Já se sabe como é que os humanos em Marte vão comunicar com a Terra

A NASA vai acrescentar uma nova antena parabólica à sua Deep Space Network (DSN), equipada com espelhos e um recetor especial para permitir transmitir e receber lasers da sonda no espaço profundo.

A nova antena, chamada Deep Space Station-23 (DSS-23), faz parte de uma transição para uma comunicação mais rápida e eficiente, enquanto a NASA se prepara para um regresso à Lua em 2024 e para a primeira missão humana para Marte em meados da década de 2030.

O objetivo é simples: se a NASA vai enviar seres humanos para Marte, a agência espacial precisa de conseguir comunicar com os astronautas e – os lasers podem ajudar a garantir que os futuros marcianos tenham uma boa receção a 40 milhões de quilómetros da Terra.

A construção da antena de 34 metros começou esta semana na Califórnia, nos Estados Unidos. É apenas uma de uma variedade de antenas DSN, elevando o número total de antenas que ajudarão a transmitir mensagens por laser para e do espaço para 13. Atualmente, duas antenas semelhantes também estão em construção em Madrid, em Espanha.

“A DSN é a única linha telefónica da Terra para as nossas duas naves espaciais Voyager – ambas no espaço interestelar -, todas as nossas missões em Marte e a nave espacial New Horizons, que agora está muito além de Plutão”, disse Larry James, vice-diretor do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA, em comunicado. “Quanto mais exploramos, mais antenas precisamos para conversar com todas as nossas missões”.

A NASA usa as antenas DSN para comunicar com naves espaciais desde a década de 1960, enviando sinais para uma média de 30 naves espaciais por dia. As antenas transmitem e recebem ondas de rádio entre o controle terrestre e a nave espacial.

Embora as ondas de rádio tenham funcionado bem, têm sérias limitações. As ondas de rádio tendem a ficar mais fracas a longas distâncias e têm capacidade limitada. Para as Voyager, que estão muito longe da Terra, isto significa que os sinais para as suas antenas da Terra são muito fracos.

De acordo com o Inverse, lasers são feixes de luz infravermelha que viajam maiores distâncias no espaço e com muito mais potência do que as ondas de rádio.

NASA

“Os lasers podem aumentar a sua taxa de dados de Marte em cerca de dez vezes em comparação com rádio”, disse Suzanne Dodd, diretora da Rede Interplanetária, a organização que administra o DSN. “A nossa esperança é que o fornecimento de uma plataforma para comunicações óticas incentive outros exploradores espaciais a experimentar lasers em missões futuras”.

A NASA testou a comunicação a laser no espaço pela primeira vez no ano de 2013, transmitindo uma imagem da pintura de Mona Lisa para um satélite localizado a 386.000 quilómetros de distância da Terra. A famosa pintura de Leonardo da Vinci foi dividida numa matriz de 152 pixels por 200 pixels e cada pixel foi convertido num tom de cinza representado por um número entre 0 e 4.095. Cada um dos pixels foi transmitido por um pulso de laser disparado num dos 4.096 intervalos de tempo possíveis.

“Num futuro próximo, este tipo de comunicação a laser simples pode servir como um backup da comunicação por rádio que os satélites usam”, disse David Smith, do Instituto de Tecnologia de Massachusetts. “Num futuro mais distante, pode permitir a comunicação a taxas de dados mais altas do que o que os atuais ligações por rádio podem fornecer”.

A comunicação baseada em feixe de laser será posta à prova no ano de 2022, quando a NASA lançar a sua missão Psyche, que viajará para estudar um asteróide metálico que orbita o Sol entre Marte e Júpiter. O orbitador levará um terminal de teste de comunicação a laser a bordo, projetado para transmitir dados e imagens para um observatório no sul da Califórnia.

ZAP //

PARTILHAR

18 COMENTÁRIOS

  1. Vão pro alho com essa conversa de Humanos emMarte.
    É assassinar pessoas, mada~las para Marte! Não tem qualquer hipotese de sobrevivemcia, e também não tem qualquer futuro, não tem qualquer utilidade.
    Só está aqui em pano de fundo, facturar dinheiro de qualquer maneira, o desprezo pela raça humana.

    • Um tipo igual a si há 500 anos: “É assassinar pessoas mandá-las atravessar o oceano há procura de terras sabe-se lá onde! Não tem qualquer hipótese de sobrevivência, e também não tem qualquer futuro, não tem qualquer utilidade.” É de certeza o que muita gente pensava há 500 anos, quando a maioria da população provavelmente nascia, vivia e morria sem nunca sair da aldeia onde nasceu.

        • Não, não faltou argumento. Os velhos do Restelo de hoje, como o comentador a que respondi, são iguais aos de sempre. Têm vista curta e acham que nada vale a pena.

          • Concordo! O próprio Elon Musk advertiu que quem for a Marte tem que estar preparado para morrer. E acho que pessoas como ele fazem imensa falta ao Mundo. Sonhadores, empreendedores, perseverantes. Como o Infante D. Henrique que mudou a História. Tem riscos? Tem e são elevados! (“Ó mar salgado, quanto do teu sal são lágrimas de Portugal!”) Mas quem tem medo é melhor não sair da mediocridade do sofá porque a glória está reservada aos destemidos.

      • tu com certeza para lá não vais, nem PAGO!
        Mas, para os outros, excelente ideia, bestial, que giro, EU fico a “ver” de cá de baixo pela TV.
        Ir para Marte é identico a ir para Ausschwitz. Não faz qualquer sentido, irem para Marte, é uma viagem sem regresso.
        Há gajos que adoram pintar o Inferno de Cor-de-Rosa, mas para os “outros”, Os proprios não vão nessa.

