Jovens emigrantes “à força” lançam manifesto

SXC

-

“Esse país também é nosso” é o nome de um manifesto lançado por jovens emigrantes portugueses qualificados, que pretendem que “a realidade avassaladora da emigração” seja tema de debate nas eleições europeias.

A ideia de lançar o manifesto surgiu da vontade de jovens emigrados “à força” de “fazerem alguma coisa” pelo seu país, numa altura em que se aproximam as eleições europeias (25 de maio), explicou à agência Lusa Rodrigo Rivera.

“Achamos que se está a falar muito pouco da nossa situação enquanto portugueses emigrados à força”, considerando por isso ”importante pautar as eleições europeias” com esta temática, adiantou o jovem, que emigrou com a mulher para o Brasil em setembro.

Para Rodrigo Rivera, é preciso discutir as razões que levam “centenas de milhares de pessoas” a saírem todos os anos de Portugal.

“O último número oficial foi 120 mil. Acho que é uma situação bastante gravosa”, lamentou o jovem, formado em Relações Internacionais.

Não há saídas “dignas” em Portugal

O manifesto “Esse país também é nosso” é assinado por arquitetos, economistas, investigadores, designers e até uma jovem escritora, emigrados em vários países europeus, no Brasil e no Camboja. “Somos todos jovens qualificados, nalguns casos ainda estudantes, e não encontramos nenhuma saída profissional em Portugal que seja digna”, disse Rodrigo Rivera.

Há muitos jovens com mestrados, doutoramentos e que ”não conseguem encontrar um trabalho que pague mais de 500 ou 600 euros e, provavelmente, não é na área deles”, lamentou.

Rodrigo Rivera contou o seu caso: “Saí de Portugal com uma formação em Relações Internacionais, falo quatro idiomas, e não tinha nenhuma chance em Portugal de ganhar um salário com que pudesse sustentar-me dignamente”.

No Brasil, encontrou trabalho numa multinacional no espaço de um mês e ainda “teve oportunidade de rejeitar algumas ofertas de trabalho”, contou, adiantando que a mulher, que é arquiteta, arranjou emprego numa semana. “Em Portugal a situação dela e de muitos outros jovens seria de saltar de estágio não remunerado em estágio não remunerado”, frisou.

“Esse país também é nosso”

No manifesto, os jovens afirmam que encontraram fora de Portugal a oportunidade que o país lhes negou.

“Muitos de nós pertencem à geração mais qualificada de sempre, uma formação conseguida com muitos sacrifícios, pessoais e familiares, mas também com o investimento de todos nos serviços públicos de educação. Um percurso que chocou contra a parede do desemprego e da precariedade”, acrescentam.

Rodrigo Rivera adiantou que o manifesto tem alguns dias e já reuniu cerca de duas dezenas de assinaturas. O objetivo é “chegar a muito mais gente”, porque “a realidade da emigração em Portugal é avassaladora neste momento” e “tem que haver uma reposta política séria a esta situação”.

Para estes jovens, o PSD e PS estão a “apresentar propostas que não são dignas de momento”. “Simplesmente ignoram a nossa situação de portugueses emigrados contra a sua própria vontade e ignoram também que queremos voltar para Portugal”, justificam.

Rodrigo Rivera frisou que estes jovens querem “mesmo voltar” para Portugal: “Temos saudades do nosso país, queremos contribuir para o seu desenvolvimento e vemo-nos obrigados a viver fora do país.”

“Nós rejeitamos completamente este modelo de desenvolvimento do país, que tem tudo menos pés para andar”, acrescentou.

Sobre a intenção do Governo de incentivar “jovens cérebros” estrangeiros a virem estudar para Portugal, Rodrigo Rivera disse que “é uma grande falácia”.

“Ao mesmo tempo que dizem que querem fazer isso, estão a expulsar jovens mais do que qualificados, formados em Portugal, e criaram um estatuto especial de estudante estrangeiro que vai reduzir a diversidade internacional das nossas universidades com propinas exorbitantes para estes estudantes”, considerou.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Exposição de Joana Vasconcelos em Bilbau foi a 13.ª mais vista no mundo em 2018

A mostra de Joana Vasconcelos, atualmente patente no Museu de Serralves, foi vista em Bilbao por cerca de 649 mil pessoas - uma média de 5.600 por dia. A exposição I'm Your Mirror, de Joana Vasconcelos, …

O melhor professor do mundo é queniano e doa 80% do seu salário

Peter Tabichi é queniano, tem 36 anos e doa 80% do salário para desenvolver a sua comunidade local, numa remota vila no Quénia. Este domingo foi eleito, no Dubai, o melhor professor do mundo. Em Pwani, …

Pentágono autoriza mil milhões de dólares para construção de muro de Trump

O secretário da Defesa interino norte-americano, Patrick Shanahan, anunciou na segunda-feira o desbloqueio de mil milhões de dólares para a construção de um muro na fronteira entre os Estados Unidos e o México. Shanahan “autorizou o …

Advogados de Rui Pinto recorrem da prisão preventiva

Os advogados de Rui Pinto, colaborador do "Football Leaks", confirmaram esta segunda-feira que vão recorrer da medida de prisão preventiva aplicada sexta-feira ao seu cliente pelo Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa. A decisão de recorrer …

Se a corrida continuar a três, McLaren ameaça deixar a Fórmula 1

A McLaren, a segunda equipa mais antiga da Fórmula 1, ameaça desistir da modalidade caso os regulamentos elaborados para 2021 não a tornem numa competição justa. A visão da Fórmula 1, a modalidade de automobilismo mais …

México quer que rei da Espanha peça perdão pela conquista colonial

Obrador diz que esta é a única forma possível de obter a reconciliação plena entre os países. O pedido foi feito por carta. O presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, anunciou ter enviado uma carta ao …

"O Vieira pediu-me para dar uma coça a Francisco J. Marques"

Vítor Catão, diretor desportivo do S. Pedro da Cova, afirmou que o Benfica, através do seu presidente Luís Filipe Vieira, lhe deu 200 mil euros para colocar uma "lapa" no carro de Pinto da Costa, …

"Governo saudita deu a ordem" para matar Khashoggi

Em entrevista ao El Mundo, a namorada do jornalista saudita Jamal Khashoggi afirma que a ordem que determinou a sua morte foi dada pelo Governo da Arábia Saudita. Em entrevista ao diário espanhol El Mundo, a …

Já há água, eletricidade e estradas abertas na cidade da Beira

Começam a ver-se pequenos avanços na Beira, em Moçambique, que inicia o lento caminho da reconstrução, após a passagem do ciclone Idai, que matou pelo menos 446 pessoas e destruiu cerca de 90% dos edifícios …

"Um erro desculpável". Governante sem castigo após violar a Lei no caso dos mirtilos

O Tribunal Constitucional decidiu arquivar o caso das incompatibilidades envolvendo o secretário de Estado da Juventude e Desporto, João Paulo Rebelo, que, durante dois anos, acumulou o cargo com a função de gerente numa empresa …