/

Cientistas chineses inspiram-se nas abelhas para dar nova forma a aviões

Uma equipa de cientistas chineses está a desenhar um novo protótipo de um avião inspirado no funcionamento do corpo das abelhas, que reduzirá o consumo de combustível, anunciou a agência oficial Xinhua.

“Inspirámo-nos na estrutura do abdómen da abelha, que lhe permite dobrar-se livremente e controlar a direção do voo”, explicou o desenhador, Hu Guotun, da China Academy of Launch Vehicle Technology (CALT), organismo equivalente ao Laboratório de Propulsão a Jato na norte-americana NASA.

Com base na estrutura flexível do abdómen da abelha, os cientistas da CALT desenharam um cone frontal para o avião que muda em diferentes etapas do voo.

Esta estrutura “proporciona uma forma eficiente para que os veículos aeroespaciais reduzam a resistência aerodinâmica e poupem combustível, o que é de grande importância para o mercado aeroespacial comercial”, disse Hu.

Segundo explicou, estes aviões viajam através da atmosfera até ao espaço para depois regressarem à atmosfera e, no processo de reentrada, a aeronave utilizará o seu próprio deslizamento em inércia durante um período de tempo.

Através da simulação, descobriram que o cone pode reduzir a resistência aerodinâmica em mais de 20%.

CALT

Concepção artística do avião espacial Chinês que está sendo desenvolvido pela CALT

Em 2016, a instituição sediada em Pequim, na China, anunciou que planeia lançar em 2020 a maior nave espacial do mundo, um híbrido de um foguete e um suave avião, e que já tem um projeto em andamento. A nave poderá transportar até 20 turistas espaciais.

Ao contrário da SpaceShipTwo da Virgin Galactic, que requer que o veículo de passageiros seja transportado por uma outra aeronave, o projeto do foguete do governo chinês irá descolar por conta própria.

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.