/

“AI Jesus”. Inteligência Artificial já consegue escrever profecias religiosas sombrias

1

O novo algoritmo, batizado de AI Jesus, foi treinado exclusivamente com a Bíblia King James, a versão inglesa desenvolvida para a Igreja Anglicana.

O engenheiro George Davila Durendal desenvolveu um algoritmo capaz de escrever “textos bíblicos”. A ferramenta, batizada de AI Jesus, aprendeu a linguagem da Bíblia King James, uma versão inglesa das escrituras, para escrever textos inéditos no mesmo estilo.

De acordo com o Futurism, esta inteligência artificial aprendeu a linguagem humana e absorveu cada palavra do livro sagrado. Segundo Durendal, trata-se de “um modelo de processamento de linguagem natural que tenta replicar o estilo da Bíblia King James, sem a copiar inteiramente”.

Depois de ser treinada, a máquina foi desafiada a criar textos inéditos sobre três temas: “A praga”, “César” e “O fim dos tempos”.

Apesar de o texto estar cheio de falhas características de textos escritos por IA – como o uso excessivo de determinados termos, como “Senhor”, – algumas passagens são coerentes e parecem bizarras profecias do fim do mundo.

O programador destacou um trecho da passagem “A Praga”: “Ó Senhor dos Exércitos, Deus de Israel; Quando eles virem o anjo do Senhor acima de todos os irmãos que estavam no deserto, os soldados dos profetas se envergonharão dos homens”.

Já na escritura dedicada a “O Fim dos Dias”, a Inteligência Artificial escreveu: “E quando eles saíram do mundo vindouro, ouviu-se uma voz dentre os mortos da cidade de Saul”.

Comparado a algoritmos sofisticados de escrita como o GPT-2 e o GROVER, AI Jesus é um retrocesso. No entanto, não é justo culpar um algoritmo que só conhece escrituras centenárias por usar excessivamente a palavra “Senhor”.

O texto algorítmico com aproximadamente 30 mil palavras pode ser consultado no Github.

  ZAP //

1 Comment

  1. E essa inteligência artificial não consegue “botar” aqui a chave do próximo concurso do euromilhões, carvalho?!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.