Lenda diz que Pocahontas plantou uma amoreira no Reino Unido (e um estudo do ADN quis prová-lo)

Na vila costeira de Heacham, no Reino Unido, uma lenda com 400 anos conta que a Pocahontas plantou uma amoreira nos terrenos da mansão local.

A amoreira, que ainda hoje se mantém de pé nos jardins da Mansão Heacham, em Norfolk, foi recentemente submetida a um estudo de ADN, na esperança de desvendar a lenda e de separar os factos da ficção.

Pouco se sabe sobre a vida de Pocahontas. Mas o que se sabe é que nasceu por volta de 1596, tendo sido batizada de Amonute. Pocahontas era apenas uma alcunha, que significava “brincalhona”. A menina era filha de Powhatan, o poderoso chefe que liderou uma rede de tribos nativas americanas na região de Tidewater, na Virgínia.

De acordo com a história, quando era criança, Pocahontas ajudou a garantir a liberdade do capitão John Smith, explorador colonial, depois de este ter sido capturado pelo irmão de Powhatan, Opechancanough, e ameaçado com a morte.

Por volta de 1613, Pocahontas foi capturada pelos colonos de Jamestown e ficou em sequestro, durante o qual foi “encorajada” a converter-se ao cristianismo. A adolescente casou-se com o plantador de tabaco inglês John Rolfe em 1614, aos 17 anos, e forçada a viajar para Inglaterra, onde foi apresentada como um exemplo de “nobre selvagem”.

Pocahontas terá passado 10 anos em Inglaterra,alguns dos quais na casa da família Rolfe, em Heacham, onde a lenda da árvore aparece. Segundo alguns relatos, Pocahontas colheu sementes de amoreiras em todo o Reino Unido e plantou algumas em Heacham.

Há também histórias de que o rei James I costumava oferecer sementes de amoreira aos seus muitos convidados. Pocahontas terá conhecido a corte real inglesa, por isso também poderá ter recebido algumas das suas sementes de amoreira dessa forma.

Para descobrir e desvendar a lenda, os investigadores da Comissão Florestal realizaram análises de ADN entre a árvore de Heacham e outras velhas amoreiras no Reino Unido, como as do Palácio de Buckingham, da Syon House, no oeste de Londres, e de Narford Hall, em Norfolk. Qualquer ligação genética clara entre a árvore de Heacham e as outras árvores velhas sugeriria que a história poderia ser real.

No entanto, os resultados foram inconclusivos. Joan Cottrell, da Comissão Florestal, disse à BBC que os cientistas estudaram oito amoreiras. Embora o projeto sugerisse que ainda poderiam ter um ancestral comum próximo, o trabalho “falhou em obter resultados claros”.

Os resultados mostraram-se inconclusivos, mas a investigação ajudou a esclarecer esta história fascinantes – mas trágica -, frequentemente romantizada e envolvida por contos folclóricos coloniais ou pela ficção da Disney.

ZAP //

 

PARTILHAR

RESPONDER

O nosso cabelo sabe o que comemos, onde moramos e quanto custou o corte

Milímetro a milímetro, o cabelo constrói um registo da nossa dieta. Como os fios de cabelo são construídos a partir de aminoácidos, preservam os traços químicos da proteína da comida que ingerimos. Os fios de cabelo …

Não foram meteoros. Uma forte atividade vulcânica arrefeceu a Terra há 13 mil anos

Porque é que a Terra arrefeceu repentinamente há 13 mil anos? Sedimentos antigos encontrados numa caverna no Texas, nos Estados Unidos, parecem ter resolvido este grande mistério. Alguns cientistas acreditam que o fenómeno que arrefeceu repentinamente …

Novo método prevê erupções solares com algumas horas de antecedência

Um novo método capaz de prever explosões solares poderia ajudar a Humanidade a preparar-se contra possíveis desastres causados por este fenómeno explosivo da nossa estrela. As erupções solares são explosões que ocorrem na superfície do Sol …

Mulan a preço premium estreia na Disney+ em setembro

A adaptação live-action de Mulan tem nova data de estreia. O anúncio foi feito pela Disney nesta terça-feira (4). O filme chega à plataforma de streaming Disney+ no dia 4 de setembro, estando disponível em …

Belgas trocam as voltas à pandemia e passam férias nas árvores

Enquanto uns passam o verão em casa, outros atrevem-se a ter uma experiência diferente. Alguns belgas estão a passar as noites de verão pendurados em árvores, em tendas em forma de lágrima. A pandemia de covid-19 …

Máscara inteligente traduz até oito línguas (mas não protege do coronavírus)

Esta máscara inteligente, criada por uma empresa japonesa, consegue traduzir o discurso do seu utilizador em várias línguas (mas, por si só, não o protege do novo coronavírus). Quando a pandemia de covid-19 transformou as máscaras …

Empresa fica com excedente de 40 mil quilos de frutos secos devido à covid-19

A GNS Foods, a empresa que nos últimos 30 anos forneceu os frutos secos à American Airlines, ficou com um excedente de 40 mil quilos por causa de restrições impostas devido à covid-19. Servir frutos secos …

Astronautas da NASA fizeram partidas por telefone para "matar" tempo durante o regresso à Terra

Os astronautas da NASA Bob Behnken e Doug Hurley fizeram algumas partidas por telefone durante o regresso à Terra a bordo cápsula Dragon, da empresa SpaceX de Elon Musk, num voo que foi duplamente histórico. …

Em plena pandemia, há um venezuelano que assegura os funerais no Peru

Ronald Marín é a última esperança para os habitantes de Comas, em Lima. O venezuelano é o único que realiza funerais católicos num cemitério longe do centro da capital, em plena pandemia. Vestido com uma túnica …

Covid-19 pôs mais de um milhão de portugueses em teletrabalho no 2.º trimestre

Um milhão de pessoas esteve em teletrabalho no segundo trimestre, sobretudo devido à covid-19, o equivalente a 23,1% da população empregada, enquanto mais de 600 mil não trabalharam nem no emprego nem em casa. De acordo …