Médio Lincoln denuncia racismo durante o Sp. Braga-Santa Clara

@cd_santaclara / Instagram

Lincoln, Santa Clara

O médio do Santa Clara Lincoln

O médio do Santa Clara Lincoln alega que foi alvo de atitudes racistas durante o jogo no reduto do Sporting de Braga que se realizou nesta segunda-feira à noite e que terminou empatado a 0-0.

Lincoln não revela exactamente o que aconteceu, mas dá a entender, com imagens publicadas no Instagram, que alguns adeptos imitaram os sons de um macaco.

“Estou a receber muitas mensagens de força pelo episódio que ocorreu no jogo contra o Sporting de Braga. Mas a mim, Lincoln, nada mais me surpreende nos actos dos seres humanos. O ser humano está cada vez pior (não todos). Vemos muitas coisas a acontecer, ao invés de nos unirmos e ajudarmo-nos uns aos outros”, escreve Lincoln numa publicação no Instagram que é replicada por vários media desportivos.

“Como cristão isso não vai e nunca irá abalar-me”, aponta ainda. “Não quero saber da justiça da Liga, ou nenhuma outra entidade, até porque são [decisões] tomadas por seres humanos, que fecham os olhos a determinadas decisões”, realça também.

“Aos responsáveis pelos actos, apenas uma mensagem do fundo do coração: Deus vos abençoe“, conclui o atleta.

O Santa Clara coloca-se ao lado do seu jogador e publicou uma nota, nas suas redes sociais, onde condena e repudia “todo e qualquer acto de intolerância e discriminação racial”.

“O testemunho do nosso jogador nos seus veículos sociais é claro e queremos vincar que se trata de um profissional e ser humano exemplar, algo que tem vindo a demonstrar frequentemente – e por esse motivo pertence ao grupo de capitães do nosso plantel”, aponta ainda a SAD açoriana.

Não é certo, para já, que a Comissão Disciplinar da Liga avalie esta situação, até porque não se sabe se os alegados incidentes reportados por Lincoln constam do relatório do árbitro.

Há cerca de um ano, Moussa Marega, do FC Porto, decidiu abandonar o relvado, em pleno jogo com o Vitória de Guimarães, na sequência de cânticos racistas que ouviu das bancadas vimaranenses.

O Vitória de Guimarães acabou por ser condenado a realizar três jogos à porta fechada devido aos insultos racistas a Marega, mas o castigo acabou por ser anulado pelo Tribunal Arbitral do Desporto (TAD).

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.