Oito meses depois da explosão em Beirute, o Líbano ainda é um pesadelo tóxico

Nabil Mounzer / EPA

O cenário de destruição no porto de Beirute, no Líbano

A explosão em Beirute foi apenas mais uma página no longo e sombrio livro da má gestão de resíduos tóxicos no Líbano. Ainda há produtos químicos perigosos no porto de Beirute.

Já lá vão oito meses desde as explosões que devastaram Beirute, a capital do Líbano, matando mais de 200 pessoas e gerando uma onda de destruição. Apesar disso, ainda ninguém foi responsabilizado pelo incidente, apesar de se saber que líderes políticos sabiam dos riscos das toneladas de nitrato de amónio indevidamente armazenado.

“Nunca vi uma situação como esta na minha vida”, disse um funcionário da empresa de engenharia alemã contratada pelo governo libanês para tratar dos resíduos tóxicos. Em fevereiro, foram encontradas milhares de toneladas de produtos químicos mais perigosos no porto de Beirute, que ainda lá estão até hoje.

Este descuido do Líbano não é recente e, segundo a VICE, o país já é um caso reincidente. Durante a guerra civil, a milícia das Forças Libanesas controlou o porto de Beirute e procurou ganhar dinheiro importando lixo tóxico do estrangeiro e colocando-o em aterros e pedreiras libanesas.

“A máfia italiana ganhou mil milhões de dólares a pegar em lixo tóxico de toda a Europa, despejando-o no Mediterrâneo e exportando-o para todo o mundo”, disse Fouad Hamdan, que trabalhou como ativista ambiental para a Greenpeace no Líbano.

“Nos anos 80 – Samir Geagea [um chefe militar cristão libanês] importava o lixo e nunca se desculpou pelo caos que causou. Como todos os outros chefes militares”, acrescentou.

À medida que a reconstrução pós-guerra prosseguia, os líderes libaneses não conseguiram construir ou manter a infraestrutura de tratamento de águas residuais ou implementar qualquer gestão significativa de águas residuais ou resíduos sólidos, escreve ainda a VICE.

Além disso, a maioria do lixo no Líbano não é separado e as leis contra despejo ilegal de lixo raramente são aplicadas. Isto faz com que haja quase mil lixeiras abertos em todo o país, e os aterros são mal administrados e estão bem acima da sua capacidade pretendida. Mais de 90% das águas residuais do Líbano vão sem tratamento para os rios, solo ou mar.

“Basicamente, não há gestão de resíduos perigosos no Líbano — a maioria dos resíduos é misturada com resíduos municipais e acaba em lixeiras e aterros sanitários, e apenas uma pequena quantidade é exportada para ser tratada no estrangeiro”, explica o especialista em gestão de resíduos Samar Khalil.

Daniel Costa Daniel Costa, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Fernando José é o candidato do PS a Setúbal. Ana Catarina Mendes concorre à Assembleia Municipal

O deputado e vereador socialista Fernando José é o cabeça de lista do PS às próximas eleições autárquicas para a Câmara de Setúbal e Ana Catarina Mendes à Assembleia Municipal, revelou fonte oficial do Partido …

Portugal na zona de queda dos restos do foguetão chinês

O foguete de Longa Marcha chinês que foi lançado a 29 de abril, e agora está a preocupar o mundo. As previsões é que a reentrada na atmosfera se dê até ao próximo dia 9 …

CIP propõe "almofada" pública de 8.000 milhões para resolver moratórias

A Confederação Empresarial de Portugal (CIP) propôs ao Governo criar uma "almofada" de garantias públicas no valor de oito mil milhões de euros para dar poder às empresas e levar a banca a renegociar os …

Reino Unido. Variante indiana é “preocupante“ e já infetou idosos vacinados

No Reino Unido, já foram encontradas 48 cadeias de transmissão da variante indiana e sabe-se que há transmissão comunitária. A Public Health England classifica esta variante como “preocupante”. A direção geral de saúde de Inglaterra (PHE …

Petição para cancelar Jogos Olímpicos conta já com 200 mil assinaturas

Uma petição 'online' a pedir o cancelamento dos Jogos Olímpicos Tóquio2020 devido à pandemia da covid-19 ultrapassou esta sexta-feira as 200 mil assinaturas, avançou a agência Lusa. A campanha, lançada na quarta-feira pelo advogado e ativista …

“Não queremos estragar a nossa joia da coroa“. Governo pode limitar acesso da Peneda-Gerês

O Secretário de Estado da Conservação da Natureza concorda com os autarcas, sobre o impacto positivo do turismo para as populações, mas nota que o sucesso do PNPG não pode pôr em causa os valores …

Fome e seca levam milhares de angolanos a fugirem para a Namíbia

A fome provocada pela seca extrema na província de Cunene, no sul de Angola, está a levar milhares de pessoas a fugir para a Namíbia. "A estiagem provocou a rutura de 'stocks' alimentares das comunidades e …

Governo britânico confirma Portugal na “lista verde” de viagens. Preço das viagens disparou

Portugal vai estar na “lista verde” de países considerados seguros para viajar e isentos de quarentena na chegada a Inglaterra a partir de 17 de maio, anunciou hoje o ministro dos Transportes britânico, Grant Shapps. Portugal …

Nova Zelândia vai proteger fiorde emblemático de turismo de massas

O Governo da Nova Zelândia anunciou que vai proteger do turismo de massas a paisagem natural do icónico fiorde Milford Sound-Piopiotahi, património mundial na ilha do Sul. O turismo em Milford Sound-Piopiotahi, considerado um dos principais …

Autárquicas são ensaio para o CDS. Nas legislativas, partido pode ser o "PEV do PSD"

Com o CDS a afundar nas sondagens, as legislativas já estão no campo de visão. As autárquicas que se avizinham vão ser um ensaio para os centristas: e se uns dizem que não, os críticos …