Inquérito revela hiato de 36 minutos entre alerta e combate ao incêndio no Túnel do Marão

O inquérito ao incêndio num autocarro dentro do Túnel do Marão revela um “hiato temporal” de “36 minutos” entre o alerta e o início do combate e aconselha uma revisão dos procedimentos para agilizar a chegada dos meios.

Um autocarro de passageiros ardeu a 11 de junho de 2017 dentro do Túnel do Marão, inserido na Autoestrada 4 (A4), que liga Amarante a Vila Real, e na sequência do incidente o secretário de Estado da Proteção Civil ordenou a realização de um inquérito pela Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

O documento, a que a agência Lusa teve acesso, aponta algumas lacunas e faz recomendações a nível, por exemplo, da revisão dos planos de Emergência e de Intervenção dentro da infraestrutura, que totaliza 5.665 metros.

Do incêndio não resultaram feridos, mas o autocarro ardeu integralmente, a infraestrutura rodoviária sofreu danos significativos e teve que ficar encerrada ao trânsito durante alguns dias.

As conclusões do inquérito revelam que se verificou um “significativo hiato temporal”, de “36 minutos”, que mediou entre o alerta da ocorrência e o início da ação de combate ao incêndio.

O início da ocorrência foi registado às 20h30, tendo sido acionadas corporações de Amarante e Vila Meã, porque o incidente ocorreu na galeria sul, e os meios apenas chegaram ao local às 20h57.

A ação de combate ao fogo começou às 21h06 e não antes devido, segundo o relatório, “à necessidade de prévias ações de reconhecimento e montagem de equipamentos“. O fogo no autocarro foi, depois, extinto em “dois minutos e 36 segundos”.

O documento refere que é “indispensável rever os procedimentos em ordem a garantir uma mais célere resposta dos meios despachados para o local” e considera que o posto de controlo, localizado junto à saída de Amarante, deveria ser reaberto para fazer uma ligação operacional, a articulação, assistência, intervenção e apoio com os agentes de proteção e socorro.

Este centro foi desativado e transferido para as instalações da Infraestruturas de Portugal (IP), em Almada.

O relatório classifica esta questão como “pertinente”, já que o centro de controlo acessível aos intervenientes no teatro de operações poderia ter permitido visualizar as imagens do túnel, tanto mais porque se “constatou que, aquando da respetiva chegada ao local, a ação dos agentes foi atrasada devido às dificuldades de visualização provocadas pelo excessivo fumo proveniente do interior”.

Embora o Plano Prévio de Intervenção (PPI), da responsabilidade da ANPC, e do Plano de Emergência Interno (PEI), da IP, sejam considerados “documentos exaustivos”, o relatório salienta a adoção de “medidas concretas tendentes a agilizar a chegada dos meios ao local e o início da respetiva atuação”.

O documento aponta que as equipas das Unidades Móveis de Intervenção e Apoio (UMIA), cuja atuação está prevista no Plano de Emergência Interno, “levaram muito tempo a chegar ao emboquilhamento (três minutos e oito segundos)” e “não fizeram o procedimento de primeira intervenção”.

Ouvidas durante o inquérito, estas equipas declararam que não se aproximaram do veículo sinistrado nem realizaram este procedimento devido “à dimensão do incêndio e por questões de segurança”.

O documento acrescenta que é preciso “aperfeiçoar os procedimentos previstos em matéria de evacuação, mormente em ordem a definir quem acompanha e coordena o grupo de utentes a evacuar (chefe de fila), quem segue em último lugar no grupo, bem como a prever a identificação de todos os utentes e verificar se foram todos evacuados para local seguro”. Procedimentos que “não se verificaram nesta situação”.

O relatório destaca que quando o Centro Distrital de Operações de Socorro tentou contactar o representante da Infraestruturas de Portugal (IP), indicado no Plano Prévio de Intervenção, verificou que o número de telefone estava errado.

