Os humanos podem ter sido destinados a reinar sobre a Terra (e já sabemos porquê)

Viktor M. Vasnetsov / Wikimedia

Se voltássemos atrás no tempo, a aleatoriedade dos eventos mudaria completamente o nosso caminho evolucionário. No entanto, os cientistas descobriram que os inúmeros trilhos possíveis poderiam não evitar que fossem os humanos a espécie dominadora.

O que aconteceria se voltássemos a um ponto aleatória na nossa história evolutiva e recomeçássemos o relógio do tempo? O paleontólogo norte-americano Stephen Jay Gould propôs este pensamento no final dos anos 80 e, ainda hoje, cativa a imaginação dos biólogos evolucionistas.

Gould calculou que, se o tempo fosse rebobinado, a evolução levaria o rumo da vida por um caminho completamente diferente e os humanos nunca voltariam a evoluir da mesma forma. De facto, o cientista considerou que a evolução da humanidade era tão rara que poderíamos repetir a história um milhão de vezes e não veríamos nada parecido com o Homo Sapiens.

Os eventos do acaso desempenham um papel enorme na evolução. Isto inclui extinções em massa gigantescas, como impactos de asteroides cataclísmicos e erupções vulcânicas. Mas os eventos aleatórios também operam na escala molecular. A mutação genética, que forma a base da adaptação evolucionária, depende de eventos fortuitos.

Simplificando, a evolução é o produto da mutação aleatória. Algumas mutações raras podem melhorar a hipótese de sobrevivência de um organismo em determinados ambientes em detrimento de outros. Esta aleatoriedade inerente sugere que diferentes formas de vida se originariam caso rebobinássemos o rolo da vida.

Óbvio que na realidade, é impossível rebobinar o relógio desta maneira. No entanto, os biólogos evolucionistas experimentais têm os meios para testar algumas das teorias de Gould numa micro-escala com bactérias. Os resultados foram divulgados num estudo publicado no ano passado na revista Science.

Os microrganismos dividem-se e evoluem muito rapidamente. Podemos, portanto, congelar milhões de células idênticas no tempo e armazená-las indefinidamente. Isso permite obter um subconjunto dessas células, desafiá-las a crescer em novos ambientes e monitorizar as alterações adaptativas em tempo real. Podemos ir do “presente” para o “futuro” e vice-versa quantas vezes quisermos.

Evidências do destino evolutivo

Muitos estudos de evolução bacteriana descobriram que a evolução segue caminhos muito previsíveis a curto prazo, com os mesmos traços e soluções genéticas frequentemente realizadas. Todas as populações em evolução nesta experiência mostram maior aptidão, crescimento mais rápido e células maiores do que as ancestrais. Isto sugere que os organismos têm algumas restrições sobre como podem evoluir.

Existem forças que mantêm os organismos em evolução numa linha reta e estreita. A seleção natural é o guia da evolução, reinando no caos de mutações aleatórias e estimulando mutações benéficas. Isto significa que muitas mudanças genéticas irão desaparecer ao longo do tempo, com apenas as melhores a resistirem.

Encontramos evidências disso na história da evolução, onde espécies que não estão intimamente relacionadas, mas compartilham ambientes semelhantes, desenvolvem um traço semelhante.

Por exemplo, Pterossauros e pássaros extintos evoluíram tanto nas asas quanto num bico distinto, mas não de a mesma espécie ancestral. Essencialmente, asas e bicos evoluíram duas vezes, em paralelo, devido a pressões evolutivas.

Mas a arquitetura genética também é importante. Certas localizações no genoma contribuirão para a evolução com maior frequência, ou com um efeito maior, do que outras — influenciando os resultados evolutivos.

Leis da Física

Mas e as leis da Física subjacentes — favorecem a evolução previsível? Em escalas muito grandes, parece que sim. Sabemos de muitas leis do nosso universo são certas, como por exemplo a gravidade e as teorias de Isaac Newton. Estas descrevem o universo como perfeitamente previsível.

Se a visão de Newton permanecesse perfeitamente verdadeira, a evolução dos humanos seria inevitável. No entanto, essa previsibilidade reconfortante foi abalada pela descoberta do mundo contraditório, mas fantástico, da mecânica quântica no século XX. Em escalas menores de átomos e partículas, a verdadeira aleatoriedade está em jogo — o que significa que o nosso mundo é imprevisível no mais fundamental nível.

