Foi a “honra” da juíza Clara Sottomayor que ditou a primeira renúncia da história do TC

Clara Sottomayor/ Facebook

Juíza Maria Clara Sottomayor renunciou ao cargo no Tribunal Constitucional.

A saída da juíza Clara Sottomayor do Tribunal Constitucional (TC), na primeira renúncia da história deste órgão judicial, nada teve a ver com a referência à violência doméstica na lei dos metadados. A decisão foi motivada pela defesa da sua “honra de juíza”.

A juíza conselheira Maria Clara Sottomayor apresentou a sua renúncia das funções no TC no passado dia 25 de Julho. Foi a primeira renúncia da história do TC desde que foi criado em 1982.

Um episódio que surgiu no âmbito do acórdão sobre a Lei dos metadados de que Clara Sottomayor foi relatora, com notícias a indicarem que ela terá renunciado pelo facto de os restantes juízes terem retirado uma referência a violência doméstica.

A polémica Lei dos metadados visa a autorização rápida de acesso dos serviços de informações e segurança a dados de telecomunicações, como listas de chamadas e mensagens de texto, em casos relacionados com terrorismo ou que ponham em causa a segurança do Estado.

O acórdão do TC concluía pela inconstitucionalidade da Lei e a versão redigida por Clara Sottomayor fazia “comparações entre a violência doméstica e o terrorismo“, como aponta o Público.

A atitude da magistrada terá sido interpretada como de “activismo feminista”, gerando incómodo entre os colegas juízes do TC. Clara Sottomayor terá recusado retirar essa referência e terá chegado a ser ameaçada pelo presidente do TC, Manuel da Costa Andrade, com um processo disciplinar.

Todavia, uma fonte judicial contactada pelo Diário de Notícias (DN) assegura que o acórdão redigido por Clara Sottomayor não tinha qualquer referência a violência doméstica.

A renúncia terá sido motivada pela defesa da sua “honra de juíza” e da sua independência perante os colegas magistrados, como aponta a mesma fonte.

“Não posso ser relatora de um acórdão escrito por outros e ao qual foi retirado tudo o que era meu. É a minha honra de juíza“, terá manifestado Clara Sottomayor durante o plenário de juízes do TC.

A magistrada não se pronunciou publicamente sobre o caso, até porque precisa de autorização do Conselho Superior de Magistratura (CSM) para o fazer. O DN aponta que Clara Sottomayor já terá solicitado uma audiência ao CSM no sentido de poder apresentar em público a sua versão dos factos.

Na sua última publicação acessível ao público em geral no Facebook, datada de 11 de Julho passado, Clara Sottomayor refere que “só haverá justiça quando ter “poder” não for sinónimo de ter “razão” e quando o poder, incluindo o poder de ser ouvida e valorada, estiver igualmente distribuído”.

Clara Sottomayor, que foi indicada para o TC pelo Bloco de Esquerda, em 2016, partilha no seu perfil do Facebook diversas opiniões sobre a defesa dos direitos da mulher, nomeadamente no âmbito judicial. Ao longo da sua carreira, assumiu publicamente posições em prol da criminalização da violência doméstica, do combate à violência sexual e à pedofilia e da legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo.

A postura da magistrada é encarada por alguns como de um “activismo” incómodo para o TC. O Público refere mesmo que o seu “relacionamento com os colegas” no Constitucional se foi “deteriorando” desde a sua nomeação, “a ponto de ter de mudar de secção mais de uma vez”.

Este jornal nota também que antes da renúncia às funções no TC, Clara Sottomayor já tinha apresentado a sua candidatura ao Tribunal Europeu dos Direitos Humanos (TEDH) há vários meses.

