Inquérito revela hiato de 36 minutos entre alerta e combate ao incêndio no Túnel do Marão

O inquérito ao incêndio num autocarro dentro do Túnel do Marão revela um “hiato temporal” de “36 minutos” entre o alerta e o início do combate e aconselha uma revisão dos procedimentos para agilizar a chegada dos meios.

Um autocarro de passageiros ardeu a 11 de junho de 2017 dentro do Túnel do Marão, inserido na Autoestrada 4 (A4), que liga Amarante a Vila Real, e na sequência do incidente o secretário de Estado da Proteção Civil ordenou a realização de um inquérito pela Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

O documento, a que a agência Lusa teve acesso, aponta algumas lacunas e faz recomendações a nível, por exemplo, da revisão dos planos de Emergência e de Intervenção dentro da infraestrutura, que totaliza 5.665 metros.

Do incêndio não resultaram feridos, mas o autocarro ardeu integralmente, a infraestrutura rodoviária sofreu danos significativos e teve que ficar encerrada ao trânsito durante alguns dias.

As conclusões do inquérito revelam que se verificou um “significativo hiato temporal”, de “36 minutos”, que mediou entre o alerta da ocorrência e o início da ação de combate ao incêndio.

O início da ocorrência foi registado às 20h30, tendo sido acionadas corporações de Amarante e Vila Meã, porque o incidente ocorreu na galeria sul, e os meios apenas chegaram ao local às 20h57.

A ação de combate ao fogo começou às 21h06 e não antes devido, segundo o relatório, “à necessidade de prévias ações de reconhecimento e montagem de equipamentos“. O fogo no autocarro foi, depois, extinto em “dois minutos e 36 segundos”.

O documento refere que é “indispensável rever os procedimentos em ordem a garantir uma mais célere resposta dos meios despachados para o local” e considera que o posto de controlo, localizado junto à saída de Amarante, deveria ser reaberto para fazer uma ligação operacional, a articulação, assistência, intervenção e apoio com os agentes de proteção e socorro.

Este centro foi desativado e transferido para as instalações da Infraestruturas de Portugal (IP), em Almada.

O relatório classifica esta questão como “pertinente”, já que o centro de controlo acessível aos intervenientes no teatro de operações poderia ter permitido visualizar as imagens do túnel, tanto mais porque se “constatou que, aquando da respetiva chegada ao local, a ação dos agentes foi atrasada devido às dificuldades de visualização provocadas pelo excessivo fumo proveniente do interior”.

Embora o Plano Prévio de Intervenção (PPI), da responsabilidade da ANPC, e do Plano de Emergência Interno (PEI), da IP, sejam considerados “documentos exaustivos”, o relatório salienta a adoção de “medidas concretas tendentes a agilizar a chegada dos meios ao local e o início da respetiva atuação”.

O documento aponta que as equipas das Unidades Móveis de Intervenção e Apoio (UMIA), cuja atuação está prevista no Plano de Emergência Interno, “levaram muito tempo a chegar ao emboquilhamento (três minutos e oito segundos)” e “não fizeram o procedimento de primeira intervenção”.

Ouvidas durante o inquérito, estas equipas declararam que não se aproximaram do veículo sinistrado nem realizaram este procedimento devido “à dimensão do incêndio e por questões de segurança”.

O documento acrescenta que é preciso “aperfeiçoar os procedimentos previstos em matéria de evacuação, mormente em ordem a definir quem acompanha e coordena o grupo de utentes a evacuar (chefe de fila), quem segue em último lugar no grupo, bem como a prever a identificação de todos os utentes e verificar se foram todos evacuados para local seguro”. Procedimentos que “não se verificaram nesta situação”.

O relatório destaca que quando o Centro Distrital de Operações de Socorro tentou contactar o representante da Infraestruturas de Portugal (IP), indicado no Plano Prévio de Intervenção, verificou que o número de telefone estava errado.

Num primeiro momento, a função de comandante de operações de socorro (COS) foi assumida por uma bombeira, condutora da ambulância da corporação de Amarante, tendo sido posteriormente assumida pelo comandante da corporação.

O relatório não coloca em causa o desempenho da bombeira, mas refere que, se o incidente tivesse provocado danos materiais, estaria “seguramente empenhada em outras tarefas”.

Em despacho publicado na quinta-feira, em Diário da República, o Governo determinou a revisão “com urgência” e até “31 de março” dos planos de Emergência Interno do e de Intervenção no Túnel do Marão, ainda a elaboração de um Plano de Prevenção e a posterior realização de um simulacro de incêndio.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Advogados ligados à PLMJ contestam interesse público de revelações de Rui Pinto

A invocação de interesse público dos documentos e das informações expostas por Rui Pinto na Internet foi contestada, esta quarta-feira, por advogados ligados à sociedade PLMJ, na 18.ª sessão do julgamento do processo "Football Leaks". Na …

Microempresas do turismo do Norte com maior adesão a apoios

As microempresas de turismo do Norte foram as que mais dinheiro receberam da linha de apoio à tesouraria criada em resposta ao impacto da pandemia nesse setor, ficando com 29,3% (15,3 milhões de euros) do …

Migrantes marroquinos "desesperados e assustados" em greve de fome. Entre eles está uma mulher grávida

Seis dos migrantes marroquinos que chegaram ilegalmente em setembro estiveram em greve de fome, entre os quais uma grávida. Dizem não serem autorizados a falar com as famílias há mais de 40 dias. O protesto é …

TAP precisa de mais de 100 milhões por mês até final de 2020

O Plano de Tesouraria da TAP para 2020 revela que a empresa precisa, em média, mais de 100 milhões de euros por mês até ao final do ano para suprir as necessidades de liquidez. De acordo …

Fafe declara estado de emergência municipal devido à "rapidez" da propagação da covid-19

O concelho de Fafe está em estado de emergência municipal devido à “evolução grande” do número de infetados com o novo coronavírus e à “rapidez” da propagação, anunciou o presidente da Câmara. Em vídeo publicado nas …

Ameaça iminente. FBI alerta que hackers vão atacar sistema de saúde dos Estados Unidos

O Departamento Federal de Investigação (FBI) e duas agências federais anunciaram que cibercriminosos estão a desencadear um grande ataque de resgate contra o sistema de saúde dos Estados Unidos. Num alerta conjunto, o FBI e duas …

Multidão para ver ondas gigantes na Nazaré. Câmara corta acesso ao Farol

A Câmara e a Capitania da Nazaré decidiram cortar o acesso pedonal à estrada do Farol, para conter a excessiva concentração de público que assiste às ondas gigantes e garantir condições de segurança, informou o …

"Os números falam por si". Fauci critica reação dos Estados Unidos à pandemia e politização das máscaras

O principal epidemiologista norte-americano, Anthony Fauci, criticou a política errática do Governo do Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, em relação à covid-19, e lamentou o escasso uso de máscaras devido a motivações políticas. Durante uma …

Turistas podem circular entre concelhos apesar das restrições

Apenas os turistas estão autorizados a circular entre concelhos, apesar das restrições que vigoram entre 30 de outubro e 3 de novembro, indicou a AHRESP, citando um esclarecimento do Executivo. Segundo o esclarecimento enviado pelo gabinete …

É preciso esforço grande agora para salvar o Natal, alerta Santos Silva

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, disse esta quarta-feira ser necessário “um esforço muito grande” para travar a propagação do coronavírus ” para salvar o Natal” das famílias dos cerca de 5 milhões …