Le Pen e Orbán criticam sanções “erradas e perigosas” contra a Rússia

3

Vivien Cher Benko / EPA

Marine Le Pen, a líder francesa do partido de extrema-direita National Rally, com Viktor Orbán, o primeiro-ministro húngaro e líder do Fidesz.

As sanções impostas à Rússia são “erradas e perigosas”, de acordo com Marine Le Pen e Viktor Orbán, que se encontraram esta sexta feira em Paris.

Le Pen e Orbán acusam os “burocratas de Bruxelas e os partidos de esquerda” de não conseguirem proteger os europeus.

A líder da extrema-direita francesa Marine Le Pen e o primeiro-ministro húngaro, Viktor Orbán, criticaram esta sexta-feira, em Paris, a União Europeia (UE) pelas sanções “erradas e perigosas” impostas à Rússia por ter invadido a Ucrânia.

Os políticos discutiram questões relacionadas com a guerra na Ucrânia, as suas consequências, a inflação e as “políticas de sanções erradas e perigosas de Bruxelas”, afimrou o porta-voz de Orbán à agência noticiosa húngara MTI.

Segundo o mesmo porta-voz, Orbán e Le Pen apelaram à unidade dos “partidos europeus que representam valores tradicionais” para defender os cidadãos da Europa em tempos de guerra, acusando os “burocratas de Bruxelas e os partidos de esquerda” de não conseguirem proteger os europeus e as suas famílias.

O gabinete de imprensa do primeiro-ministro da Hungria não deu mais pormenores sobre a viagem de Orbán a França, nem sequer se irá ter outros encontros, segundo a agência espanhola EFE.

A Hungria opõe-se à inclusão do embargo petrolífero russo no sexto pacote de sanções da UE contra a Rússia ,devido ao impacto económico que teria no país, que depende dos fornecimentos russos.

O Governo de Budapeste exigiu à União Europeia uma isenção do embargo durante pelo menos quatro anos, bem como fundos para reequipar as infraestruturas energéticas da Hungria para poder receber petróleo de outras origens.

A proposta de novas sanções da UE contra a Rússia prevê prazos mais longos para a Hungria, a Eslováquia e a República Checa iniciarem o embargo à importação de petróleo russo, mas o impasse ainda não foi ultrapassado.

As novas sanções agravam as que a União Europeia e países como os Estados Unidos, o Reino Unido ou o Japão têm decretado contra a Rússia desde que invadiu a Ucrânia, em 24 de fevereiro.

A guerra que continua sem um balanço de vítimas após três meses de combates, mas que diversas fontes, incluindo a ONU, dizem que será elevado.

  ZAP //

3 Comments

  1. O objectivo é mesmo esse. É afundar o euro e continuar a levantar o dólar.
    Faz parte da agenda económica global.
    Acordem portugueses.

  2. Estes gajos estão doidos… a Rússia só faz m****, e o Ocidente peca pelas sanções que atribui, merecidamente….!!?? ONDE ESTÁ A LÓGICA????

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.