Líder birmanesa quebra finalmente o silêncio sobre crise dos “rohingya”

A líder de facto do Governo birmanês, Aung San Suu Kyi, criticou o “icebergue de desinformação” em torno da crise dos muçulmanos ‘rohingya’, quebrando pela primeira vez o silêncio sobre o assunto.

“Este tipo de informação falsa é apenas a ponta de um enorme icebergue de desinformação”, declarou a prémio Nobel da Paz, referindo-se às fotos da crise, durante uma conversa telefónica com o Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan.

Suu Kyi assegurou que “protegerá” os direitos de “todas as pessoas” do país, de acordo com a transcrição oficial do telefonema, publicada hoje.

Pelo menos 414 pessoas morreram nas últimas duas semanas durante a onda de violência sectária no oeste da Birmânia, uma região declarada “zona de operações” pelo exército, informou o Governo birmanês.

O conflito começou no passado dia 25 de agosto quando um milhar de efetivos do Exército de Salvação do Estado Rohingya (ARSA) atacou cerca de 20 postos governamentais no estado de Rakhine (antigo Arakan), gerando resposta dos militares.

A comissão de informação do gabinete de Aung San Suu Kyi indicou na rede social Facebook que os ataques mataram 371 rebeldes, 15 operacionais do Governo e 28 civis.

O organismo oficial estimou também que cerca de sete mil casas ficaram destruídas nos combates em 59 localidades na região, o que provocou mais de 26.500 deslocados de etnia não divulgada.

Pelo menos 123 mil pessoas da minoria muçulmana ‘rohingya’, não reconhecida pelas autoridades birmanesas, cruzaram a fronteira com o Bangladesh para fugirem à violência, indicou o Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (ACNUR).

Desde o início dos confrontos que ARSA e Forças Armadas estão a trocar acusações sobre violações de direitos humanos.

O grupo rebelde é também responsabilizado pelo ataque contra três postos fronteiriços a 9 de outubro de 2016, que desencadeou uma violenta operação de represália do exército birmanês.

A ONU e várias organizações condenaram essa operação, denunciando assassínios, saques e violações de civis, que levaram já cerca de 74 mil ‘rohingya’ a fugir para o Bangladesh.

Suu Kyi tem sido duramente criticada pelo silêncio perante a crise humanitária no estado de Rakhine, onde vivem 1,1 milhões de ‘rohingya’.

Os membros desta minoria, com raízes centenárias no país, estão a ser alvo de uma crescente discriminação desde a onda de violência de 2012, que causou pelo menos 160 mortos e deixou 120 mil ‘rohingya’ confinados a 67 campos de deslocados.

As autoridades birmanesas não reconhecem a cidadania aos ‘rohingya’, consideram-nos imigrantes e impõem-lhes múltiplas restrições, incluindo a privação de movimentos.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Há investigações a acidentes com comboios pendentes há mais de dez anos

A TSF avança esta terça-feira que há investigações a acidentes com comboios pendentes há mais de dez anos por causa da falta de pessoal. De acordo com a rádio, o Gabinete de Prevenção e Investigação de …

Cientistas "acordam" bactérias com 100 milhões de anos

Os micróbios e as bactérias estavam presentes em argilas enterradas no fundo do mar do oceano Pacífico e são apontados como os organismos vivos mais antigos do planeta Terra. Uma equipa de cientistas, dos Estados Unidos …

PSD e PS lesaram o Estado nos contratos dos aviões C-295 da Força Aérea

O Tribunal de Contas (TdC) concluiu que o Estado português perdeu 9,25 milhões de euros de compensação pelo incumprimento das contrapartidas na compra de 12 aviões C-295 à Airbus Defense and Space (ADS), num relatório …

Sob suspeita, Juan Carlos exila-se na República Dominicana (via Porto)

O rei emérito de Espanha, Juan Carlos, viajou este fim-de-semana para a República Dominicana, depois de decidir viver noutro país face à repercussão pública das investigações sobre os seus alegados fundos em paraísos fiscais. O destino …

É possível inativar o novo coronavírus no leite materno. Basta pasteurizá-lo

Uma equipa de cientistas da Universidade de Toronto e da Sinai Health, no Canadá, realizou uma pesquisa que comprovou que pasteurizar o leite materno inativa o vírus Sars-CoV-2. Uma nova investigação, cujo artigo científico foi recentemente …

Cientistas tornam a luz invisível visível pela primeira vez

Uma equipa de cientistas da Vrije Universiteit Brussel e de Harvard conseguiu, pela primeira vez, tornar visível a luz de campo próximo. Existem vários tipos de luz, alguns visíveis e outros invisíveis ao olho humano. Os …

Estrela morta emite cocktail de radiação nunca antes visto

Um grupo internacional de cientistas explorou o potencial do telescópio espacial de raios gama da Agência Espacial Europeia (ESA) - e outros telescópios e instrumentos - para detetar um cocktail de radiação inédita de uma …

Ator francês Dieudonné banido do Facebook por comentários antissemitas

O ator francês foi banido definitivamente do Facebook e do Instagram por causa dos comentários sobre as vítimas do Holocausto marcados por termos e expressões "desumanizantes contra os judeus". O anúncio do afastamento permanente de Dieudonné …

Última temporada de "La Casa de Papel" terá filmagens em Portugal

A rodagem da quinta temporada da série espanhola "La Casa de Papel", de Álex Pina, começa esta segunda-feira e terá filmagens em Portugal, revelou a plataforma Netflix. Em comunicado, na última sexta-feira, a Netflix explica que …

Janelas com vista para o Espaço. Virgin Galactic revela interior de nave espacial para turistas

A Virgin Galactic acaba de revelar o luxuoso design do interior da cabine do primeiro veículo SpaceshipTwo - o VSS Unity - que permitirá a astronautas e entusiastas explorar o Espaço com conforto. A Virgin Galactic, …