Justiça tenta notificar Vale e Azevedo há mais de um ano. Julgamento já foi adiado duas vezes

Tiago Petinga / Lusa

Vale e Azevedo

O Juízo Central Criminal de Lisboa tenta há um ano notificar João Vale e Azevedo, que reside em Londres desde junho de 2018.

O tribunal enviou cartas rogatórias a pedir às autoridades inglesas para notificarem o antigo presidente do Benfica, para dar início ao julgamento onde estão em causa crimes relacionados com o facto de ter apresentado três milhões de euros de falsas garantias em três processos judiciais e por tentar burlar o BCP, também com garantias falsas, para conseguir um crédito de 25 milhões de euros. Mas Vale e Azevedo recusou assinar.

O julgamento já foi adiado duas vezes –  tendo estado marcado para março e junho do ano passado -, sempre devido à falta de notificação de Vale e Azevedo. As autoridades inglesas responderam que, aconselhado pelo seu advogado, João Vale e Azevedo recusou receber e assinar a notificação. De acordo com o Público, o tribunal tentou um nova investida em dezembro de 2019, mas ainda não obteve resposta.

A defesa do ex-presidente do Benfica também tenta que este processo prescreva: neste momento está pendente um recurso no Tribunal Constitucional, que deu entrada a 17 de janeiro, depois de três tentativas falhadas junto do Tribunal da Relação de Lisboa.

Um dos argumentos da defesa está relacionado com o princípio da especialidade, que prevê que uma pessoa entregue em cumprimento de um mandato de detenção europeu “não pode ser sujeita a procedimento penal, condenada ou privada de liberdade por uma infração praticada em momento anterior à sua entrega e diferente daquela que motivou a emissão do mandado”.

O mandado de detenção europeu que levou as autoridades britânicas a entregar, em novembro de 2012, Vale e Azevedo a Portugal destinava-se apenas a que este cumprisse uma pena de prisão de 11 anos e meio resultante da junção de várias condenações nos processos “Dantas da Cunha”, “Ribafria”, “Ovchinnikov” e “Euroárea”.

O outro argumento é o da prescrição, que, segundo o diário, já lhe valeu o fim de dois outros processos sem julgamento: um em que estavam em causa crimes de peculato e falsificação de documentos relacionados com o desvio de cerca de 1,2 milhões de receitas provenientes de direitos de transmissão de jogos europeus entre 1998 e 1999; e outro onde estava acusado de desviar cerca de cinco milhões de euros relativos a transferências de jogadores do Benfica.

Ao todo, João Vale e Azevedo está acusado, neste processo, de oito crimes de burla qualificada, dois de burla qualificada na forma tentada e quatro de falsificação de documento autêntico. A acusação do Ministério Público remonta a dezembro de 2012 e, mais de sete anos depois, os tribunais portugueses ainda tentam notificá-lo.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

RESPONDER

A polícia holandesa achava que tinha em mãos o mafioso mais procurado da Europa. Afinal, era só um fã de F1

Um homem de Liverpool de 54 anos pensava que o grande evento da sua viagem aos Países Baixos seria assistir ao Grande Prémio de Fórmula 1, mas acabou detido numa prisão de alta segurança por …

Cobertura global de corais caiu para metade desde 1950, revela relatório

A cobertura global de recifes de coral caiu para metade desde 1950, cenário originado pelo aquecimento global, pesca excessiva, poluição e destruição de habitats naturais, revelou uma análise divulgada esta sexta-feira. Desde a Grande Barreira de …

O sonho de Christo concretizou-se, 60 anos depois. O Arco do Triunfo foi embrulhado como um presente

Já desde o início dos anos 60 que Christo imaginava como seria cobrir o Arco do Triunfo em tecido. A sua visão foi finalmente concretizada e pode ser visitada entre 18 de Setembro e 3 …

Holanda. Ministra da Defesa renuncia devido à crise de evacuação do Afeganistão

Após a ministra das Relações Externas holandesa, Sigrid Kaag, renunciar devido ao desastre da evacuação do Afeganistão, esta sexta-feira foi a vez da ministra da Defesa, Ank Bijleveld. Segundo relatou o Guardian, acredita-se que os ministros …

Tribunal da África do Sul recusa anular pena de prisão do ex-Presidente Jacob Zuma

O mais alto tribunal da África do Sul rejeitou o pedido do ex-Presidente Jacob Zuma para anular a sua sentença de 15 meses de prisão por não comparecer a uma sessão de inquérito por corrupção. Em …

EUA. Advogado planeou o próprio assassinato para o filho receber seguro. Foi detido por fraude

Um influente advogado norte-americano, cuja esposa e um dos filhos foram assassinados, foi acusado de fraude contra uma empresa de seguros e falso testemunho por organizar o seu próprio assassinato. Segundo avançou a agência France-Presse, …

Norberto Mourão conquista bronze nos Mundiais de canoagem adaptada

Norberto Mourão já tinha conquistado o bronze nos Jogos Paralímpicos de Tóquio e junta agora mais uma medalha à colecção, desta vez nos Mundiais de canoagem adaptada. O atleta de canoagem adaptada Norberto Mourão conquistou hoje …

Caso George Floyd. Polícia condenado a 22 anos de prisão pode ver a sentença revertida

A intervenção do Supremo Tribunal do Minnesota num outro caso de violência policial para reduzir a pena de um agente pode abrir um precedente para que haja alterações na sentença de Derek Chauvin. Segundo avança a …

Futebol português contra Campeonato do Mundo de dois em dois anos

O futebol português está contra a intenção da FIFA de aumentar a periodicidade do Campeonato do Mundo, passando de quatro para de dois em dois anos, refere um comunicado conjunto divulgado hoje. O documento, assinado pela …

Governo quer proibir empresas de recorrer ao 'outsourcing' após despedimento coletivo

O Governo quer proibir as empresas que façam despedimentos coletivos de recorrerem ao 'outsourcing' (contratação externa) durante os 12 meses seguintes, disse hoje a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. No final …