Protestos voltam a Hong Kong com greve geral, boicote às aulas e caos no aeroporto

Roman Pilipey / EPA

Os protestos pró-democracia continuam em Hong Kong, com apelos ao boicote de aulas universitárias e a uma greve geral esta segunda e terça-feira, após um fim-de-semana violento, registando-se já quase 900 detidos desde junho.

A polícia antimotim já se posicionou em várias estações de metro, depois dos manifestantes terem bloqueado as portas em várias carruagens, causando atrasos significativos em toda a rede, com a imprensa local a dar conta de novas detenções.

As autoridades locais autorizaram duas novas manifestações, no momento em que os estudantes decidiram boicotar o regresso às aulas durante as próximas duas semanas.

Depois de dezenas de detenções no sábado para domingo, no domingo milhares de manifestantes pró-democracia tentaram bloquear o acesso ao aeroporto internacional de Hong Kong, conseguindo mesmo obrigar as autoridades a suspenderem o comboio que faz a ligação do centro da cidade para aquela infraestrutura aeroportuária.

Cerca de 15 voos acabaram por ser cancelados e muitos dos passageiros forçados a realizar o percurso de vários quilómetros do centro da cidade para o aeroporto a pé.

Os manifestantes estão proibidos, por decisão de um tribunal, de se manifestarem no interior e junto ao aeroporto, um dos mais movimentados no mundo, depois de em meados de agosto terem conseguido que durante dois dias fossem cancelados todos os voos.

No sábado à noite registaram-se mais uma vez violentos confrontos entre a polícia e manifestantes, com as forças de segurança a efetuarem dois disparos de aviso para o ar em Victoria Park.

Um dos episódios mais marcantes aconteceu em Prince Edward, quando dezenas de manifestantes foram perseguidos no interior da estação de metro e posteriormente detidos, com a polícia a usar gás pimenta depois dos jovens terem vandalizado parcialmente aquele espaço.

“A segurança da polícia e da população está seriamente ameaçada pela escalada de violência e pelo uso crescente de armas letais pelos manifestantes”, apontou a polícia em comunicado.

No sábado, as autoridades registaram mais de 30 feridos, cinco deles em estado grave. Pelo menos 40 pessoas foram detidas.

Os protestos em Hong Kong duram há quase três meses e já resultaram em mais de 800 detenções. Na semana passada, foram detidos proeminentes ativistas e três deputados do Parlamento.

A polícia deixou de fazer policiamento a pé pelas ruas para evitar quaisquer emboscadas às forças de segurança. Um ativista foi atacado com tacos de basebol por homens com o rosto tapado. Um polícia foi alvo também de um violento ataque com uma faca à saída de um turno, na sexta-feira.

Em Hong Kong vive-se um impasse político, depois de os manifestantes terem exigido inicialmente a retirada de uma lei que permitiria a extradição de suspeitos de crimes para a China, para depois somarem outras reivindicações, uma delas o sufrágio universal naquela região administrativa especial chinesa.

A chefe do Governo admitiu chamar a si poderes reforçados face à situação de emergência que se vive no território e com a China a estacionar tropas na cidade vizinha, Schenzen.

O movimento pró-democracia definiu cinco reivindicações: a retirada definitiva da lei da extradição, a libertação dos manifestantes detidos, que as ações dos protestos não sejam identificadas como motins, um inquérito independente à violência policial, a demissão da chefe de governo Carrie Lam e sufrágio universal nas eleições para este cargo e para o Conselho Legislativo, o parlamento de Hong Kong.

A transferência de Hong Kong para a República Popular da China, em 1997, decorreu sob o princípio “um país, dois sistemas”, precisamente o que os opositores às alterações da lei da extradição garantem estar agora em causa.

Tal como acontece com Macau, para aquela região administrativa especial da China foi acordado um período de 50 anos com elevado grau de autonomia, a nível executivo, legislativo e judiciário. O Governo central chinês é responsável pelas relações externas e defesa.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Plano do hidrogénio vai sair "muito caro" aos portugueses

Os fundadores da Tertúlia Energia defendem que o plano do hidrogénio do Governo tem várias lacunas e vai custar "muito caro" aos consumidores portugueses. Num artigo publicado no jonal ECO, os fundadores da Tertúlia Energia, Abel …

Governo vai lançar plano para salvar empresas em dificuldades (e perdoar juros ao Fisco)

O Governo vai lançar um plano para salvar empresas viáveis que será um novo mecanismo temporário para ajudar empresas que se encontrem em situação económica difícil ou em insolvência devido à pandemia. O plano, que se …

Fábio Silva a prazo no Dragão. Avançado deverá sair por 40 milhões

Fábio Silva deverá abandonar o FC Porto dentro dos próximos dias. O jovem avançado permitirá um encaixe de 40 milhões de euros para os cofres portistas. A saída de Fábio Silva do FC Porto parece praticamente …

"Há filhos e enteados?". Marques Mendes arrasa decisão "inacreditável" de realizar festa do Avante

Luís Marques Mendes criticou este domingo a realização da festa do Avante, considerando "inacreditável" que a habitual festa comunista seja realizada no atual contexto da pandemia de covid-19 em Portugal. No seu habitual espaço de …

Varandas só tem espaço para 24 jogadores. Metade será de Alcochete

Com o intuito de reduzir custos, o presidente sportinguista, Frederico Varandas, diz que quer um plantel com 24 jogadores para a próxima época. Cerca de metade são produtos de Alcochete. Frederico Varandas pretende encurtar o plantel …

Duas demissões no Governo do Líbano. Porto de Beirute ficou com cratera de 43 metros após explosões

Duas demissões no Governo do Líbano foram anunciadas nas últimas horas depois da explosão no porto de Beirute que provocou pelo menos pelo menos 158 mortos, 6.000 feridos e dezenas de desaparecidos. A ministra da …

Benfica na corrida por Jan Vertonghen

A SAD encarnada está disposta a fazer alguns esforços pela contratação do futebolista belga que, neste momento, se encontra sem clube e a passar férias em Portugal. De acordo com o jornal Record, depois de a …

Bloco revela os três pilares da negociação do OE2021

O Bloco de Esquerda revelou os seus três pilares fundamentais da negociação para o Orçamento do Estado para 2021. O PCP e o PAN não abriram jogo, enquanto o PEV garante que ainda não foi …

Félix da Costa é campeão mundial de Fórmula E: "Estive perto de desistir"

O piloto português António Félix da Costa (DS Techeetah) sagrou-se hoje campeão mundial de Fórmula E, competição para carros elétricos, ao ser segundo classificado na oitava jornada da competição, em Berlim. Partindo do segundo lugar da …

Maurícias numa corrida contra o tempo para evitar desastre ambiental

Milhares de estudantes, ativistas ambientais e residentes das Maurícias continuam a trabalhar para tentar minimizar os danos causados pelo derrame de petróleo de um navio encalhado nos recifes de coral ao largo da ilha. Estima-se que …