Japão quer terminar (finalmente) 2ª Guerra Mundial com a Rússia

Jim O'Connell

O governo japonês espera assinar esta semana o tratado de paz com a Rússia que coloca formalmente um fim à 2ª Guerra Mundial.

“Na reunião dos ministros dos Negócios Estrangeiros dos dois países de 15 de abril, haverá discussão de concluir o tratado de paz na base da resolução mutualmente aceitável”, anunciou o secretário-chefe do gabinete japonês, Yoshihide Suga.

O Japão e a Rússia nunca assinaram um acordo de paz permanente depois da 2ª Guerra Mundial por causa das divergências sobre a soberania de quatro ilhas – Iturup, Kunashir, Shikotan e Habomai – que a Rússia considera as Ilhas Curilas do Sul e o Japão denomina Territórios do Norte.

Esta terça-feira, o chanceler japonês Fumio Kishida disse que, na sua interpretação, “o problema do tratado de paz não é nada mais do que a questão dos territórios do Norte”

O Ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Sergei Lavrov, disse ontem que o tratado de paz entre a Rússia e o Japão não pode ser reduzido às disputas territoriais, já que em 1956 as partes assinaram uma declaração conjunta em que os países recusaram reclamações territoriais.

No entanto, essa disputa territorial continua a existir ainda hoje: o Japão reivindica as quatro ilhas russas do Arquipélago das Curilas, citando o Tratado Bilateral sobre o Comércio e Fronteiras assinado com Moscovo em 1855, enquanto a Rússia alega que as ilhas foram integradas na União Soviética na sequência da 2ª Guerra Mundial.

Agência Brasil

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Idosos em lares infetados vão mudar-se (e podem ir para outros concelhos)

Na sequência do aumento de números de casos confirmados de covid- 19 nos lares, o Governo pretende “encontrar equipamentos alternativos” para alojar idosos, em isolamento profilático e que não precisem de tratamento hospitalar, dentro ou …

Apesar da pandemia, juiz Carlos Alexandre marca sessões do caso Tancos para abril

O juiz Carlos Alexandre marcou o interrogatório do principal arguido do processo relativo ao furto das armas de Tancos, João Paulino, para dia 21 de abril. De acordo com um despacho datado de 1 abril, citado …

Conceição pode estar de saída. FC Porto pode dar 5 milhões por ano a Jesus

O treinador portista, Sérgio Conceição, pode estar de saída para a Alemanha. Como alternativa, o FC Porto está disposto a pagar 5 milhões de euros por ano a Jorge Jesus. Sérgio Conceição pode estar de saída …

Estado paga subsídio de refeição em teletrabalho. No privado, os patrões estão confusos

Mesmo à distância, os funcionários públicos mantêm o direito ao subsídio de refeição. No privado, a confusão mantém-se e os patrões estão divididos. De acordo com o secretário-geral da UGT, alguns patrões do privado estão a …

UEFA não quer campeonatos a seguir o exemplo belga

A UEFA reprovou a decisão da Liga de futebol da Bélgica que, esta quinta-feira, recomendou que se dê por terminada a época e se atribua o título ao Club Brugge.  Numa carta conjunta com a Associação de Clubes …

Boris Johnson em cheque. Desta vez, por causa da quantidade ínfima de testes

A pandemia de covid-19 está a ser um calvário político para Boris Johnson. O primeiro-ministro britânico tem sido alvo de várias críticas, sendo que a última tem a ver com a quantidade ínfima de testes …

EUA com pior recorde mundial diário de mortes. 10 milhões perderam o emprego

Os Estados Unidos registaram, esta quinta-feira, 1169 mortes em 24 horas causadas pela covid-19, o pior recorde mundial diário, de acordo com a contagem da Universidade Johns Hopkins. O número recorde de mortes em 24 horas …

Real Madrid sonda Maximiano. Sporting quer blindá-lo com cláusula de 60 milhões

O Real Madrid está atento a Luís Maximiano, o guarda-redes de 21 anos do Sporting. Os 'leões' querem blindar o jogador com uma cláusula de rescisão de 60 milhões de euros. O Real Madrid está interessado …

Lares britânicos recomendam idosos a assinar cláusula de "não-reanimação"

Lares britânicos recomendaram aos mais velhos que assinassem uma cláusula de "não-reanimação" para que as camas dos hospitais não fossem ocupadas por pessoas com uma menor probabilidade de sobreviver. No Reino Unido, surgem denúncias de que …

Costa admite segunda onda de covid-19. E dá 4 de maio como limite para normalizar ensino

Esta sexta-feira, em entrevista à Rádio Renascença, o primeiro-ministro disse que não é altura de se "baixar a guarda" e assegurou que a decisão mais difícil é a da reabertura das escolas. Para vencer esta batalha …