Ingrediente banido de muitas cozinhas pode ser a solução para uma alimentação saudável

SXC

O glutamato monossódico tem uma má fama na cozinha, mas um estudo recente sugere que este ingrediente usado como tempero pode ser útil para nos ajudar a manter uma alimentação saudável.

Durante décadas, o glutamato monossódico tem sido demonizado no Ocidente, culpado por sintomas como dores de cabeça, formigueiros nas pernas e braços, crises de asma e até como desencadeador de doenças neurodegenerativas.

Apesar de haver poucos casos de pessoas que relatam sensibilidade ao ingrediente, não há provas de que este ingrediente que realça o sabor não seja seguro para consumo. Agora, um estudo aponta justamente para o oposto, que este tempero pode ser uma ajuda valiosa para que uma pessoa mantenha uma dieta saudável.



O que é?

Este é um sal sódico do ácido glutâmico, um aminoácido não essencial bastante abundante na natureza. Está presente naturalmente em alimentos como tomates, algas marinhas, cogumelos e queijos, e tem um gosto que não é nem doce, nem salgado, nem azedo e nem amargo. Por não se enquadrar em nenhum gosto básico, foi criada uma categoria especial para ele, batizado de umami pelo investigador japonês Kikunae Ikeda, no início do século XX.

Ikeda conseguiu isolar o ácido glutâmico como uma nova substância de gosto a partir da alga marinha Laminaria japonica, através de extração aquosa e cristalização. Esta alga é conhecida como kombu, e é ingrediente do caldo japonês de katsoubushi.

O investigador registou patente da produção do glutamato monossódico, e em 1909 o empresário Saborosuke Suzuki iniciou a produção comercial do tempero como Aji-no-moto, que significa “a essência do sabor”, em japonês. Atualmente, é produzido a partir da fermentação bacteriana. Esta fermentação é semelhante à da produção do vinho, vinagre ou iogurte, e o sódio é adicionado através de uma etapa de neutralização.

Apesar do processo de produção desta substância, não há diferença química entre o ácido glutâmico obtido desta forma ou o encontrado no tomate ou cogumelo.

Perseguição injusta?

Até os historiadores entraram nessa polémica, defendendo que a fama de “venenoso” do tempero tem mais a ver com racismo do que com ciência. Isto porque a síntese do glutamato monossódico foi descoberta no Japão, portanto populações da Europa e América encontram a molécula com mais frequência nos restaurantes asiáticos ­– apesar dela estar presente em vários alimentos processados.

Em 1968, um médico publicou uma carta na revista New England Journal of Medicine reclamando que sentia formigueiros nos braços, fraqueza e arritmias cardíacas depois de comer em restaurantes chineses. Logo de seguida, outras pessoas relataram o mesmo, e logo apareceu o termo “Síndrome do Restaurante Chinês”.

É possível que algumas pessoas realmente tenham sensibilidade ao tempero, e isto seria verificado também quando tomate, cogumelo ou queijos são consumidos. Porém, uma experiência com voluntários que relataram sentirem estes problemas, mostrou que isso parece ser mais psicológico do que físico.

Num estudo publicado na revista Journal of Allergy and Clinical Immunology em 1997, os participantes foram divididos em dois grupos: um consumiu 5 gramas de glutamato monossódico e o outro consumiu 5 gramas de placebo (lembrando que 5 gramas é uma quantia grande, muito superior ao que normalmente é consumido numa refeição).

O resultado foi que 36,1% das pessoas do primeiro grupo relataram sintomas, enquanto 24% do grupo placebo também se queixou dessas sensações.

Útil nas dietas

Um novo estudo publicado na Neuropsychopharmacology concluiu que o consumo de sopas com glutamato monossódico em pequenas porções ajuda as pessoas a manterem dietas mais saudáveis.

Na experiência, 30 voluntárias foram divididas num grupo que consumiu uma sopa com o ingrediente antes de se servir à vontade num buffet, enquanto outro grupo consumiu uma sopa idêntica antes de se servir no mesmo buffet.

O resultado foi que as participantes escolheram alimentos com menos gordura saturada e de forma geral mais saudáveis. Os melhores efeitos foram observados nas mulheres que relataram falta de autocontrolo na hora de comer.

As participantes que consumiram a sopa com glutamato monossódico ficaram mais focadas em alimentos que elas tinham escolhido anteriormente, sem se distrair com outras opções. O consumo do glutamato monossódico fez aumentar a atividade no córtex pré-frontal, a parte do cérebro associada ao autocontrolo quando relacionado à escolha de alimentos.

O ponto fraco deste estudo é que ele avaliou apenas uma refeição, portanto não se sabe se este efeito positivo no autocontrolo seria perdido com o consumo frequente da molécula ou não.

ZAP // HypeScience

PARTILHAR

9 COMENTÁRIOS

  1. Para mim é um completo mistério. Eu tenho os sintomas apenas quando como em alguns restaurantes chineses. Não sabia o que era até ter visto um caso semelhante numa série de televisão. No entanto, nunca tenho os sintomas quando como cogumelos, tomate ou queijo, nem nunca tive quando fui ao Japão. É só mesmo quando vou a um restaurante chinês que não vá com frequência. Acredito que seja apenas quando a cozinha mete grandes quantidades do mesmo.

