/

Huawei resiste às sanções dos Estados Unidos

Em 2019, a Huawei atravessou vários entraves lançados pelos Estados Unidos. No entanto, termina o ano com um saldo positivo.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

A chinesa Huawei prepara-se para terminar 2019 com resultados melhorados, apesar das sanções de que foi alvo da parte dos Estados Unidos.

Segundo o Jornal de Negócios, as receitas da Huawei aumentaram 18% no acumulado do ano para os 122 mil milhões de dólares, pouco abaixo do crescimento de 19,5% registado no ano anterior.

Estes números foram conseguidos depois de a Casa Branca banir as exportações da Huawei para o Estados Unidos, ao colocar a empresa na sua lista negra. Ao Financial Times, os analistas atribuem os resultados da empresa a uma reconfiguração rápida da cadeia de fornecimento.

“A Huawei desenvencilhou-se bem por duas razões: repôs os componentes com origem nos Estados Unidos muito rápido; a inclusão na lista ainda permite á empresa comprar bens de várias empresas norte-americanas” disse Dan Wang, analista da Dragonomics. “Há o risco, contudo, de que os EUA escalem as sanções e removam a última opção.”

Em 2019, a Huawei registou encomendas de 240 milhões de telemóveis, acima dos 206 milhões do ano passado. Contudo, é este o mercado onde os analistas veem um maior risco, dado que a chinesa não pode contar com o software da Google devido às sanções que lhe são impostas.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.