Incêndio de Pedrógão ficou fora da audição com comissão independente

António Cotrim / Lusa

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) esclareceu este sábado, numa mensagem enviada à agência Lusa, que na audição do presidente daquela entidade na Comissão Técnica Independente “não foi abordada qualquer questão relativamente ao incêndio de Pedrógão Grande”.

A ANPC recorda que, a 6 de setembro, o presidente da entidade, Joaquim Leitão, esteve numa reunião com peritos da Comissão Técnica Independente (CTI) João Guerreiro e Francisco Rego.

“A audição do Presidente da ANPC constou da apresentação de uma reflexão escrita e entregue em formato papel sobre o sistema de proteção civil, que versou unicamente os aspetos sistémicos do setor”, refere a ANPC, garantindo que na reunião “não foi abordada qualquer questão relativamente ao Incêndio de Pedrógão Grande“.

Na audição, Joaquim Leitão esteve acompanhado pelo Comandante Operacional Nacional (CONAC), pelo 2.º CONAC e pelos Comandantes de Agrupamentos Distritais (CADIS) Belo Costa e Miguel Cruz, “que nunca falaram sobre qualquer questão operacional”.

Segundo a ANPC, na reunião, o CONAC interveio a pedido de Joaquim Leitão, “apenas para esclarecer uma questão que tinha a ver com a formação e organização da FEB [Força Especial de Bombeiros], e o 2.º CONAC, o mesmo em relação ao Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro da GNR” e “os CADIS Belo Costa e Miguel Cruz não falaram“.

“Na presença do Presidente da ANPC, os Senhores CONAC, 2º CONAC e CADIS não foram ouvidos ou consultados nas especificidades da operação”, acrescenta.

O presidente da CTI, João Guerreiro, que analisou o que se passou no incêndio de Pedrógão Grande, garantiu na quinta-feira que foram ouvidos os cargos de topo da Proteção Civil e que tudo o que está no relatório “está bem documentado”, depois de ter sido divulgado um documento elaborado pela ANPC, enviado para o Ministério da Administração Interna.

No relatório, a entidade aponta “omissões graves”, erros e contradições ao relatório da comissão independente e, como exemplo, diz que ninguém de topo do comando nacional da ANPC foi ouvido ou contactado pelos peritos da comissão.

Não há qualquer dúvida sobre o que está no relatório da comissão técnica independente,  nós fizemos entrevistas a quase 180 pessoas, analisamos documentação diversa, muita dela fornecida pela própria ANPC”, afirmou João Guerreiro.

De acordo com a TSF, o documento com as críticas enviado pela ANPC ao MAI contesta quase 30 pontos do relatório da comissão independente e diz que “as falhas apontadas, na prática, ou não existiram ou se traduzem em situações decorrentes da complexidade” do fogo de Pedrógão, que fez 64 mortos e mais de 250 feridos.

A ANPC diz que o relatório da comissão tem “erros e omissões na análise dos factos que geram inclusivamente contradições de referência, confundindo as conclusões a reter” e considera que há partes do relatório que têm “o propósito claro de levar o leitor, cidadão comum, desconhecedor dos meandros da resposta operacional, a formular o juízo de que houve inépcia e inoperância do Comando Nacional de Operações de Socorro”.

No documento enviado ao MAI, a ANPC pede que este seja tornado público, “por respeito às vítimas e ao bom nome da instituição e dos seus operacionais”.

// Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Médico sírio acusado na Alemanha de crimes contra a humanidade

Um médico sírio foi acusado na Alemanha de crimes contra a humanidade por supostamente torturar e matar pessoas em hospitais militares no seu país de origem, informaram os promotores na quarta-feira. O Ministério Público Federal de …

Justiça climática. Vamos todos sofrer com as alterações climáticas, mas não de forma igual

A recente onda de calor na América do Norte é mais um exemplo de que apesar de ser um problema global, as alterações climáticas não vão afectar todos igualmente e podem exacerbar injustiças sociais e …

Os exemplos que Portugal deve seguir (e evitar) nas últimas etapas da pandemia

No plano apresentado pela equipa de Raquel Duarte comparam-se as estratégias opostas adotadas por Israel e Reino Unido, com a segunda a merecer nota negativa por parte dos investigadores. Os dados foram lançados na reunião que …

Jogos da Taça da Liga de sábado adiados para domingo para poderem ter público

O presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) anunciou, esta quinta-feira, que os jogos da Taça da Liga agendados para sábado vão ser adiados para domingo, para que possam ter público nas bancadas. "A Liga, …

Dinamarca enfrenta acção legal por querer repatriar refugiados sírios

O governo dinamarquês quer repatriar sírios naturais de Damasco depois de um relatório mostrar que há zonas da Síria onde a segurança melhorou. A decisão está a ser criticada por activistas e o caso pode …

Pela primeira vez, foi observada luz por detrás de um buraco negro

Um estudo divulgado esta quarta-feira revelou a primeira observação direta da luz por detrás de um buraco negro, através da deteção de pequenos sinais luminosos de raios-X, confirmando a Teoria da Relatividade Geral, de Einstein. Segundo …

Cheias atingem campos no Bangladesh. Pelo menos seis refugiados Rohingya mortos

Pelo menos seis refugiados Rohingya morreram após as cheias inundarem os campos de refugiados em Bangladesh nos últimos dias, destruindo os abrigos de bambu e plástico e deixando pelo menos 5.000 desabrigados, informou o Alto-comissariado …

Defesa de Salgado alega diagnóstico preliminar de Alzheimer do ex-banqueiro

A defesa do antigo presidente do BES, que está a ser julgado por três crimes de abuso de confiança no âmbito da Operação Marquês, pediu ao tribunal uma perícia médica devido ao seu diagnóstico preliminar …

Três norte-americanos emitem carbono suficiente para matar uma pessoa, revela estudo

O estilo de vida de três norte-americanos leva a uma emissão de carbono suficiente para matar uma pessoa, revelou um novo artigo, concluindo ainda que as emissões de uma única usina a carvão podem causar …

Terceira dose da vacina da Pfizer aumenta "fortemente" a proteção contra a variante Delta

Farmacêutica norte-americana pretende submeter um novo pedido de autorização de emergência para a administração da terceira dose ao regulador, depois de já ter visto um pedido anterior ser recusado por falta de evidências científicas. Depois de …