Inteligência Artificial desenvolvida pela Google aprendeu a andar sozinha

A empresa de inteligência artificial da Google, DeepMind, desenvolveu uma Inteligência Artificial que aprendeu sozinha a andar, correr, saltar e escalar, sem nenhuma orientação prévia.

Para tal, os cientistas do Google usaram uma aprendizagem de reforço, a prática de ensinar e orientar o comportamento através um sistema em que o comportamento desejável produz recompensas e o comportamento indesejável não.

No seu nível mais básico, o sistema funciona da seguinte forma: quanto mais rápido a Inteligência Artificial se movimenta através do terreno, maiores são as recompensas, sendo que foram adicionados incentivos e penalidades em níveis mais complexos.

Foram utilizadas três figuras diferentes em três ambientes diferentes, com níveis de complexidade variáveis: o “caminhante planar”, o “quadrúpede” e o “humanóide”.

A DeepMind utiliza soluções criativas para contornar os obstáculos apresentados mas, na maioria das vezes, o movimento que fornece a solução mais eficiente não possui um aspecto exactamente natural.

Um dos três estudos publicados pela empresa foca-se na definição do objetivo e descreve uma rede neural capaz de ensinar máquinas a navegar por percursos complexos usando um objetivo muito simples: o progresso horizontal.

Como os agentes tinham apenas o objetivo de ultrapassar os obstáculos e não instruções específicas sobre como se devem mover, o sistema de aprendizagem pode ser usado para agentes de qualquer tipo – desde aqueles que imitam comportamento humano, até outros tipos de robôs, como a aranha.

Mas, como não recebem instruções detalhadas, as Inteligências Artificiais podem desenvolver métodos extremamente ineficientes de se movimentar. Por isso, o segundo estudo realizado pela Deep Mind pretende usar de dados de captura de movimentos de humanos a andar para ensinar as máquinas a andar correctamente.

No entanto, as maneiras estranhas de andar que os robôs desenvolvem podem ser úteis em algumas situações, portanto o terceiro estudo divulgado pela empresa foca-se na transição entre comportamentos diferentes.

Para tal, a DeepMind criou um modelo que permite que os sistemas aprendam a imitar comportamentos observados. Assim, se um dos sistemas aprende, por exemplo, a andar em percursos inclinados, o outro consegue aprender a mesma coisa ao observar o primeiro. E não só: o robô também consegue entender quando tem de mudar de comportamento.

Os estudos foram elaborados com base em simulações mas, segundo os especialistas, a existência dos modelos de aprendizagem que permitem ensinar este tipo de movimentos a Inteligências Artificiais é um avanço muito importante.

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Descobertas oito novas fontes de Explosões Rápidas de Rádio vindas do Espaço

As Explosões Rápidas de Rádio (Fast Radio Bursts, FRBs) são dos enigmas mais intrigantes da astronomia moderna. Estes sinais de rádio, por norma, duram milésimos até desaparecer, mas alguns repetem-se de forma irregular. Desde a descoberta …

Cientista americana diz estar certa de que a Terra será atingida por asteroide

https://vimeo.com/355132338 Uma cientista americana de uma ONG dedicada a proteger a Terra diz que é 100% certo que um asteroide atingirá o nosso planeta. A cientista é Danica Remy, presidente da Fundação B612. Após um asteroide não …

NASA vai mesmo explorar Europa, a lua de Júpiter que pode ter vida extraterrestre

A NASA deu luz verde a uma missão para explorar uma lua de Júpiter que é considerada um dos melhores candidatos para a vida extraterrestre. A Europa - que é um pouco mais pequena do que …

País de Gales cancela plano controverso de criar "casas de banho robô"

O objetivo da construção era impedir atividade sexual, vandalismo e dormidas nas casas de banho públicas. O projeto ia recorrer às tecnologias de piso sensível ao peso, jatos de água, sensores anti-movimento e alarmes. O conselho …

Sem saber, uma mulher viveu durante 17 anos com a sua "gémea" dentro dela

Uma jovem na Índia, sem saber, viveu com uma das condições médicas mais raras e perturbadoras durante quase duas décadas. De acordo com um relatório de caso desta semana, a mulher tinha um saco que continha …

Novo filme da saga 007 já tem nome e data de estreia marcada

O novo filme da saga 007, realizado por Cary Fukunaga chama-se "No time to die" e estreia-se no Reino Unido e nos Estados Unidos em abril de 2020. "Daniel Craig regressa como James Bond, 007 em... …

Comporta pode tornar-se na nova Ibiza (e tudo começou com a queda do BES)

Após anos de um quase esquecimento, em termos de desenvolvimento imobiliário, a Comporta está a atrair investidores internacionais que encaram a pequena vila de Setúbal como uma "nova Ibiza". Um cenário que está a preocupar …

Família de Aretha Franklin cria fundo para a investigação de cancro raro

Um ano após a morte da cantora, a família de Aretha Franklin criou um fundo de apoio à investigação na área dos tumores neuroendócrinos, a doença rara que se revelou fatal para a celebridade, a …

Sporting vai monitorizar tudo o que se diz e escreve sobre jogadores

A empresa Noisefeed tem uma enorme base de dados relativa à atividade nas redes sociais de milhares de jogadores a nível global. Os jogadores de futebol de todo o mundo usam, cada vez mais, as redes …

Boris janta hoje com Merkel para mudar acordo. Maioria quer novo referendo

A pouco mais de dois meses da data marcada para a saída do Reino Unido da União Europeia, uma nova sondagem mostra que a maioria dos britânico quer que qualquer novo acordo vá a referendo. Um …