/

Holanda é a vencedora da 64.ª edição da Eurovisão

1

A Holanda, que venceu pela última vez há 44 anos, foi o país que obteve maior pontuação (492 pontos), atribuída pelos espetadores de cada país e pelos júris nacionais dos 41 países que participaram na edição deste ano, embora apenas 26 canções tenham competido na final.

A final da 64.ª edição do Festival Eurovisão da Canção decorreu hoje à noite em Telavive e foi transmitida em direto em todo o mundo. A vencedora foi a Holanda, representada por Duncan Laurence, com o tema “Arcade”

Este país ocupava, desde 7 de março, o primeiro lugar de um ranking dos 41 países concorrentes, cuja classificação é definida pela média de várias casas de apostas, calculada pelo ‘site’ eurovisionworld.com, especializado no concurso.

O espetáculo da final da Eurovisão começou com a vencedora do ano passado, Netta, que deu início ao desfile dos países. Pelo meio, uma paragem para ouvir outros israelitas que passaram pelo palco da Eurovisão.

Dana International a cantar Diva, a canção vencedora de 1998, Ilanit, que ganhou em 1973 e, por fim, Nadav Guedj, o representante de 2015 que terminou em nono lugar. Holanda é a grande vencedora, 44 anos depois da última vitória do país no concurso.

Depois das atuações dos vinte concorrentes, quatro ex-vencedores da Eurovisão foram desafiados a cantar músicas de outros eurofestivais da canção.

Conchita Wurst, vencedora de 2014, cantar Heros de Måns Zelmerlöw. Por sua vez, Måns Zelmerlöw da Suécia, vencedor de 2015, cantou Fuego, de Eleni Foreira, segunda classificada no ano passado, em Lisboa. A cantora do Chipre foi desafiada a cantar Verka Serduchka, a participante da Ucrânia, em 2007 que ficou em segundo lugar. E esta, por sua vez teve de cantar Toy, de Netta, a canção vencedora de 2018.

Abir Sultan / EPA

A Holanda foi representada por Duncan Laurence com o tema “Arcade”

A este momento mais divertido, seguiu-se Gali Atari voltou para cantar Hallelujah, a segunda vitória de Israel na Eurovisão, em 1979. Como coro contou com a participação de Conchita Wurst, Måns Zelmerlöw, Eleni Foreira e Verka Serduchka.

A exclusão de Portugal, com a canção “Telemóveis”, da final já era expectável, a avaliar pela média de várias casas de apostas. Este ano assinala-se a 64.ª edição do concurso, no qual Portugal participou, pela primeira vez, em 1964, tendo, entretanto, estado ausente em cinco edições (1970, 2000, 2002, 2013 e 2016). Esta é a nona vez que Portugal falha uma passagem à final do Festival Eurovisão da Canção. Entre 2004 e 2007, inclusive, e em 2011, 2012, 2014 e 2015 Portugal falhou a final do concurso.

  ZAP // Lusa

1 Comment

  1. Tendo em conta o “circo” que é a Eurovisão, estava à espera de bem pior… é apenas uma balada pop vulgar, mas ouve-se!…
    .
    @ZAP: “espetadores” servem para espetar – neste caso foram mesmo “espectadores”!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.