Isto significa que as “regras” para a evolução permaneceriam as mesmas, não importando quantas vezes nós rebobinássemos a cassete. Por exemplo, haveria sempre uma vantagem evolutiva para os organismos que absorvem a energia solar. Mas, em última análise, a aleatoriedade, que é incorporada em muitos processos evolutivos, retira a nossa capacidade de “prever o futuro” com total certeza.

Há um problema na astronomia que funciona como uma analogia apropriada. Em 1700, um instituto matemático ofereceu um prémio para resolver “o problema dos três corpos“, que consiste em descrever precisamente a relação gravitacional e órbitas resultantes do Sol, da Terra e da Lua.

O vencedor, Joseph-Louis Lagrange, essencialmente provou que o problema não poderia ser resolvido exatamente. Assim como o caos introduzido por mutações aleatórias, um pequeno erro inicial inevitavelmente surgiria, o que significa que não se poderia determinar com exatidão onde os três corpos acabariam no futuro. Mas como o parceiro dominante, o Sol dita as órbitas de todos os três — permitindo-nos reduzir as possíveis posições dos corpos dentro de um alcance.

Isso é muito semelhante à evolução. Podemos não estar totalmente certos de onde os humanos estariam se rebobinássemos o tempo, mas os caminhos disponíveis para os organismos em evolução estão longe de ser ilimitados.

PARTILHAR

14 COMENTÁRIOS

  1. A evolução baseada na seleção natural é linda, coerente, lógica e condizente com as observações.
    Estranho seria continuarmos a crer em magia.

    • Uma vida surgir do nada, milagre, singularidade, excepcionalidade, Leis físicas deixaram de atuar, ou se você quiser… Magia.
      Um ano depois da publicação do livro “A Origem das Especies” Pasteur PROVA que vida não surge espontaneamente, a teoria de Darwin ter sobrevivido a esse duro golpe é que me surpreende.

  2. Tudo oque existe fora criado por um Deus soberano cujo nome é Jeová que é uma forma de verbo que significa causa de que venha ser ou mostrarei ser o que eu mostrar ser , este grandioso criador primeiro criou seu mestre de obras o arcanjo Miguel que aqui na terra conhecemos ele na forma humana como Jesus todas as outras criaturas e demais obras criativas que Jeová fez o fez por intermédio de seu arcanjo, nos seres humanos somos criaturas muito especiais pois fomos feitos a imagem e semelhança do grande criador e de seu filho primogênito o arcanjo Miguel ou Jesus…..todas as demais criações de Deus foram feitas cada uma segundo sua própria espécie não são fruto de nenhuma evolução, estamos no meio de uma controvérsia universal que está sendo resolvida , enquanto não se resolve está questão levantada lá no Éden o grandioso criador não nos assumirá na sua família universal somente depois de resolvida a questão legal de quem tem o direito de definirr o que é bom e o que é mal para os humanos e de quem tem o direito de governar sobre todo o universo é que seremos considerados filhos de Deus e gozaremos da liberdade gloriosa dos filhos de Deus. Por isto não podemos ter contato com outras espécies de seres inteligentes pois está é uma determinação do grande criador , estávamos debaixo dos sete tempos dos gentios ou das nações e desde outubro de 1914 acabou estes sete tempos e Miguel começou a reinar de modo invisível nos céus e as criaturas que se opunham a Miguel foram expulsas e agora estão na terra numa condição de tártaro causando dores e aflições para toda a humanidade porém o período deles são muito curtos pois logo o arcanjo Miguel também vai começar a reinar aqui na terra ….acredite isto tudo está nos livros bíblicos de Gênesis capítulo. 3 e Apocalipse cap. 12 por favor leia .

  3. Quando a ignorância e a burrice leva a pessoa a ir ao bolso do deus das lacunas, aparecem logo estes fanáticos religiosos.
    É triste isto acontecer em pleno século XXI.