  2. Os jornalistas prestam um mau serviço quando escrevem títulos como “útil nas dietas” e que pode ser útil para manter uma alimentação saudável, com base num estudo absolutamente ridículo. Nem sequer deveriam chamar-lhe estudo. Quando muito uma experiência com meia dúzia de mulheres.
    ( Falem antes no feijão, que dá sintomas, mas faz bem 😀 )
    Os sintomas relatados, associados ao glutamato monossódico, não são sugestão porque em geral as pessoas não sabem do que se trata até os relatarem ou encontrarem referência.
    Apercebi-me uma vez, há muitos anos, num restaurante onde não voltei, onde deveria ser excessivo. Não é nada agradável. Noutros já me apercebi de sintomas mas não relevantes.
    Se é do glutamato monossódico ou outra substância, isso não sei. É do molho de vários pratos de restaurantes chineses menos bons. Em restaurantes bons, nunca tive sintomas.

  3. Na verdade , o caldo se chama dashi . Um dos ingredientes dele é o katsuobuchi (lascas de bonito seco).
    Concordo que é perigoso fazer uma matéria um estudo tão raso, e machista usando fala que mulheres não se controlam ao comer.

  4. consumo do glutamato monossódico fez aumentar a atividade no córtex pré-frontal, a parte do cérebro associada ao autocontrolo quando relacionado à escolha de alimentos. Por outras palavras, faz perder o controle e comer em exagero.

    Em nenhum estudo referenciado aparece um link directo para o estudo

    Para mim, é mais uma manobra de marketing chamada de contra informação, organizada pelas indústrias que beneficiam com as pessoas comerem demais e com as pessoas que ficam doentes

  5. Mas ninguém refere naquela porcaria de estudo que o MSG é uma excitotoxina perigosa e que perturba imenso os nossos neurónios e que, existe em pequena quantidade no nosso fluído extracelular, atuando como neurotransmissor, e que quando esse valor baixíssimo é ultrapassado, os neurónios começam a excitar-se (excitotoxina) de forma que começam a morrer?!
    Já o aspartame também é uma excitotoxina e a indústria farmacêutica também diz que é muito bom e não faz mal nenhum!…
    Quando é que as pessoas começam a se aperceber que o que eles dizem é sempre tudo ao contrário?
    Neste mundo, anda tudo invertido.

  6. Estudos isolados só deveriam ser acessíveis pelos profissionais da saúde. Tudo que faz mal à saúde deveria ser retirado do consumo. As pessoas não podem continuar sendo cobaias do enriquecimento irresponsável de uns e outros. Quando é que vai surgir uma ONG gigante pra forçar esta mudança?!

RESPONDER

Foi viajar e não voltou. O misterioso desaparecimento de Gabby Petito (e do namorado)

Gabrielle Petito, uma jovem norte-americana de 22 anos, desapareceu misteriosamente. Gabby foi viajar com o namorado, que voltou para casa sozinho e não quis contar o que aconteceu — e agora também está desaparecido. Gabby Petito, …

Aos 101 anos, Ginny é a "Senhora Lagosta" e não planeia reformar-se

Virginia Oliver continua a trabalhar na pesca da lagosta, apesar de já ter 101 anos de idade. 'Ginny' não planeia reformar-se e já se tornou um meme na internet. Virginia 'Ginny' Oliver tem 101 anos e …

Dinamarca. Reclusos condenados a prisão perpétua proibidos de iniciar novos romances

Os reclusos que cumprem prisão perpétua na Dinamarca serão proibidos de iniciar novos relacionamentos amorosos, decisão proposta pelo governo após uma jovem de 17 anos se apaixonar por Peter Madsen, que assassinou a jornalista Kim …

Casal queria que o seu filho se chamasse Vladimir Putin. A Suécia não deixou

Na Suécia, os pais são obrigados a comunicar os nomes dos seus filhos recém-nascidos ao Skatteverket nos primeiros três meses a partir do nascimento. Um casal sueco, que vive na cidade de Laholm, foi proibido pela …

44 jogos seguidos sem ganhar. Mas o presidente não está preocupado

O Atlético Mogi não vence qualquer jogo oficial há mais de quatro anos. Perdeu em 42 desses 44 duelos. 17 de Junho de 2017 foi o último dia em que o Atlético Mogi venceu um jogo …

Autárquicas: António Costa promete que os municípios terão mais mil milhões de euros

O secretário-geral do PS, António Costa, indicou hoje, em Celorico de Basto, no distrito de Braga, que os municípios “vão passar a ter, a partir de abril, mais mil milhões de euros que acompanham a …

Mais de trinta anos após ter sido lançada ao mar no Japão, mensagem em garrafa é encontrada no Hawaii

Durante uma viagem ao Hawaii, uma jovem de apenas 9 anos encontrou uma garrafa que foi lançada ao mar há mais de trinta anos. Esta continha uma mensagem que, posteriormente, acabou por revelar uma experiência …

Mais 939 infeções, sete mortes e nova redução nos internamentos

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 939 casos de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2, sete mortes atribuídas à covid-19 e nova redução nos internamentos em enfermaria e cuidados intensivos. De acordo com o boletim epidemiológico da …

Milionário norte-americano Robert Durst condenado por matar melhor amiga

O milionário norte-americano Robert Durst, tornado famoso por um documentário do canal HBO, foi condenado na sexta-feira num tribunal de Los Angeles, nos Estados Unidos, por matar a melhor amiga, um crime que remonta a …

Em Inglaterra, há crianças de 16 anos que vão passar a viver em alojamentos não regulamentados

A 9 de setembro, foi aprovada uma nova lei em Inglaterra, segundo a qual as crianças com 16 e 17 anos podem ser colocadas em alojamentos não regulamentados. O sistema de acolhimento de crianças inglês está …