SV, ZAP //

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

    • Tem dúvidas?… Olhe eu não. Neste país a HONRA já se foi à muito tempo. Hoje a AGENDA é tudo o que interessa aos juízes, políticos, gestores públicos, etc. etc. etc. Todos os que “comem” por conta desta cambada de “mansos” que somos, só têm um objectivo ou AGENDA, subir seja a que preço for, até vendem a “mãe” ao desbarato, hipotecando o futuro dos “netos”. Quer exemplos?…. aí vão alguns: Durão Barroso, Vitor Constâncio, Maria José Albuquerque, Pedro Soares Marques, António Guterres……. E na “nova geração” cuja única diferença é o cheiro porque a “m e r d a” é a mesma, também já há exemplos…. Só que ainda falta algum tempo (3 meses) para se perceber….

  1. A juíza defendeu a sua honorabilidade, mas também e principalmente a sua independência. Juiz deve subordinação apenas à Constituição, às leis e à sua consciência. Se ela era a relatora, os colegas não poderiam intervir no relatório e muito menos no voto da juíza. Se discordavam, então que fosse passada a relatoria para outro juiz, caso em que a juíza seria voto vencido, mas teria seu entendimento respeitado. Vejo que não só no Brasil, mas também em Portugal, a corte suprema está um lixo. Politicagem acima da ética e do direito.

RESPONDER

Asteróide que passou recentemente pela Terra não estava sozinho

Astrónomos descobriram que o asteróide 2020 BX12, que passou pela Terra na semana passada, era afinal um sistema binário de asteróides. Estamos a falar do asteróide 2020 BX12, que passou a 4,3 milhões de quilómetros de distância da …

"Parasitas" vai ter uma série na HBO. E já são conhecidos dois nomes do elenco

A produção sul-coreana de Bong Joon Ho, especialmente condecorada pela Academia, merece agora uma adaptação para a televisão pelas mãos da HBO. A série televisiva de "Parasitas" foi anunciada em janeiro e a produção está encarregue …

O carregador do seu smartphone é mais potente do que o computador da Apollo 11

Não restam dúvidas de que a informática deu um passo gigante em termos de evolução nos últimos 50 anos. Agora, um engenheiro de software descobriu que até mesmo o carregador do seu smartphone é mais …

Tribunal suspende construção da Gigafactory na Alemanha

Um tribunal alemão ordenou à Tesla, este domingo, a suspensão das obras da sua fábrica "Gigafactory" por questões ambientais. Em novembro do ano passado, Elon Musk, presidente executivo da Tesla, anunciou que a Alemanha tinha sido …

Novos semáforos da Índia ficam vermelhos quando os condutores buzinam

A Polícia de Mumbai, na Índia, instalou detetores de ruído em vários semáforos de cruzamentos importantes da cidade, visando reduzir a poluição sonora. Agora, quanto mais os condutores buzinam, mais tempo a luz se mantém …

Polícia de Hong Kong procura autores de roubo de papel higiénico

Um camião que transportava papel higiénico foi, esta segunda-feira, alvo de um assalto à mão armada em Hong Kong, onde a escassez do produto motivou uma corrida ao comércio local. As autoridades informaram que um motorista …

Centeno considera gravações de Varoufakis "politicamente lamentáveis"

O presidente do Eurogrupo considerou, esta segunda-feira, a atitude do antigo ministro das Finanças grego, que gravou reuniões do fórum de ministros das Finanças da zona euro, "politicamente lamentável". "Honestamente, não tenho comentários a fazer sobre …

Elton John obrigado a interromper concerto devido a crise de pneumonia

O cantor britânico foi obrigado a interromper um concerto, na Nova Zelândia, devido a um diagnóstico de pneumonia atípica. No último domingo, o cantor britânico Elton John interrompeu um concerto no Auckland’s Mount Stadium, na Nova …

Tancos. Coronel da GNR nega pacto de silêncio

O ex-diretor de investigação criminal da GNR disse, esta segunda-feira, desconhecer qualquer pacto de silêncio com a Polícia Judiciária Militar que envolvesse a colaboração na investigação do furto das armas de Tancos. Na sessão desta segunda-feira …

Anel de curso perdido nos EUA encontrado 47 anos depois na Finlândia

Um anel de curso de um liceu nos Estados Unidos, perdido em 1973, foi agora descoberto numa floresta da Finlândia. De acordo com o The Guardian, Debra McKenna perdeu o anel de curso do marido em …