      • Perfeito, É Assim, perfeito! Se a raça humana jamais tivesse se lançado à aventura e ao descobrimento, ainda estaríamos vivendo na África, berço da humanidade (pelo menos sob o ponto de vista da História oficial, já que sabemos que as coisas não foram bem assim). Graças aos navegadores destemidos que embarcaram em frágeis naus é que o Novo Continente foi revelado para o mundo. Vamos para Marte e outros planetas e, quiçá, para as estrelas. Deixemos as dúvidas e as fraquezas para os acomodados que não têm perspectiva de futuro.

    • Até certo ponto concordo, é mandar tudo o que seja Materialista / Marxista / Socialista para lá.
      Isso sim, seria perservar a Raça Humana, porque essa gente só está cá para DESTRUIR! São gente sem “Conhecimento” e que por via disso, andam aí aos Pulos e Saltos em cima das pessoas, a enganr e roubar.
      Até a UE eles já estão a “roer a corda” desde que o Furão Burroso esteve lá.

      • Exemplo da falta de “Conhecimento” está nqa China e o Coronavirus.
        A China o que faz é tudo copiado do estrangeiro, mas isso não dá “Conhecimento”.
        Nós não sabemos tudo, vamos aprendendo com o Tempo, e o “Conhecimento” actual evitaria o Coronavirus que é reusltado de condições de Higiene, Sanitárias que revelam total desconhecimento das implicacoes de más praticas.
        Como vè, a incuria do Desconhecimento pode levar à Extinção da Humanidade num abrir e fechar de Olhos.
        Segundo parece o virus sobrevive entre 10 a 28 dias em ambientes inertes.
        Esperemos que o “Vento” não o espalhe pelo Mundo.
        Os Materialistas , burros como são, tudo para eles neste Mundo é um “mero negocio”, do “Puxa a brasa a sua sardinha”

  2. Eu também sei…a partir de estúdio na terra…de um deserto na terra…da Antárctida…etc… enfim..fantasias e pior, como já disseram acima para ficarem com o dinheiro investido na farsa…

  3. Eu vou a Marte só não prometo é revelar o local onde vai ser feito o cenário de Marte aqui na terra que toda a gente vai achar que lá chegaram e no fundo nem tiram os pés daqui como sempre metem um foguetão no ar para parecer bem e bum milhões de visualizações e montes de dinheiro nos bolsos deles os burros somos sempre nós que acreditamos.

RESPONDER

Siza Vieira admite aulas por canais "estilo youtube" ou TV por cabo

O Governo está a estudar soluções que garantam que todos os alunos têm acesso aos conteúdos educativos no terceiro período, adiantou o ministro da Economia. O Governo está a estudar soluções que garantam que todos os …

Retificação ao diploma do lay-off simplificado trava despedimentos

Uma retificação ao diploma inicial do ‘lay-off’ simplificado, hoje publicada, vem acautelar que nenhum trabalhador de empresas que recorra a este apoio pode ser alvo de despedimento coletivo ou extinção de posto de trabalho. O decreto-lei …

Rocha desafia teoria da escassez de oxigénio na Terra primitiva

Uma rocha sedimentar única rica em carbono, depositada há dois mil milhões de anos, deu aos cientistas novas pistas sobre as concentrações de oxigénio na superfície da Terra nessa época. De acordo com a agência Europa Press, …

As bactérias formam comunidades na nossa língua (e uma imagem revela como)

Cientistas norte-americanos descobriram que as bactérias que vivem na nossa língua têm uma organização complexa e altamente estruturada. Os micro-organismos estão em toda a parte - até no interior da nossa boca. Um novo estudo revela …

Como sobreviver ao isolamento? Astronautas explicam

Em todo o mundo, cidades e até países inteiros estão em quarentena como forma de travar a propagação do novo coronavírus, Covid-19. Alguns astronautas deixaram conselhos sobre como sobreviver ao isolamento. Para alguns, o auto isolamento …

"Indiana Jones do mundo da arte" recupera manuscrito do poeta persa Hafez

Uma das primeiras cópias do reverenciado Divan do autor do século XIV Hafez, iluminado com ouro, será leiloado no início de abril. O famoso poeta persa do século XIV, Hafez, escreveu uma coleção de versos místicos …

O palco onde os Beatles atuaram pela primeira vez está à venda

O palco de madeira onde os Beatles atuaram pela primeira vez está à venda. Agora, alguém poderá replicar o primeiro concerto da famosa banda. A 10 de abril, em comemoração dos 50 anos da separação da …

Células estaminais podem ajudar a proteger os astronautas da radiação espacial

Assim que os astronautas deixam a proteção do campo magnético da Terra, ficam automaticamente expostos a níveis elevados de radiação cósmica. A Agência Espacial Europeia (ESA) está cada vez mais focada em investigações para reduzir …

Pandemia pode trazer nova geração de robôs capazes de realizarem tarefas perigosas

A pandemia de Covid-19 pode trazer uma nova geração de robôs capazes de realizarem tarefas perigosas como limpeza de superfícies infetadas ou vigiar pessoas em quarentena, afirmam esta quarta-feira alguns dos principais investigadores internacionais em …

Multimilionários refugiam-se da Covid-19 a bordo de iates

Vários multimilionários têm procurado refugiar-se da pandemia de Covid-19, que nasceu em dezembro passado na China, em alto mar, a bordo de iates de luxo. Em declarações ao jornal The Telegraph, Jonathan Beckett, executivo da …