No dia em que foi vacinado, Lacerda Sales garantiu que não vão faltar enfermeiros

António Cotrim / Lusa

O secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales, a ser vacinado contra a covid-19

O secretário de Estado Adjunto e da Saúde disse, esta quarta-feira, que serão necessários 2500 enfermeiros para a segunda fase de vacinação e que não haverá falta destes profissionais nos postos de vacinação.

“Serão necessários cerca de 2500 enfermeiros para esta tarefa. Com certeza, quer dentro do Serviço Nacional de Saúde quer fora, nós teremos capacidade para este número de enfermeiros”, afirmou António Lacerda Sales aos jornalistas, no Hospital das Forças Armadas, em Lisboa, onde recebeu a primeira dose da vacina contra a covid-19.

O governante, que tem a segunda dose prevista para daqui a 12 semanas, esclareceu ainda que os 2500 enfermeiros vão estar “alocados de forma permanente” à campanha de vacinação.

A garantia de Lacerda Sales surge depois de o jornal Público ter noticiado na sua edição de hoje que as autarquias de Lisboa, Porto, Cascais, Loures, Sintra e Gaia não têm enfermeiros suficientes para os 150 espaços de vacinação.

O momento da sua vacinação foi aberto à imprensa por iniciativa do secretário de Estado para “dar confiança aos portugueses na vacina da AstraZeneca”, depois de a sua administração ter sido suspensa e novamente validada pelas autoridades de saúde.

O secretário de Estado da Saúde afirmou ainda que a falta de enfermeiros nos futuros postos de vacinação em massa previstos pela task-force “não será um problema” e admitiu eventuais “novas contratações”.

Segundo o mesmo matutino, o grupo responsável pela coordenação do plano de vacinação estará a estudar a possibilidade de integrar as farmácias e os farmacêuticos no processo.

Com a garantia da chegada de novas vacinas em grande quantidade, a task-force espera que sejam vacinadas mais de 60 mil pessoas por dia no mês de abril e mais de 100 mil em maio e junho.

Esta terça-feira, depois da reunião com especialistas na sede do Infarmed, o coordenador do plano de vacinação, o vice-almirante Henrique Gouveia e Melo, reiterou que se mantém a previsão de cobertura de 70% da população com a primeira dose da vacina “no fim do verão”.

O coordenador da task-force notou ainda que, esta semana, o país vai atingir um milhão de pessoas imunizadas com a primeira dose e meio milhão com as duas doses.

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE