Lentidão da reacção internacional ao Ébola foi “terrorismo da pobreza”

gbaku / Flickr

Crianças da África Ocidental com morcegos acabados de apanhar

Especialistas na área da saúde reunidos em Marraquexe, Marrocos, criticaram a lentidão da comunidade internacional em agir para deter a propagação do vírus Ébola, já que os países da África Ocidental afetados não dispõem dos meios para tal.

Os especialistas, que sublinharam a urgência de acionar os mecanismos necessários para combater o surto epidémico, falavam num painel da 3.ª edição dos Diálogos Atlânticos, um fórum anual de reflexão e debate de ideias para reforço das relações entre os países banhados por esse oceano que decorre na histórica cidade marroquina até este domingo, uma iniciativa do German Marshall Fund, dos Estados Unidos, e do grupo mineiro marroquino OCP.

Segundo Paul Farmer, professor de Saúde Global e Medicina Social na Universidade de Harvard, Estados Unidos, as vítimas da febre hemorrágica, cuja taxa de mortalidade é de 90 por cento dos infetados e que já fez, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 5.000 mortos em cerca de 10.000 casos desde o início deste ano, padeceram devido ao “terrorismo da pobreza”.

A maioria dos casos registou-se em três países da África Ocidental – Serra Leoa, Libéria, Guiné-Conacri, “países que não têm staff, stuff and space” (profissionais, materiais e estruturas) para tratar os casos, “fazendo com que as pessoas sejam abandonadas à sua sorte – por vergonha, por medo de discriminação e por falta de meios – em situações de emergência como esta”.

É isto o terrorismo da pobreza“, frisou Paul Farmer.

A necessidade de atacar o problema “é premente”, defendeu, e tal passa pela formação de profissionais de saúde localmente e por “integrar a prevenção e o tratamento”, até porque “Ébola em todo o lado é uma ameaça para as pessoas em qualquer lado”.

“É preciso uma resposta para ontem”, insistiu Farmer.

Mira John / Flickr

Paul Farmer, professor de Saúde Global e Medicina Social na Universidade de Harvard, Estados Unidos

Paul Farmer, professor de Saúde Global e Medicina Social na Universidade de Harvard, Estados Unidos

Um Plano Marshall para o Ébola

O especialista liberiano Raj Panjabi, co-fundador e presidente executivo da organização não-governamental Last Mile Health, que trabalha para levar cuidados de saúde aos meios rurais mais isolados e pobres, reiterou a ideia, declarando, de forma contundente: “É preciso um Plano Marshall para o Ébola“.

Para Panjabi, o atual surto da doença poderia ter sido detido há meses se tivesse havido cuidados de saúde locais na aldeia onde a infeção começou.

“Se tivéssemos gasto algumas dezenas de milhões de dólares para levar profissionais de saúde a todas as aldeias remotas da Guiné-Conacri, da Serra Leoa e da Libéria, não teríamos de gastar os milhares de milhões de dólares que estamos agora a gastar e teríamos salvo muitas mais vidas”, defendeu.

No debate, subordinado ao tema “Novos e Velhos Desafios à Segurança Sanitária”, interveio também Deborah Birx, responsável, no departamento de Estado norte-americano, pelo Plano de Emergência do Presidente para Ajuda às Vítimas de Sida, que classificou o Ébola como “um apelo para a ação sobre o que a segurança sanitária significa e o que a comunidade internacional deveria estar a fazer conjuntamente”.

De acordo com Birx, cabe aos países prepararem-se para “a próxima inevitável epidemia”, seja ela de Ébola, gripe ou outra coisa qualquer”.

“Ela virá e todos os países precisarão de ter um sistema de alarme instalado. Não podemos apenas depender da OMS, temos de agir todos juntos”, defendeu Birx.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Operação Éter. Hermínio Loureiro entre as dezenas de autarcas arguidos

Hermínio Loureiro, ex-presidente da Câmara de Oliveira de Azeméis, está entre as dezenas de atuais e antigos autarcas que foram constituídos arguidos no âmbito da Operação Éter. Este processo levou à prisão preventiva do antigo presidente …

Proteção Civil quer que bombeiros voltem a ser obrigados a usar cinto de segurança

A estrada mata mais bombeiros do que os incêndios. Por isso, a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil criou um grupo específico para analisar o problema. Rui Ângelo, chefe da Divisão de Segurança, Saúde e …

Estratégia prevê rede de bancos de leite materno e revisão das licenças para amamentar

A ENALCP apresentada esta quarta-feira prevê a criação de uma rede nacional de bancos de leite materno e a revisão dos diretos de parentalidade. Ambientes favoráveis deverão ser também revistos. A Estratégia Nacional para a Alimentação …

DGS aconselha grávidas e bebés vegetarianos a tomarem suplementos

A Direção-geral da Saúde recomenda suplementos de vitaminas e minerais para bebés e grávidas com alimentação vegetariana e lembra que a dieta não omnívora no primeiro ano de vida deve estar sempre sob supervisão médica. "A …

Entre os boletins de voto dos emigrantes, também há cheques e contas da luz

Para exercer o seu direito de voto, os eleitores portugueses residentes no estrangeiro deveriam enviar de volta para Portugal a documentação que receberam em casa – um envelope verde com o boletim de voto, dentro …

Ryanair despede 432 trabalhadores em Espanha

A companhia aérea irlandesa Ryanair confirmou esta quarta-feira a sua intenção de despedir em Espanha 432 trabalhadores das suas bases de Girona e Canárias, 327 tripulantes de cabine e 105 pilotos, informou o sindicato USO. Num …

Eleições em Moçambique. Dados preliminares dão vitória a Nyusi

Segundo as projeções de resultados da Sala da Paz, de acordo com valores “preliminares” baseados na leitura dos editais pelos seus observadores, o atual Presidente moçambicano e candidato da Frelimo, Filipe Nyusi, terá sido reeleito …

"Quem acusou Sócrates tem de provar. Se não provar tem de ser punido"

O ex-Presidente brasileiro, Lula da Silva, defende punição de procuradores da Operação Marquês, caso a acusação contra José Sócrates seja arquivada. Esta terça-feira, em entrevista à RTP, Lula da Silva defendeu a punição dos procuradores que …

Na Saúde, Warren torna-se alvo de ataques. Mas o foco é "derrotar Trump"

O maior debate televisivo para umas eleições primárias na história dos EUA juntou 12 candidatos num só palco. Foi o primeiro debate para o qual o ex-vice-Presidente Joe Biden não partiu com vantagem, tendo a …

Trump sugere que os mexicanos são uma ameaça terrorista maior do que o Daesh

O Presidente Donald Trump sugeriu que os mexicanos são uma ameaça muito maior do que o Daesh. Respondendo uma vez mais às críticas sobre ter retirado as tropas dos Estados Unidos (EUA) junto à fronteira …