Num primeiro momento, a função de comandante de operações de socorro (COS) foi assumida por uma bombeira, condutora da ambulância da corporação de Amarante, tendo sido posteriormente assumida pelo comandante da corporação.

O relatório não coloca em causa o desempenho da bombeira, mas refere que, se o incidente tivesse provocado danos materiais, estaria “seguramente empenhada em outras tarefas”.

Em despacho publicado na quinta-feira, em Diário da República, o Governo determinou a revisão “com urgência” e até “31 de março” dos planos de Emergência Interno do e de Intervenção no Túnel do Marão, ainda a elaboração de um Plano de Prevenção e a posterior realização de um simulacro de incêndio.

Lusa // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Brasil recomenda adiar gravidez até a pandemia melhorar

O Brasil recomendou as mulheres do país a ponderarem o adiamento da gravidez durante a pandemia de covid-19. Em causa está a estirpe brasileira (P.1), que poderá ser mais agressiva em gestantes. O Governo brasileiro recomendou, …

Operação Marquês. Julgamentos de Salgado e Vara já têm juízes

Ricardo Salgado, ex-presidente do BES, vai ser julgado pelo coletivo presidido por Francisco Henriques, e Armando Vara, ex-ministro socialista, terá Rui Coelho como juiz. O juiz Ivo Rosa mandou esta sexta-feira para julgamento as acusações contra …

Arranca este sábado vacinação de quase 170 mil professores e não docentes

Este fim de semana, cerca de 170 mil professores e funcionários dos 2.º e 3.º ciclos do ensino básico e do secundário, trabalhadores das chamadas “respostas sociais”, que incluem creches, centros de atividades ocupacionais e …

Com o PS fora e a esquerda a mexer-se, lei de ocultação de riqueza está nas mãos de Rio

A estratégia de combate à corrupção deixou de fora a criminalização do enriquecimento ilícito, mas há um caminho alternativo. A proposta da Associação Sindical dos Juízes deixa cair o "enriquecimento ilícito" e avança com a …

Placas de civilização "perdida" confirmam escrituras bíblicas

Evidências arqueológicas da antiga civilização hitita podem confirmar a exatidão histórica da Bíblia, argumenta um especialista em escrituras. A Bíblia é uma coleção de textos religiosos de valor sagrado para o cristianismo, mas há quem acredite …

Empresário Jimmy Lai condenado a um ano de prisão em Hong Kong

Esta sexta-feira, nove destacados ativistas foram condenados a penas de prisão por organização ou participação em “assembleias não autorizadas”. Jimmy Lai, magnata dos media de Hong Kong, foi condenado esta sexta-feira a um ano de prisão …

"Obsessão" pelo défice é para Bruxelas ver. Esquerda exige execução do OE2021

As metas do défice e da dívida previstas no Programa de Estabilidade, que o Governo entregou esta quinta-feira no Parlamento, não mereceram a aprovação do Bloco de Esquerda e do PCP. Num período de muita incerteza, …

Parques solares flutuantes podem arrefecer lagos ameaçados pelas alterações climáticas

Parques solares flutuantes, cuidadosamente projetados, podem arrefecer lagos ameaçados pelas alterações climáticas. As simulações feitas por cientistas mostraram resultados promissores. A energia solar é agora a fonte de eletricidade mais barata da história, de acordo com …

Identificado suspeito de tiroteio em armazém da FedEx nos Estados Unidos

Esta sexta-feira, as autoridades norte-americanas anunciaram ter identificado o suspeito do tiroteio que resultou na morte de oito pessoas num armazém da FedEx, em Indianápolis, nos Estados Unidos. De acordo com o Expresso, trata-se de um …

António Gameiro, suspeito na Operação Triângulo, retira candidatura à Câmara de Ourém

O deputado António Gameiro, um dos suspeitos na "Operação Triângulo", anunciou que vai retirar a sua candidatura à Câmara de Ourém. O deputado do PS António Gameiro retirou a sua candidatura à Câmara de Ourém, demitiu-se …