Arqueólogos já identificaram uma das múmias recém-descobertas no Egito

Egyptian Ministry of Antinquities

Uma das múmias descobertas no túmulo TT33

Num dos maiores túmulos já encontrados no complexo egípcio de Luxor, uma equipa de arqueólogos descobriu um sarcófago com uma múmia de uma mulher chamada Pouyou. Segundo o Ministério das Antiguidades do Egito, a mulher terá vivido durante a 18.ª dinastia egípcia.

No passado sábado, o Egito anunciou descoberta de um antigo túmulo faraónico, bem como vários sarcófagos e artefactos funerários numa necrópole perto da cidade de Luxor. Pouyou é uma das múmias até agora identificadas pelos especialistas.

De acordo com o Ministério egípcio, foram encontradas várias múmias no interior de sarcófagos perto deste enorme túmulo. Um dos sarcófagos tinha hieróglifos gravados alusivos a deusa Mut, esposa de Amon e mãe adotiva de Khonsu.

Ao contrário do acabou por se disseminado em alguns meios de comunicação social, as múmias não foram todas encontradas num só túmulo. Tal como nota o Live Science, foram identificados vários sarcófagos em diferentes túmulos.

Túmulo familiar de Pouyou?

O túmulo TT33 – tal como é conhecido entre os arqueólogos que exploram a área – é um dos maiores já encontrados em Luxor, cidade onde, nos tempos do Antigo Egito, se localizava Tebas. Este túmulo está a ser um investigado por uma equipa de arqueólogos franceses, liderada por Frédéric Colin, professor de Egiptologia na Universidade de Estrasburgo, na França.

Este túmulo tem sido alvo de escavações arqueológicas desde o século XIX, tendo revelado já vários artefactos. Ainda assim, dois século depois e devido às suas grandes proporções, restam ainda muitas partes por explorar.

Foi neste túmulo que a equipa de cientistas trouxe encontrou o sarcófago de Pouyou, trazendo-a de novo à luz mais de três mil anos depois. Em comunicado, a equipa revelou que a mulher terá vivido durante a 18.ª dinastia (1550-1295 a.C) e a sua múmia foi encontrada num ótimo estado de preservação.

Egyptian Ministry of Antinquities

O sarcófago de Pouyou foi aberto durante uma conferência de imprensa

Na época, o Egito era independente e poderoso, tendo mesmo chegado a controlar todo um império que se estendia até ao território onde hoje se localizada a Síria. O sarcófago de Pouyou foi aberto durante uma conferência de imprensa no passado sábado. De acordo com o Guardian, esta foi a primeira vez que os arqueólogos abriram um sarcófago totalmente selado em frente aos média.

A equipa encontrou também um outro sarcófago no interior do túmulo, mas não é ainda conhecida a identidade da múmia. Segundo a nota divulgada, o seu design e pintura sugerem que esta segunda múmia pertença à 17.ª dinastia (1580-1550 a.C). Na altura, os Hicsos – um grupo da Ásia ocidental – controlava parte do Egito.

Várias outras múmias foram descobertas no túmulo, não estando envolvidas em qualquer sarcófago, ao contrário das acima mencionadas. O Ministério das Antiguidades do Egito adiantou, através do Twitter, que estas múmias podem ser uma família, mas não é ainda certo em que tempo terão vivido ou se estarão relacionadas a Pouyou.

Thaw InkhetIf, o supervior da mumificação

Apesar do enorme número de achados, as descobertas prometem não ficar por aqui. Num outro túmulo (TT28) foi encontrado em Luxor, com vários sarcófagos e múmias no seu interior. Uma equipa egípcia, liderada por Mostafa Waziri, secretário-geral do Conselho Supremo de Antiguidades, está a escavar este túmulo. Embora os arqueólogos soubessem da sua existência, grande parte do túmulo nunca explorado por cientistas.

Hieróglifos identificados num destes sarcófagos sugerem que o túmulo pertence pertence a Thaw InkhetIf, que terá sido supervisor de um santuário de mumificação de Tebas, avançou também o Ministério egípcio.

Os hieróglifos indicam que InkhetIf teve uma série de títulos e que as pessoas que trabalharam no seu santuário adoravam a deusa Mut, esposa do deus Amon.Em determinados pontos da História do Egito, Amun era considerado o deus mais poderoso, estando o seu culto baseado na cidade de Tebas.

