundo a morrer." Bebé de seis semanas morre de covid-19 nos EUA

Morreu, nos Estados Unidos, um bebé de seis semanas, que estava hospitalizado desde o fim de semana, na sequência de uma infeção provocada pela covid-19. Um bebé de seis semanas, que estava hospitalizado desde o fim …

Reyes seguia a 187 km/h quando sofreu acidente mortal

O futebolista José Antonio Reyes conduzia a 187 km/h quando rebentou um pneu do carro, provocando o acidente que causou a morte ao antigo jogador do Benfica, indica o relatório pericial da Guarda Civil. A investigação …

OMS está "muito preocupada com o rápido aumento da infeção"

A OMS mostra-se preocupada com a evolução do número de infetados pelo novo coronavírus e pede o perdão da dívida para os países mais vulneráveis. O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS) diz estar muito …

Cerco sanitário prolongado em Ovar. "Situação ainda não está controlada"

A Direção-Geral de Saúde decidiu prolongar a cerca sanitária no concelho de Ovar por mais 15 dias, avança o Jornal de Notícias esta quinta-feira. De acordo com o matutino, as autoridades de saúde vão permitir …

Liga belga propõe fim do campeonato e o Club Brugge campeão

A Liga de futebol da Bélgica recomendou esta quinta-feira que se dê por terminada a época 2019/20 do campeonato e a “aceitação da classificação atual” que faz do Clube Brugge campeão, devido ao novo coronavírus …

Pico da pandemia pode ser tardio. "Só saberemos quando começarmos a descer"

A diretora-geral da Saúde disse que ainda não é possível saber quando é que será o pico da covid-19 em Portugal, alertando que este pode ser tardio, uma vez que uma progressão mais lenta da …

"China esconde a severidade deste vírus há meses", acusam serviços secretos dos EUA

Os Estados Unidos concluíram que a China falseou os dados sobre a severidade do novo coronavírus, indica um relatório dos serviços de inteligência norte-americanos divulgado esta quarta-feira a vários senadores. A agência Bloomberg aludiu esta quinta-feira …

Forças Armadas aceitaram líder do CDS como voluntário

O Jornal de Notícias escreve esta quinta-feira que as Forças Armadas aceitaram o líder do CDS, Francisco Rodrigues dos Santos, como voluntário para ajudar nas ações desenvolvidas na luta contra a covid-19 durante o estado …