    • Um fato que boa parte dos evolucionistas não leva em conta é a origem da primeira vida, Darwin publicou o livro em 1859 um ano antes de Pasteur comprovar com seu experimento que vida não surge espontaneamente, tanto que Darwin não se propôs a explicar a origem da primeira vida,
      Agora vamos, surge a primeira vida milagrosamente, e mais milagrosamente essa vida se reproduz com mutações que milagrosamente também são benéficas. É muita FÉ!

    • E a ti falta-te respeito por pessoas que pensam e têm o direito de pensar diferente. Só demonstra falta de cultura. Ou julgas que és dono do verdade e do saber?

      • “E a ti falta-te respeito por pessoas que pensam e têm o direito de pensar diferente.”
        Curiosamente, tu fizeste exactamente o mesmo do que ele!!

  4. Um fato que boa parte dos evolucionistas não leva em conta é a origem da primeira vida, Darwin publicou o livro em 1859 um ano antes de Pasteur comprovar com seu experimento que vida não surge espontaneamente, tanto que Darwin não se propôs a explicar a origem da primeira vida,
    Agora vamos, surge a primeira vida milagrosamente, e mais milagrosamente essa vida se reproduz com mutações que milagrosamente também são benéficas. É muita FÉ!

RESPONDER

Netflix retira imagens de suicídio de "13 Reasons Why"

A Netflix modificou o episódio da série "13 Reasons Why" onde apareciam imagens do suicídio da protagonista Hannah Baker (Katherine Langford), passando agora essa parte da ação a ocorrer de forma totalmente oculta para os …

Belinda Sharpe é a primeira árbitra do râguebi australiano em 111 anos

Belinda Sharpe vai tornar-se na primeira árbitra de campo na história de 111 anos da liga profissional de râguebi na Austrália, quando dirigir um jogo do campeonato agendado para quinta-feira. A Liga Nacional de Râguebi (NRL) …

Os chimpanzés não têm noção de justiça e aceitam desigualdades

Os chimpanzés carecem da noção de justiça e aceitam a desigualdade na repartição de comida ou materiais, segundo a investigadora Nereida Bueno. A cientista, da Universidade Pontificia de Camillas, que participou num estudo publicado esta semana …

Descartar drogas pelo esgoto pode criar "meta-caimões" nos Estados Unidos

O Departamento da Polícia de Loretto, no estado norte-americano do Tennessee, alertou este sábado para os perigos associados à eliminação de narcóticos através das canalizações das casas de banho. Numa publicação na página oficial de Facebook, …

Descoberta nova via terapêutica para tratar o Alzheimer

Um grupo de cientistas descobriu uma nova via terapêutica para tratamento do Alzheimer, que segundo os investigadores cria “alguma esperança” para travar o desenvolvimento da doença em estágios mais iniciais. O projeto, cujas conclusões foram publicadas …

Exército de carraças está a dizimar vacas (e pode chegar aos humanos)

Uma espécie invasiva de carraças já dizimou um quinto da população de vacas na Carolina do Norte. Os cientistas temem que o próximo alvo podem ser os humanos. A espécie de carraça Haemaphysalis longicornis tem feito …

Ucrânia aprova castração química para pedófilos

Na Ucrânia, será administrada uma injeção que reduz o libido aos pedófilos. A legislação vai aplicar-se a homens com idades entre os 18 e os 65 anos que forem considerados culpados de violação ou abuso …

Em vez de desaparecer, ilhas do Pacífico poderão mudar de forma

Países insulares como Tuvalu, Toquelau e Kiribati passam o nível do mar em poucos metros. Estes são Estados considerados vulneráveis ao aquecimento climático do planeta e as populações acreditam que podem desaparecer com a subida …

Morreu o pugilista Pernell Whitaker. O campeão olímpico foi vítima de atropelamento

O pugilista norte-americano Pernell Whitaker morreu atropelado este domingo em Virginia Beach, aos 55 anos. O atleta foi atingido mortalmente quando atravessava a estrada num cruzamento, durante a noite. Num comunicado enviado ao Guardian, o Departamento …

Eis a primeira aterragem autónoma de um avião tripulado

Uma equipa de cientistas alemã criou um sistema que permite à aeronave aterrar autonomamente em qualquer pista, sem nenhum tipo de apoio humano. Enquanto a indústria automóvel tem andado léguas no que toca a inovação em …