Dentro deste túmulo, os arqueólogos encontraram mais múmias e sarcófagos, assim como os fragmentos de cerca de 1.000 figuras “Ushabtis”, apontou o Ministério. Estes objetos eram comummente enterrados no Egito para servir o falecido na vida após a morte.

Egyptian Ministry of Antinquities

Hieróglifos gravados neste sarcófago revelam que um homem, “Thaw InkhetIf”, foi enterrado o seu interior

As escavações e as análises aos objetos encontrados em Luxor continuam em andamento.

As autoridades egípcias anunciam regularmente descobertas arqueológicas, embora o país seja frequentemente acusado de falta de rigor científico e negligência das suas antiguidades. Sítios arqueológicos, particularmente em Luxor, fazem do Egito uma atração importante para turistas estrangeiros.

O Egito tem vindo a publicitar as novas descobertas na esperança de reanimar o setor do turismo, que ainda está a recuperar da turbulência ocorrida após a revolta de 2011 que derrubou o ditador de longa data Hosni Mubarak.

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Alverca 2-0 Sporting | Leões desinspirados afastados da Taça pelo Alverca

O Alverca surpreendeu hoje o Sporting com uma vitória por 2-0, na terceira eliminatória da Taça de Portugal, tornando-se no primeiro grande «tomba-gigantes» da competição ao afastar o atual detentor do troféu. Alex Apolinário, aos 10 …

A Barbie também arrenda casa no Airbnb

A boneca mais famosa do mundo celebra 60 anos. Agora, a empresa que produz a Barbie, a Matel, tornou a boneca uma anfitriã no Airbnb e vai arrendar uma mansão à beira-mar em Malibu, na …

Os primeiros bebés podem nascer no Espaço daqui a 12 anos

A empresa SpaceBorn United pretende realizar missões espaciais entre 24 e 36 horas para que algumas mulheres dêem à luz em órbita dentro de 12 anos. A notícia é avançada pelo fundador e CEO da empresa, …

Japão importou cinco vírus mortais, incluindo Ebola, por causa de Tóquio 2020

Com os Jogos Olímpicos à porta, um laboratório japonês decidiu importar cinco vírus mortais, nomeadamente Ebola, para fazer frente a um eventual surto durante a competição que vai levar ao país mais de 600 mil …

Empresa anónima quer os direitos do seu rosto para construir robôs (e paga 115 mil euros)

Uma empresa privada anónima está a oferecer 115 mil euros pelos direitos de usar o seu rosto numa nova linha de robôs humanóides. A empresa quer usar a imagem para dar uma cara a um robô …

Empresa está a vender vinho (com flocos de ouro) para celebrar o Brexit

Quando o Reino Unido abandonar a União Europeia, uma saída programada para 31 de outubro, é provável que as pessoas celebrem com um vinho especial com flocos de ouro. Para aqueles que querem celebrar a saída …

Neandertais ocuparam ilhas do Mediterrâneo dezenas de milhares de anos antes do que se pensava

Cientistas descobriram provas de que a ilha de Naxos, na Grécia, já era habitada por neandertais há 200.000 anos, dezenas de milhares de anos antes do que se pensava até agora. Um estudo publicado esta quinta-feira …

Testes "bárbaros" em macacos levam ativistas a pedir encerramento de laboratório alemão

Durante meses, um ativista pelos direitos dos animais trabalhou no Laboratório de Farmacologia e Toxicologia (LPT, na sigla inglesa), em Hamburgo, na Alemanha, onde testemunhou situações de violência contra os animais utilizados em testes e …

Próxima cimeira do G7 vai ser num resort de Donald Trump

A próxima cimeira do G7 será realizada num dos clubes de golfe do Presidente norte-americano, Donald Trump, na Florida, e o clima não constará da agenda de trabalhos, disse esta quinta-feira o chefe de gabinete …

Russos e ucranianos estão em guerra por causa de sopa

A sopa de beterraba é russa ou ucraniana? Um tweet do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Federação Russa veio falar em prato nacional e a reação na Ucrânia não tardou a chegar. O tweet é de …