João Leão é candidato a diretor executivo do Mecanismo Europeu de Estabilidade

2

Mário Cruz / Lusa

O ministro de Estado e das Finanças, João Leão, acompanhado pelo ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva (em espelho)

Candidatura será apresentada esta tarde e destaca o forte trajeto académico do antigo governante português.

O antigo ministro das Finanças, João Leão, é candidato ao cargo de diretor executivo do Mecanismo Europeu de Resolução (ESM). A notícia é avançada pelo jornal Público, que especifica que Portugal avançará com a formalização da candidatura esta tarde junto do presidente do Eurogrupo, responsável pelo processo de nomeação na qualidade de presidente do conselho de governadores do ESM.

Segundo a mesma fonte, também Luxemburgo, Países Baixos e Itália devem apresentar candidatos. O prazo para a entrega das candidaturas termina esta tarde, com os processos a terem que ser formalizados pelos respetivos ministros das Finanças dos Estados-membros. Posteriormente, segue-se uma fase em que as candidaturas serão discutidas pelos governadores do ESM, ou seja, os ministros da zona euro. Estes devem chegar a um consenso, sem que seja necessária uma votação por maioria.

De facto, e ao contrário do que acontece com a escolha do presidente do Eurogrupo, não há uma votação com votação formal, com rondas sucessivas. No entanto, devem esperar-se, ainda assim, manobras de bastidores, com é habitual nestes processos face aos interesses dos Estados-membros e dos apoios que conseguem reunir para o seu candidato.

O Público avança que o antigo ministro das Finanças português conseguiu reunir “massa crítica” suficiente para justificar a apresentação de uma candidatura. “Os apoiantes de Leão dizem que na batalha entre o Norte e o Sul (que geralmente acontece na corrida para dirigir o ESM), o ex-ministro tem a vantagem de pertencer a um país do Sul com bom histórico na aplicação das regras orçamentais.

No seu currículo recente, João Leão conta com o feito de ter mantido o défice português em 2,8% do PIB em 2021, abaixo dos 4,3% previstos. Simultaneamente, também conseguiu a maior descida da dívida pública nas últimas décadas, destaca a mesma fonte. Na candidatura de João Leão é sublinhada a forte qualificação académica do antigo governante, que concluiu um doutoramento no MIT. É também referido o seu papel no desenvolvimento da estratégia económica e orçamental de Portugal desde 2015.

  ZAP //

2 Comments

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.