/

“Foi torturada”. Princesa Latifa escreve carta à polícia a pedir que investigue desaparecimento da irmã

1

Latifa escreveu à polícia britânica em 2019. O caso da sua irmã Shamsa, raptada em Inglaterra há mais de vinte anos, tem muitas semelhanças com o drama agora vivido pela princesa.

A princesa Latifa, filha do emir do Dubai, apelou à polícia britânica para reabrir a investigação ao desaparecimento da sua irmã mais velha, a princesa Shamsa.

Após ter revelado pormenores sobre a forma como o pai a tem mantido presa no Dubai, a princesa pede que se dê atenção ao caso da irmã, que está também desaparecida há mais de vinte anos. O pedido foi feito através de uma carta, que a BBC revelou.

Com apenas 18 anos, em 2000, a princesa Shamsa tentou fugir da propriedade pertencente ao pai no Surrey, no Sudeste de Inglaterra. Na altura, acabou por ser raptada em Cambridge e levada para o Dubai contra a sua vontade.

A polícia britânica começou por tratar o caso como um rapto, após ter sido contactada por um advogado especializado em imigração.

Contudo, a investigação terminou num impasse quando os inspetores foram impedidos de se deslocar ao Dubai. Mais de uma década depois, soube-se que o Governo dos Emirados  fez diligências junto do Ministério dos Negócios Estrangeiros britânico, que podem ter posto em causa a continuidade das investigações.

Em 2020, um juiz do Supremo Tribunal britânico responsabilizou o xeque Mohammed bin Rashid al Maktoum pelos raptos de Shamsa e de Latifa.

Na carta enviada à BBC, Latifa pede à polícia britânica que reabra a investigação ao desaparecimento da irmã. “Tudo o que vos peço é que, por favor, deem atenção ao seu caso porque isso pode dar-lhe a liberdade”, escreve a princesa.

A carta está datada de fevereiro de 2018, mas foi escrita em 2019 porque Latifa não queria revelar que tinha a possibilidade de contactar o mundo exterior antes da sua tentativa de fugir do local onde o pai a tem mantido em cativeiro, explica a BBC.

Latifa diz que a irmã foi mantida presa sem qualquer contacto exterior. “Ela foi torturada, chicoteada nos pés”, escreve.

A polícia de Cambridgeshire, a quem a carta foi endereçada, disse à BBC que o seu conteúdo será “analisado como parte da atual revisão ao caso”.

No entanto, avisa tratar-se de uma “questão muito complexa e séria” e que, por isso, “é inapropriado discuti-la em público”.

O caso da princesa Latifa tem concentrado atenções a nível mundial e levou mesmo a ONU a pedir explicações ao Governo dos Emirados Árabes Unidos, do qual o seu pai é vice-presidente.

A filha mais nova do Emir do Dubai tentou fugir em 2018, mas foi apanhada e mantida presa numa mansão.

  Ana Isabel Moura //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.