Ilhan Omar promete continuar a ser o “pesadelo” de Donald Trump

Jim Lo Scalzo / EPA

“O pesadelo dele é ver uma refugiada imigrante somali a ascender ao Congresso. Vamos continuar a ser um pesadelo porque as suas políticas são um pesadelo para nós”, disse Ilhan Omar.

Esta quinta-feira, Ilhan Omar classificou o Presidente norte-americano de “fascista”, enquanto Donald Trump se tentava distanciar do cântico “mandem-na de volta” dirigido pelos seus apoiantes à congressista democrata nascida na Somália.

“Temos dito que este Presidente é racista e condenado as suas declarações racistas. Eu acredito que ele é fascista“, disse Omar.

Quando aterrou no Minnesota, a congressista foi recebida por uma multidão de apoiantes e, servindo-se de um megafone, sublinhou: “o pesadelo [de Trump] é ver uma refugiada imigrante somali a ascender ao Congresso. Vamos continuar a ser um pesadelo para este Presidente porque as suas políticas são um pesadelo para nós”.

Os cânticos aconteceram durante um comício em Greenville, na Carolina do Norte, na noite de quarta-feira, quando Donald Trump atacou Ilhan Omar e três outras congressistas democratas – Alexandria Ocasio-Cortez, Ayanna Pressley e Rashida Tlaib -, chamando-as “extremistas cheias de ódio”.

No dia seguinte, o Presidente norte-americano tentou explicar que havia uma “grande energia” no comício, mas que ele não ficou satisfeito com a provocação. “Não fiquei feliz quando ouvi esse cântico. Não gostei que eles o tivessem feito e comecei rapidamente a falar.”

No entanto, segundo o Expresso, imagens televisivas mostram que Trump deixou que o cântico continuasse durante mais de 10 segundos antes de retomar a palavra.

As quatro democratas têm sido alvo de ataques racistas de Trump, depois de um tweet no domingo em que o Presidente sugeriu que as congressistas voltassem para os seus países de origem. Contudo, das quatro, apenas Omar não nasceu nos Estados Unidos, tendo chegado ao país com oito anos como refugiada de guerra da Somália.

Esta terça-feira, a Câmara dos Representantes dos Estados Unidos aprovou uma moção na qual condena o Presidente pelos “comentários racistas” dirigidos às congressistas.

Alguns candidatos à nomeação democrata condenaram as declarações de Donald Trump, com Joe Biden, o candidato mais bem colocado no campo democrata, a afirmar que “estas congressistas – filhas de imigrantes, tal como muitos de nós – são um exemplo precisamente do que tornou a América grande”.

Trump está a alimentar as correntes mais desprezíveis e perturbadoras na nossa sociedade. É esse ódio e racismo que o alimenta. Temos de lutar juntos para derrotar o Presidente mais perigoso da história do nosso país”, declarou, por sua vez, Bernie Sanders.

Já do lado dos republicanos, a reação foi mais moderada. “Os cânticos no comício da última noite foram ofensivos e estou feliz que o Presidente os tenha repudiado”, disse o senador Mitt Romney.

Justin Trudeau, primeiro-ministro do Canadá, e Donald Tusk, presidente do Conselho Europeu, também se pronunciaram, condenando as declarações de Donald Trump, referindo-se a elas como “ofensivas” e “totalmente inaceitáveis”, respetivamente.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Crianças inspiram Lego a livrar-se de todas as embalagens de plástico

As peças da Lego podem acabar no oceano durante mais de mil anos, mas os fabricantes dinamarqueses estão a tentar tornar a empresa ecologicamente correta. Na sua última promessa, a Lego vai começar a usar sacos …

Uma cidade chamada "amianto" está a tentar mudar o nome (e a discussão tornou-se tóxica)

Há uma cidade no Canadá chamada Asbesto - um material de construção altamente tóxico. Os habitantes da cidade não estão felizes com este nome, mas a sua mudança também não está a ser fácil. De acordo …

FC Porto 3-1 Braga | Entrada de “dragão”

O FC Porto iniciou a defesa do título nacional com uma vitória importante sobre o Sporting de Braga por 3-1. Os minhotos marcaram primeiro no Dragão, por um ex-portista, mas os descontos do primeiro tempo foram …

Barco navega em forma de coração para agradecer aos habitantes da Nova Escócia

A escuna Bluenose II navegou de forma bastante original no último dia da temporada de 2020. A rota seguida criou a forma de um coração no porto de Lunenburg, na Nova Escócia. De acordo com o …

França bate recorde com 13.498 novos casos. Espanha não vai confinar

A França registou este sábado um recorde diário de casos de covid-19, com 13.498 novos infetados nas últimas 24 horas, anunciou a Agência Nacional de Saúde, acrescentando que, no mesmo período, morreram mais 26 pessoas. No …

Diogo Jota no Liverpool

O Liverpool oficializou hoje a contratação do futebolista internacional Diogo Jota, de 23 anos, num contrato “de longa duração”, sem especificar a duração. A imprensa inglesa tem adiantado que o jogador vai assinar por cinco épocas, …

Companhia aérea australiana oferece voos de 7 horas (para lugar nenhum)

A companhia aérea australiana Qantas anunciou recentemente planos para um voo panorâmico de sete horas que fará um loop gigante em Queensland e Gold Coast, New South Wales e os remotos centros do interior do …

Barack Obama vai publicar um livro de memórias (mas só depois da eleições de novembro)

O livro de memórias do antigo Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, só vai ser publicado depois das eleições presidenciais de novembro. Uma enxurrada de livros políticos chegou às prateleiras nas últimas semanas, no final da …

Confrontos em Londres entre polícia e opositores das restrições devido à pandemia

A polícia de Londres, Inglaterra, entrou hoje em confronto com manifestantes que protestavam contra as restrições que visam conter a disseminação do novo coronavírus. De acordo com a agência Associated Press (AP), os confrontos ocorreram quando …

Milhares infetados por bactéria após fuga em fábrica farmacêutica chinesa

Milhares de pessoas no noroeste da China contraíram uma doença bacteriana depois de uma fuga que causou um surto numa biofarmacêutica no ano passado. De acordo com a CNN, que cita relatos dos media locais, mais …