Inteligência artificial já sabe fazer bluff e ganhar um jogo de póquer

Em janeiro, um programa de computador criado por dois investigadores norte-americanos, o Libratus, provou ser capaz de vencer os melhores do mundo no póquer. Agora, quase um ano depois, os investigadores revelam como foi possível.

Segundo o estudo publicado domingo na revista Science, a aprendizagem do Libratus baseia-se em três módulos. O estágio inicial baseia-se em ensinar uma versão simplificada do jogo, fazendo com que o sistema considere 10161 hipóteses possíveis de decisão.

Após a primeira fase, o sistema é capaz de criar um mapa estratégico para seguir. Depois, o programa aprende a partir de jogadas que não estão inseridas na versão simplificada do póquer. Já o terceiro módulo dedica-se ao “auto-aperfeiçoamento”, mas sem se aproveitar das fraquezas do adversário.

“Geralmente, em jogos, a inteligência artificial aprende a basear-se no jogo do adversário e encontrar falhas na sua estratégia (por exemplo, abandonar demasiadas rodadas) e explorar esses erros”, lê-se no estudo. “O problema é que ao explorar os oponentes, a inteligência artificial abre-se a ser, ela mesma, enganada”.

Segundo o Público, o terceiro módulo analisa o tamanho das apostas dos adversários para, assim, detetar possíveis “buracos na estratégia” e saber se estão a fazer bluff.

Em suma, o Libratus aprende a arte de fazer bluff – ao apresentar jogadas de forma aleatória para confundir os oponentes – e interpreta a informação enganosa para conseguir ganhar o jogo.

Tuomas Sandholm, professor de ciências da computação da Universidade de Carnegie Mellon, e Noam Brown, estudante de doutoramento no mesmo departamento, afirmam que este foi um verdadeiro desafio, mas foi assim que se tornou possível o computador vencer quatro dos melhores jogadores do mundo num torneio de 20 dias.

A inteligência artificial já venceu em vários jogos de estratégia, como o Go, mas o póquer é uma área muito mais complicada por esconder certos elementos. Ao contrário do póquer, “nos sistemas de informação perfeita, ambos os jogadores sabem o estado do jogo a qualquer ponto”, explicam os autores do relatório.

Este é um importante avanço para o futuro e difusão das aplicações de inteligência artificial. Conforme afirmam os investigadores, “as técnicas que desenvolvemos podem ser utilizadas noutros sistemas de informação, incluindo aplicações que não são meramente recreativas”.

ZAP //

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. O ser humano é burro que nem uma porta! Brincamos com estas coisas e pode ser que um dia, sejamos extintos por causa disto! Isto pode ser o principio do fim…Agora vão algumas pessoas pensar: ah, que disparate que ele escreve!” Deus queira que seja mesmo um disparate! Oxalá esteja enganado, mas que pode ser o principio do fim lá isso pode!

    • Pois quando falo no Terminator, há gente que ainda deve soltar umas gargalhadas, quando na verdade falo muito a sério.
      Procure por “The Threat from Artificial Intelligence” Corey Goode. Aviso já que pode ser ainda mais assustador do que aquilo que você já pensa saber… Nunca deveríamos ter começado a brincar com essa coisa, agora já temos por aí muita gente infetada com o vírus da IA.

  2. Não percebo porque não publicam certos comentários meus. Outros aparecem na hora!…
    Não ofendi ninguém. Será que toquei nalgum assunto “censurado”?!… Vamos ver se publicam a minha resposta ao Pedro…

Rochas antigas de Vénus apontam para origem vulcânica

Uma equipa internacional de investigadores descobriu que alguns dos terrenos mais antigos de Vénus, conhecidos como "tesserae", têm camadas que parecem consistentes com atividade vulcânica. A descoberta pode fornecer informações sobre a enigmática história geológica …

Na África do Sul, há uma associação entre violência sexual e gravidez indesejada

Na África do Sul, as meninas que sofreram violência sexual têm maior probabilidade de relatar uma gravidez indesejada em comparação com aquelas que nunca sofreram violência sexual. Na África do Sul, a taxa de gravidez na …

Hackers russos associados ao ataque em hospital alemão que resultou na morte de uma paciente

O ataque informático num hospital alemão na semana passada, que resultou na morte de uma paciente em estado crítico, pode ter sido causado por um grupo russo com ligações ao crime cibernético. A informação é …

Paços 0-2 Sporting | “Leão” competente estreia-se com triunfo

Após o adiamento do jogo da primeira jornada ante o Gil Vicente, devido a vários casos de Covid-19 nas duas equipas, o Sporting estreou-se na Liga NOS 2020/21 e não vacilou. Na visita ao Paços de …

Medicamentos para a tensão arterial diminuem mortalidade em doentes com covid-19

Um estudo de meta-análise concluiu que medicamentos para a tensão arterial, ao contrário do que se pensava, reduzem a mortalidade em pacientes com covid-19. No início da pandemia, havia a preocupação de que certos medicamentos para …

A ilha mais povoada do Hawai pode perder 40% das suas praias até 2050

A subida do nível das águas do mar pode fazer com que a ilha mais povoada do Havai perca 40% das suas praias, alerta uma nova investigação. Em causa está a ilha de Oahu, a …

Pela primeira vez em 10 anos, a Wikipédia vai mudar de aparência

A icónica Wikipédia vai, pela primeira vez em 10 anos, ser modificada para tornar o site mais acessível - e menos "assustador" - para novos utilizadores. A Wikipédia tem sido parte integrante da cultura da web …

Encontrados medicamentos ilegais em suplementos para o cérebro

Cientistas encontraram medicamentos ilegais, não aprovados nos Estados Unidos, em suplementos que alegadamente melhoram o desempenho cognitivo. Clareza mental, criatividade aprimorada e uma memória extremamente nítida são algumas das promessas feitas a quem compra suplementos de …

Voluntários oferecem-se para cumprir pena de jovem acusado de blasfémia

Num ato de solidariedade, 120 voluntários pediram para cumprir a pena de um jovem nigeriano condenado a 12 anos de prisão por blasfémia. Entre os voluntários está o diretor do Memorial de Auschwitz. Ao todo, 120 …

ADN ajuda a identificar assassino em série num dos mais infames casos da Austrália

Uma amostra de ADN ajudou a justiça australiana a considerar um homem como culpado pelo assassinato de duas mulheres na década de 1990, encerrando um caso que permaneceu sem solução durante quase 25 anos. Durante quase …