É ilegal ser tatuador na Coreia do Sul. Artistas arriscam multas e prisão

1

O Tribunal Constitucional de Seul, na Coreia do Sul, confirmou, esta quinta-feira, que continua a ser proibido tatuar no país.

Assim, as tatuagens continuam a ser consideradas um procedimento médico e só podem ser realizadas por profissionais de saúde. Isto é uma realidade desde 1992.

“O conhecimento médico limitado e as habilidades envolvidas na tatuagem não podem garantir os níveis de tratamento que os profissionais médicos podem fornecer, tratamento que pode ser necessário antes ou depois do procedimento”, concluiu o tribunal.

Durante centenas de anos, as tatuagens foram praticamente um tabu na Coreia do Sul. Hoje, embora se fale mais sobre isso, continuam a ser olhadas de lado. Apesar de a prática existir entre os coreanos há pelo menos 1.500 anos, a cultura neoconfucionista da Dinastia Joseon (1392-1910) acabou com ela.

As crenças culturais ditavam que os corpos não devem ser mutilados ou decorados de outra forma, uma vez que são presentes dos pais.

Além disso, as tatuagens tinham um sentido pejorativo. Criminosos tatuavam os seus crimes na pele e alguns escravos tinham os nomes dos seus senhores inscritos na pele.

Face ao recente veredito do Tribunal Constitucional de Seul, um sindicato de cerca de 650 tatuadores condenou a decisão, escreve a VICE. Os artistas consideram que esta é uma decisão “retrógrada”.

“É quase uma piada, farsa o suficiente para fazer as pessoas rirem”, disse o líder do sindicato e tatuador Kim Do-yoon. “Eles não convencem ninguém de que a tatuagem é uma atividade médica. Ninguém pensa assim”.

Todos os anos, milhares de tatuadores trabalham clandestinamente e arriscam não só multas, como também penas de prisão.

Desde abril do ano passado, pelo menos seis artistas foram condenados a cumprir uma pena de prisão, que normalmente ronda os dois anos.

“A lei não reflete a realidade. O número de pessoas que se tatuam está a crescer rapidamente. As pessoas querem ser tatuadas por tatuadores, não por médicos”, disse Lim Bo-lan, diretor da Korea Tattoo Federation.

  Daniel Costa, ZAP //

1 Comment

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.