A atribulada semana de Kyrie Irving: Multa por entrar no balneário e 60 pontos num jogo

Brooklyn Nets / Twitter

Kyrie Irving, jogador dos Brooklyn Nets.

Kyrie Irving, jogador dos Brooklyn Nets.

O anti-vacinas Kyrie Irving foi multado, no domingo, por entrar no seu próprio balneário. Esta terça-feira, o base atingiu o seu recorde pessoal de pontos num jogo.

A câmara municipal de Nova Iorque tornou obrigatória a vacinação contra a covid-19 para todas as pessoas que trabalham na cidade.

Nem todos concordam e muitos norte-americanos optam por não se vacinar contra o coronavírus, como é o caso de Kyrie Irving, um dos mais talentosos basquetebolistas da NBA.

Ainda no domingo, a NBA multou os Brooklyn Nets em 50 mil dólares por violarem a lei e os protocolos de saúde e segurança da liga ao permitir que Kyrie Irving entrasse no balneário da sua própria equipa, no Barclays Center.

O jogador nem participou no encontro com os Knicks, mas a visita ao balneário foi suficiente para merecer a sanção da liga norte-americana de basquetebol.

Aliás, as repercussões da decisão de Irving em não se vacinar vão além deste episódio. O base de 29 anos só tem jogado nos encontros fora de casa, visto que fora da Nova Iorque já não tem a necessidade de estar vacinado para poder competir.

Embora os adeptos já estejam autorizados a estar em espaços fechados sem vacina, Irving não pode jogar sem estar inoculado.

Na terça-feira, numa partida em casa dos Orlando Magic, que terminou com uma vitória categórica por 108-150, Irving estabeleceu um novo recorde pessoal de pontos num jogo: 60.

“É especial vê-lo em qualquer noite, mas é mais especial vê-lo em noites como esta, quando ele está no comando”, disse o treinador dos Brooklyn Nets, citado pela Tribuna Expresso. “Ele chega aonde quer e quase nem dá por isso. É um prazer vê-lo de perto e fazer parte do’filme'”.

“Soube-me bem”, disse o basquetebolista nascido na Austrália, no final da partida. “Quando marcas 60 ao longo do jogo e não parece forçado, não estás a fazer muitos maus lançamentos, vens ao banco e os colegas estão a incentivar-te, a dizer-te para ires atrás do recorde, tudo isso faz com que o basquetebol valha a pena”.

  Daniel Costa, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.