Inteligência Artificial desenvolvida pela Google aprendeu a andar sozinha

A empresa de inteligência artificial da Google, DeepMind, desenvolveu uma Inteligência Artificial que aprendeu sozinha a andar, correr, saltar e escalar, sem nenhuma orientação prévia.

Para tal, os cientistas do Google usaram uma aprendizagem de reforço, a prática de ensinar e orientar o comportamento através um sistema em que o comportamento desejável produz recompensas e o comportamento indesejável não.

No seu nível mais básico, o sistema funciona da seguinte forma: quanto mais rápido a Inteligência Artificial se movimenta através do terreno, maiores são as recompensas, sendo que foram adicionados incentivos e penalidades em níveis mais complexos.

Foram utilizadas três figuras diferentes em três ambientes diferentes, com níveis de complexidade variáveis: o “caminhante planar”, o “quadrúpede” e o “humanóide”.

A DeepMind utiliza soluções criativas para contornar os obstáculos apresentados mas, na maioria das vezes, o movimento que fornece a solução mais eficiente não possui um aspecto exactamente natural.

Um dos três estudos publicados pela empresa foca-se na definição do objetivo e descreve uma rede neural capaz de ensinar máquinas a navegar por percursos complexos usando um objetivo muito simples: o progresso horizontal.

Como os agentes tinham apenas o objetivo de ultrapassar os obstáculos e não instruções específicas sobre como se devem mover, o sistema de aprendizagem pode ser usado para agentes de qualquer tipo – desde aqueles que imitam comportamento humano, até outros tipos de robôs, como a aranha.

Mas, como não recebem instruções detalhadas, as Inteligências Artificiais podem desenvolver métodos extremamente ineficientes de se movimentar. Por isso, o segundo estudo realizado pela Deep Mind pretende usar de dados de captura de movimentos de humanos a andar para ensinar as máquinas a andar correctamente.

No entanto, as maneiras estranhas de andar que os robôs desenvolvem podem ser úteis em algumas situações, portanto o terceiro estudo divulgado pela empresa foca-se na transição entre comportamentos diferentes.

Para tal, a DeepMind criou um modelo que permite que os sistemas aprendam a imitar comportamentos observados. Assim, se um dos sistemas aprende, por exemplo, a andar em percursos inclinados, o outro consegue aprender a mesma coisa ao observar o primeiro. E não só: o robô também consegue entender quando tem de mudar de comportamento.

Os estudos foram elaborados com base em simulações mas, segundo os especialistas, a existência dos modelos de aprendizagem que permitem ensinar este tipo de movimentos a Inteligências Artificiais é um avanço muito importante.

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Guia de descontos para uma Black Friday em grande

O conceito começou por ser uma referência ao colapso da Bolsa de Valores de Nova Iorque, em 1929. Mas a Black Friday como hoje a conhecemos só surgiu nos anos 60, quando o setor do …

Morreu o actor João Ricardo

O actor e encenador João Ricardo, 53 anos, morreu esta quinta-feira, em Lisboa, disse à Lusa a agência do actor. O actor João Ricardo, conhecido pelo seu trabalho na televisão, no teatro e no cinema, nasceu …

Chegou à Finlândia o pão feito com farinha de grilo

Uma das maiores empresas de produtos alimentares da Finlândia vai começar a vender pão de insetos, no qual grilos comuns são moídos e acrescentados à farinha normal, representando cerca de 3% do peso de cada …

39 anos por um crime que não cometeu. Finalmente livre

Craig Coley, agora com 70 anos, cumpria pena de prisão perpétua pela autoria de dois homicídios em 1978. No entanto, 39 anos depois, a sua inocência foi provada e o norte-americano foi libertado. O governador da …

Neutralidade da Internet em jogo nos EUA. Portugal é mau exemplo

A administração Trump quer reverter o princípio do livre acesso a qualquer tipo de conteúdo na Internet. Jornais internacionais apontam Portugal como exemplo de falta de neutralidade. Os Estados Unidos da América vão votar o fim …

Trabalhadores do privado voltam a receber subsídios de Natal e de férias por inteiro

O pagamento dos subsídios de Natal e de férias no setor privado vai deixar de ser feito parcialmente em duodécimos e voltará a ser feito de uma só vez, em 2018, depois da aprovação de …

O milionário que matou o Gawker quer os restos do cadáver

Os advogados do vingativo milionário Peter Thiel apresentaram, esta semana, uma ação para contestar uma previdência cautelar que o impede de comprar os ativos do já "adormecido" Gawker. Em causa, estão os arquivos de 14 …

Governo quer terrenos privados limpos até 15 de março

Os proprietários privados têm "até 15 de março" para limpar as áreas envolventes às casas isoladas, aldeias e estradas e, se não o fizeram, os municípios terão "até ao final de maio" para proceder a …

Uma explosão, segredos de Estado e rumores, mas ainda não há sinal do submarino

As buscas pelo submarino argentino ARA San Juan, que está desaparecido há oito dias, entraram numa fase crítica, quando as esperanças de encontrar a tripulação viva estão praticamente esgotadas. Sem pistas sobre o submarino, há …

Bancos aumentaram ganhos com as comissões pagas pelos clientes

A banca nacional facturou 1,62 mil milhões de euros em comissões líquidas, pagas pelos clientes, desde Janeiro até Setembro de 2017. Um valor que reflecte uma subida de 5,7% relativamente a 2016. Estes dados são avançados …