/

Casas de apostas estavam certas. Conan Osíris fora da final da Eurovisão

Abir Sultan / EPA

A exclusão de Portugal, com a canção “Telemóveis”, da final, marcada para sábado, já era expectável, a avaliar pela média de várias casas de apostas.

Este ano assinala-se a 64.ª edição do concurso, no qual Portugal participou, pela primeira vez, em 1964, tendo, entretanto, estado ausente em cinco edições (1970, 2000, 2002, 2013 e 2016).

Esta é a nona vez que Portugal falha uma passagem à final do Festival Eurovisão da Canção. Entre 2004 e 2007, inclusive, e em 2011, 2012, 2014 e 2015 Portugal falhou a final do concurso.

Os resultados finais resultam da combinação da votação do júri (baseada no ensaio geral que aconteceu na segunda-feira) e do televoto que aconteceu na noite de terça-feira a transmissão em direto do espetáculo.

Na terça-feira, 17 países competiam por um lugar na final e destes passaram: Grécia (Katerine Duska, “Better Love”), Chipre (Tamta, “Replay”), Austrália (Kate Miller-Heidke, “Zero Gravity”), Islândia (Hatari, “Hatrið mun sigra”), Sérvia (Nevena Bozovic, “Kruna”), República Checa (Lake Malawi, “Friend of a friend”), Eslovénia (Zara Kralj & Gasper Santl, “Sebi”), Estónia (Victor Crone, “Storm”), Bielorrússia (Zena, “Like it”) e São Marino (Serhat, “Say Na Na Na”). Já Portugal, Montenegro, Finlândia, Polónia, Hungria, Bélgica e Georgia não foram avante.

Este ano, o Festival Eurovisão da Canção é disputado por 41 países, mas apenas 26 atuam na final. Aos 10 países apurados irão juntar-se outros 10, que serão escolhidos na segunda semifinal, na quinta-feira, entre 18 concorrentes. Na final, no sábado, aos 20 países apurados nas duas semifinais, irão juntar-se os “Cinco Grandes” (França, Alemanha, Itália, Espanha e Reino Unido) e o país anfitrião (Israel).

Na lista de preferências dos apostadores mantém-se em primeiro lugar, desde 9 de março, a Holanda, que é representada por Duncan Laurence, com o tema “Arcade”.

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.