Imobiliárias com quebras de 80%. Preços das casas vão começar a descer, diz associação

Mais de 80% das imobiliárias registaram quebras nas transações e na procura de imóveis em janeiro, em termos homólogos, e mais de 70% reportaram uma diminuição nestes indicadores face ao mês anterior, segundo um inquérito da associação setorial.

Num comunicado divulgado segunda-feira, citado pela agência Lusa, a Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (APEMIP) considerou que “estes números são desanimadores e retratam as consequências do confinamento que entrou em vigor a 15 de janeiro, impedindo as empresas de mediação imobiliária de desenvolver a sua atividade normalmente, por não poderem realizar visitas presenciais”.

Segundo as conclusões do Barómetro APEMIP – Janeiro 2021, realizado junto dos profissionais imobiliários a operar em Portugal, comparando a venda de imóveis no mês de janeiro com o mês anterior, 77,4% dos inquiridos confirmaram uma quebra nas transações, contra 18% que indicaram que o negócio se manteve e 4,6% que declararam que terá aumentado.

Já em comparação com o período homólogo (janeiro de 2020), 82,4% apontaram para uma quebra no negócio, 13% referiram a sua manutenção e 4,6% o seu aumento.

A APEMIP notou que “a procura reflete já o impacto da situação pandémica”, com 71% dos profissionais a assinalarem um decréscimo face ao mês anterior, subindo esta percentagem para os 84,8% quando a comparação é efetuada com igual período do ano anterior.

Citado no comunicado, o presidente da APEMIP considerou que, “se no ano passado as empresas demonstravam algum otimismo, apesar das circunstâncias, em 2021 a fadiga e as dificuldades que enfrentam é espelhada nos resultados deste barómetro”.

“Por um lado, a quebra da procura começa a ser notória, por outro as empresas continuam impedidas de fazer visitas e de desenvolver a sua atividade, o que se reflete no seu grau de otimismo para o desempenho do presente ano”, sustentou Luís Lima.

De acordo com o dirigente associativo, “61% dos profissionais declararam nunca ter efetuado qualquer negócio através de visitas virtuais e 15,3% afirmaram não ter à sua disposição meios para o fazer, o que comprova que este recurso serve só nichos muito específicos do mercado”.

Salientando que estes números confirmam “a ineficácia das visitas virtuais para a concretização de negócios”, a APEMIP apelou a que o setor seja integrado logo na primeira fase de desconfinamento.

No que diz respeito aos preços da oferta disponível, 62,5% dos inquiridos apontaram para a sua manutenção, 31,4% para a sua quebra e 6,1% registaram um aumento face ao mês anterior. Já em comparação com o período homólogo, 44,9% dos inquiridos afirmaram que os preços se mantiveram, 37,5% que diminuíram e 17,6% que terão aumentado.

Para Luís Lima, é “natural que os preços comecem a refletir os efeitos da quebra da procura e que se verifiquem algumas correções dos valores praticados”, sendo este fenómeno “particularmente notório no segmento habitacional mais alto/luxo, que se ressente pela quebra da procura estrangeira (62,6% dos inquiridos confirmam uma quebra deste negócio), uma vez que o mercado interno para absorver este tipo de ativos”.

Baseado num inquérito realizado ‘online’, o Barómetro APEMIP — janeiro 2021 decorreu entre 02 e 11 de fevereiro de 2021 e contou com cerca de 4.000 respostas de profissionais de empresas de mediação imobiliária licenciadas a operar em Portugal.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Aglomerado de safiras estrela encontrado no Sri Lanka pode ser o maior do mundo

Um aglomerado de safiras estrela do mundo foi encontrado num quintal no Sri Lanka. A pedra é azul, pesa 510 quilos e estima-se que valha cerca de 84 milhões de euros. A pedra foi encontrada …

Médico sírio acusado na Alemanha de crimes contra a humanidade

Um médico sírio foi acusado na Alemanha de crimes contra a humanidade por supostamente torturar e matar pessoas em hospitais militares no seu país de origem, informaram os promotores na quarta-feira. O Ministério Público Federal de …

Justiça climática. Vamos todos sofrer com as alterações climáticas, mas não de forma igual

A recente onda de calor na América do Norte é mais um exemplo de que apesar de ser um problema global, as alterações climáticas não vão afectar todos igualmente e podem exacerbar injustiças sociais e …

Os exemplos que Portugal deve seguir (e evitar) nas últimas etapas da pandemia

No plano apresentado pela equipa de Raquel Duarte comparam-se as estratégias opostas adotadas por Israel e Reino Unido, com a segunda a merecer nota negativa por parte dos investigadores. Os dados foram lançados na reunião que …

Jogos da Taça da Liga de sábado adiados para domingo para poderem ter público

O presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) anunciou, esta quinta-feira, que os jogos da Taça da Liga agendados para sábado vão ser adiados para domingo, para que possam ter público nas bancadas. "A Liga, …

Dinamarca enfrenta acção legal por querer repatriar refugiados sírios

O governo dinamarquês quer repatriar sírios naturais de Damasco depois de um relatório mostrar que há zonas da Síria onde a segurança melhorou. A decisão está a ser criticada por activistas e o caso pode …

Pela primeira vez, foi observada luz por detrás de um buraco negro

Um estudo divulgado esta quarta-feira revelou a primeira observação direta da luz por detrás de um buraco negro, através da deteção de pequenos sinais luminosos de raios-X, confirmando a Teoria da Relatividade Geral, de Einstein. Segundo …

Cheias atingem campos no Bangladesh. Pelo menos seis refugiados Rohingya mortos

Pelo menos seis refugiados Rohingya morreram após as cheias inundarem os campos de refugiados em Bangladesh nos últimos dias, destruindo os abrigos de bambu e plástico e deixando pelo menos 5.000 desabrigados, informou o Alto-comissariado …

Defesa de Salgado alega diagnóstico preliminar de Alzheimer do ex-banqueiro

A defesa do antigo presidente do BES, que está a ser julgado por três crimes de abuso de confiança no âmbito da Operação Marquês, pediu ao tribunal uma perícia médica devido ao seu diagnóstico preliminar …

Três norte-americanos emitem carbono suficiente para matar uma pessoa, revela estudo

O estilo de vida de três norte-americanos leva a uma emissão de carbono suficiente para matar uma pessoa, revelou um novo artigo, concluindo ainda que as emissões de uma única usina a carvão podem causar …