/

Incêndio mata pelo menos 64 doentes covid em hospital no Iraque

Um incêndio numa enfermaria hospitalar no sul do Iraque para doentes com covid-19 provocou pelo menos 64 mortos e 50 de feridos, alguns em estado crítico, disseram as autoridades de saúde iraquianas, esta terça-feira.

“O número de mortos devido ao incêndio no centro de isolamento no Hospital Iman Hussein aumentou para 64 e há 50 feridos”, segundo a agência de notícias iraquiana INA.

Na origem do incêndio no Hospital Universitário al-Hussein, na cidade de Nasiryah, terá estado a explosão de uma garrafa de oxigénio, segundo relatos citados pela BBC. Mas também há relatos que apontam para um curto-circuito.

O Ministério da Saúde não se pronunciou sobre as causas do incêndio.

De acordo com dois médicos, existiam 70 camas na nova ala do hospital, aberta há três meses.

O porta-voz do departamento de saúde da província de Dhi Qar, Ammar al-Zamili, disse aos meios de comunicação locais que havia pelo menos 63 pacientes dentro da enfermaria quando o incêndio deflagrou, escreve o Jornal de Notícias.

Esta é a segunda vez este ano que um grande incêndio mata doentes infetados com o novo coronavírus num hospital iraquiano: em abril, pelo menos 82 pessoas morreram e 110 ficaram feridas no hospital Ibn al-Khateeb, em Bagdade, quando um tanque de oxigénio explodiu, provocando o incêndio.

O primeiro-ministro do país, Mustafa al-Kadhemi, ordenou entretanto a detenção do responsável do hospital e o porta-voz do parlamento iraquiano disse que o incêndio é “uma prova clara do falhanço na proteção das vidas iraquianas”.

O Iraque enfrenta uma nova vaga da pandemia, com os números a baterem recordes na semana passada, em 9.000 novos casos diários.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 4.028.446 mortos em todo o mundo, resultantes de mais de 186,3 milhões de casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o balanço mais recente feito pela agência France-Presse.

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.