Jerónimo admite PCP no Governo e rejeita condicionar voto no OE aos professores

Miguel A. Lopes/ Lusa

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, admitiu a possibilidade de o partido ir para o governo, numa entrevista em que garantiu que não condicionará o voto no Orçamento do Estado (OE) à contagem do tempo dos professores.

Em entrevista à RTP1, Jerónimo de Sousa assegurou que “o PCP está em condições de assumir qualquer responsabilidade“, incluindo a de formar governo, assinalando, contudo, que há “uma questão central: para quê e para quem?”.

“Sem rutura e uma política alternativa, ir para o poder pelo poder, para isso não estamos disponíveis”, acentuou o líder dos comunistas.

Para justificar a “importância de dar mais força ao PCP” nas próximas legislativas, o líder comunista argumentou que “sempre que o PS foi governo, incluindo com maioria absoluta, não houve uma política de esquerda”.

Jerónimo de Sousa recordou os vários “avanços” alcançados com a solução política da ‘geringonça’, como o “aumento extraordinário das pensões”, ao qual, de início, o executivo e até o BE estavam “renitentes”.

Questionado várias vezes pelo jornalista Vítor Gonçalves se a solução da ‘geringonça’ “valeu a pena”, o secretário-geral comunista tentou algumas vezes contornar a questão, mas lá acabou por dizer que sim.

“Valeu (a pena) pelos avanços que se conseguiram alcançar”, admitiu, apesar de, por várias vezes, acusar o PS de prosseguir uma “política de direita”, insistir na necessidade de uma rutura com a situação atual e, no essencial, os socialistas cederem ao PSD e ao CDS.

Quanto à contagem do tempo de trabalho dos professores, suspenso durante o período da crise financeira, Jerónimo de Sousa recordou que é uma medida inscrita no OE de 2018 e rejeitou condicionar a sua concretização ao voto do PCP no Orçamento do Estado para o próximo ano.

“O nosso posicionamento é um posicionamento político geral”, referiu o dirigente comunista, apesar de apoiar a “justa reivindicação” dos professores e considerar que “a questão nem se deveria colocar”.

Para reforçar, Jerónimo lembrou que “na negociação do OE não de discutem aumentos salariais”, até porque os partidos não se substituem aos sindicatos.

A terminar a entrevista, o secretário-geral do PCP rejeitou intrometer-se na questão da recondução do mandato da atual procuradora-geral da República, Joana Marques Vidal.

O PCP “não se vai envolver nesse debate”, que é uma questão entre o Presidente da República e o executivo, sublinhou, rejeitando “julgamentos apressados” sobre o mandato de Joana Marques Vidal, mas reconhecendo “avanços significativos” e admitindo que a atual procuradora-geral da República lidou com “dificuldades imensas” e com “grandes constrangimentos” no que respeita aos meios humanos e materiais da instituição.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Carrinha com 52 migrantes entra em Ceuta após derrubar barreiras fronteiriças

Uma carrinha com 52 migrantes rompeu, esta madrugada, as barreiras fronteiriças entre Marrocos e Espanha para entrar no enclave espanhol de Ceuta, incidente que a Guarda Civil espanhola já está a investigar. A carrinha lançou-se a toda …

Chef que renunciou à estrela Michelin espera sair do Guia em 2020

O chef Henrique Leis, que em julho renunciou à estrela Michelin que o seu restaurante detinha há 19 anos, afirma que o seu "compromisso com a Michelin acabou" e espera não ver renovada a distinção …

Morreu a fadista Argentina Santos

A fadista portuguesa morreu, esta segunda-feira, aos 95 anos de idade. As exéquias realizam-se, a partir das 17h00, na Basílica da Estrela, em Lisboa. A fadista Argentina Santos, que esta segunda-feira morreu aos 95 anos, despediu-se …

Governo apresenta queixa no Ministério Público contra 21 pedreiras

O ministro do Ambiente e da Ação Climática anunciou que 21 pedreiras, de um universo de 185, estão em incumprimento por falta de vedações, exigidas pelo levantamento do Governo, tendo sido apresentada queixa ao Ministério …

Adeus EDP Universal. Vem aí a SU Eletricidade, mas os preços não mudam

A EDP Serviço Universal vai deixar de existir a partir de 15 de Janeiro de 2020. Em seu lugar vai nascer a SU Eletricidade, a nova marca do universo EDP que vai abranger os clientes …

Mais de 41 mil idosos vivem sozinhos ou isolados em Portugal

A Guarda Nacional Republicana (GNR) sinalizou 41.868 idosos a viverem sozinhos ou isolados em todo o país em outubro no âmbito da operação "Censos Sénior", anunciou esta segunda-feira a guarda. Em comunicado, a GNR adiantou ter …

Vai nascer um Pavilhão de Gelo em Lisboa (com apoio do Governo e de fundos públicos)

O secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Rebelo, está certo de que, ainda nesta legislatura, vai nascer um Pavilhão do Gelo para a prática de desportos em Lisboa, com apoio de …

Sudão. Crimes contra a humanidade em ataques que mataram 120 manifestantes

Os ataques que em junho mataram pelo menos 120 manifestantes no Sudão podem configurar crimes contra a humanidade, revelou um relatório divulgado pela organização Human Rights Watch (HRW), que pede justiça para as vítimas e …

Bloqueios na capital da Bolívia levam à escassez de alimentos e de combustíveis

Os bloqueios nas estradas de acesso a La Paz, capital da Bolívia, e aos arredores, usados nos protestos que se somam à tensa crise política, impõem aos bolivianos a falta de produtos básicos cujos preços …

Pais da bebé Matilde já ajudaram 38 crianças

Os pais da bebé Matilde, que sofre de uma doença rara, ajudaram 38 crianças com os cerca de dois milhões de euros angariados através de uma campanha de solidariedade. Na página de Facebook "Matilde, uma bebé …