Ibrahimovic conta como o Manchester United lhe tirou uma libra do salário (por uma razão peculiar)

Matteo Bazzi / EPA

Zlatan Ibrahimovic e Rafael Leão festejam depois do golo marcado ao Torino FC

Zlatan Ibrahimovic jogou no Manchester United entre 2016 e 2018 e marcou 29 golos em 53 jogos, mas não ficou com boas memórias do clube inglês. Até porque lhe tirou uma libra do ordenado por um motivo bem peculiar…

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Aos 40 anos de idade, Ibrahimovic continua igual a si mesmo, frontal e polémico. E a sua autobiografia intitulada “Adrenalina” traz algumas revelações curiosas, como aquela onde conta como é que o Manchester United lhe retirou uma libra do ordenado mensal.

“Um dia, estava no hotel com a equipa antes de um jogo. Tive sede, abri o mini-bar e bebi um sumo de fruta. Jogamos e fui para casa. Algum tempo passou. O recibo do meu ordenado chegou. Habitualmente, nem olho para ele. Só o faço no fim do ano para ver o que entrou e o que saiu. Mas daquela vez, não sei porquê, fiquei curioso e percebi que me tinham tirado uma libra do salário mensal“, conta Ibrahimovic no livro conforme cita o The Athletic.

O avançado sueco refere que telefonou ao manager da equipa a perguntar porque é que lhe tinham retirado a libra do salário. “Foi o sumo de fruta do mini-bar”, terá respondido o responsável da equipa, explicando-lhe que no United quem “pede algo, tem de pagar por isso”.

“Claro, mas eu não fui para o hotel por conta própria. Não estava de férias. Era o meu local de trabalho. Estava lá pelo Manchester. Se eu tiver que jogar e estiver com sede, tenho que beber. Não posso entrar em campo desidratado”, escreve ainda o avançado na autobiografia.

“Algo como isto nunca aconteceria em Itália”, aponta também o actual avançado do AC Milan, frisando que “são estes detalhes que fazem a diferença e ganham o respeito dos jogadores”.

Ibrahimovic ainda se queixa de que, no United, todos os dias lhe “pediam os documentos para entrar no centro de treinos”.

“Todos os dias baixava a minha janela e dizia à pessoa do portão: ‘Ouça, meu amigo, venho aqui todos os dias há um mês. Sou o melhor jogador do mundo. Se ainda não me reconhece, está no emprego errado'”, relata o internacional sueco.

  ZAP //

 

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.