Homens actuais têm na saliva vestígios de espécie ‘fantasma’ de humanos primitivos

Illustration: M. Lopez-Herrera via The Olduvai Paleoanthropology and Paleoecology Project and Enrique Baquedano

Ilustração do habitat dos humanos primitivos em África, há 1.8 milhões de anos.

Uma investigação encontrou na saliva de homens actuais pistas que indicam que houve um cruzamento entre humanos primitivos e um parente antigo enigmático.

Estudos anteriores já tinham apontado que os antepassados dos humanos modernos se tinham cruzarado com espécies mais primitivas de hominídeos, nomeadamente com os famosos Neandertais.

A nova pesquisa encontrou na saliva das populações modernas da África subsariana vestígios de que houve um cruzamento entre humanos primitivos e um seu parente antigo ‘fantasma’.

“Parece que o cruzamento entre espécies diferentes de hominídeos primitivos não é uma excepção – é a norma“, conclui um dos autores do estudo, Omer Gokcumen, investigador do Departamento de Ciências Biológicas da Universidade de Búfalo, nos EUA.

No comunicado sobre a investigação divulgado pela universidade, aponta-se que os cientistas examinaram a história da evolução do gene MUC7, que codifica uma proteína salivar conhecida pelo mesmo nome.

Esta proteína MUC7 “melhora a capacidade da saliva se ligar a micróbios, uma tarefa importante que pode ajudar a prevenir doenças, afastando bactérias indesejadas ou outros patogéneos da boca”, explica no comunicado o investigador Stefan Ruhl, professor de Biologia Oral da Universidade de Búfalo.

A análise da evolução da MUC7 permitiu notar na “história do gene que codifica esta proteína”, “a assinatura de uma mistura arcaica nas populações modernas da África subsariana”, explica Omer Gokcumen.

Na pesquisa, publicada no jornal Molecular Biology and Evolution, os investigadores explicam que o gene foi analisado em mais de 2500 genomas humanos modernos, tendo descoberto que “um grupo de genomas da África subsariana tinha uma versão do gene extremamente diferente de versões encontradas em outros humanos modernos”.

Esta variante era tão diferente, que era mais parecida com os genes MUC7 dos Neandertais e dos hominídeos Denisovans. “A explicação mais plausível para esta variação extrema é a introgressão arcaica – a introdução de material genético de uma espécie ‘fantasma’ de hominídeos antigos”, conclui Gokcumen.

“Este parente humano desconhecido pode ser uma espécie que já foi descoberta, tal como as sub-espécies de Homo erectus, ou um hominídeo desconhecido. Chamamos-lhe espécie ‘fantasma’ porque não temos os fósseis“, explica ainda este investigador.

Os cientistas calculam que o mais recente cruzamento entre espécies terá ocorrido há cerca de 150 mil anos, depois de cada uma delas ter divergido, em termos de evolução, há aproximadamente 1,5 a 2 milhões de anos.

SV, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Numa vila turca, os muçulmanos têm rezado na direção errada durante décadas

Os muçulmanos de uma pequena aldeia no oeste da Turquia foram obrigados a ajustar as suas orações, depois de descobrirem que estavam a rezar na direção errada durante décadas.  A descoberta partiu do imã Isa Kaya, …

Há um superaglomerado de galáxias escondido no Universo primitivo

É a maior estrutura astronómica alguma vez conhecida do antigo Universo. As evidências sugerem que a sua massa seja equivalente às maiores estruturas encontradas no Universo atual. A equipa de investigadores, liderada por Olga Cucciati, do …

Trump anuncia saída dos EUA de tratado nuclear com a Rússia

Os Estados Unidos vão retirar-se de um tratado sobre armas nucleares assinado com a Rússia durante a Guerra Fria, anunciou hoje o presidente norte-americano, Donald Trump, acusando Moscovo de violar o acordo “há muitos anos”. “A …

Os portugueses têm menos filhos do que gostariam

A diretora da representação do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) disse que em Portugal a fertilidade desejada está bastante abaixo da realizada, tendo o país uma taxa de fecundidade baixa. Mónica Ferro, que neste …

"Piranha" da era dos dinossauros aterrorizou os mares do Jurássico

Uma nova espécie de peixe, semelhante a uma piranha e que viveu há 150 milhões, no tempo dos dinossauros, é descrita na edição desta sexta-feira da revista científica Current Biology. O peixe ósseo tinha dentes como …

OE2019. Bloco anuncia voto a favor, Rio critica "orgia orçamental"

O Bloco de Esquerda reagiu à proposta de Orçamento de Estado de 2019, afirmando que o partido vai votar a favor do documento na sua generalidade. Já Rui Rio, em sentido oposto, vai propor à Comissão …

Lâminas de gelo na lua Europa vão dificultar a sua exploração

A lua Europa, uma das principais candidatas para procurar vida fora da Terra, tem uma espécie de floresta de lâminas de gelo que pode dificultar a aterragem de veículos espaciais. Um estudo recente, publicado na Nature …

Milhares de londrinos saíram à rua para pedir novo referendo sobre o Brexit

Centenas de milhares de pessoas saíram este sábado às ruas de Londres para protestar contra o ‘Brexit’, a decisão do Reino Unido de sair da União Europeia, e em defesa de um novo referendo. Segundo a …

Em Monchique, as máquinas de lavar roupa usadas são abrigos para gatos

Máquinas de lavar e de secar roupa usadas estão a ser transformadas em obras de arte urbana para abrigar gatos na vila de Monchique, no Algarve, num projeto pioneiro no sul do país implementado pela …

Cientistas criam a câmara mais rápida do mundo para captar lasers

Três cientistas criaram uma tecnologia chamada "Fotografia ultra-rápida compactada de 10 biliões de frames por segundo" (T-CUP). Cem vezes mais rápida que o método de gravação mais rápido anteriormente usado. Investigadores a trabalhar com lasers avançados …