Hillary Clinton admite voltar a concorrer à Presidência dos EUA

Hillary Clinton admite voltar a concorrer à Presidência dos EUA, cargo para que considera estar muito bem qualificada, salientando desde já a necessidade de melhorar as relações internacionais dos Estados Unidos, noticiou esta terça-feira o New York Times.

“Bem, gostaria de ser Presidente”, afirmou Hillary Clinton, na passada sexta-feira, em entrevista concedida, com uma plateia a assistir ao vivo, ao portal de Internet especializado em tecnologia Recode.

“Sinto que estaria muito bem qualificada para esse trabalho, depois de ter estado oito anos no Senado e chefiado o Departamento de Estado”, realçou a que foi a candidata presidencial dos democratas nas eleições de 2016.

Em particular, apontou que a melhoria da imagem e das relações internacionais dos EUA “vai ser um esforço sério”, referindo-se à erosão das ligações com alguns dos mais importantes aliados norte-americanos desde a chegada de Donald Trump à Casa Branca.

Durante o início da entrevista, a ex-primeira-dama mostrou-se reticente em disputar umas futuras eleições presidenciais, respondendo com duas negativas claras à jornalista que a entrevistava, mas pouco depois esclareceu a sua posição.

Detalhou que só vai pensar seriamente na possibilidade de voltar a concorrer à Casa Branca depois das eleições legislativas que se realizam no próximo mês de novembro. “Nem sequer vou começar a pensar nisso até que passemos as eleições de 6 de novembro”, garantiu Clinton.

Hillary Clinton começou a participar em mais eventos públicos numa altura em que os EUA se encaminham para umas importantes eleições legislativas, nas quais os democratas têm a esperança de obterem a maioria na Câmara dos Representantes e no Senado.

Na semana passada, falou durante um evento de recolha de fundos a favor da candidata democrata ao Congresso Donna Shalala, presença que, apontou agora o New York Times, foi criticada por alguns membros do Partido Democrata, alegando que não é uma figura popular e que se deveria retirar da vida pública.

A ex-secretária de Estado, cargo que desempenhou durante quatros anos na Presidência de Barack Obama, recusou estas críticas na entrevista, classificando-as de sexistas, comparando-as com as feitas a outros antigos candidatos presidenciais.

“Não vi qualquer tipo de artigo a dizer a Al Gore que desaparecesse, ou a John Kerry que desaparecesse, ou a John McCain ou a Mitt Romney que desaparecessem”, afirmou.

// Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Que Deus vos livre dessa bruxa!…
    Quem quiser saber mais, pesquise Pizzagate, esses “demoniocratas” estão entalados de porcaria até aos cabelos.

RESPONDER

Há um petroleiro abandonado há mais de uma década nas Caraíbas (e é uma "bomba-relógio")

Um navio de armazenamento de petróleo venezuelano está ancorado no Golfo de Paria, um trecho de mar fechado entre a Venezuela e a ilha de Trinidad, há mais de uma década. Antes de os Estados Unidos …

Portugal deve bater recorde de doentes em cuidados intensivos ainda esta semana

Portugal deverá ultrapassar, esta quarta-feira, o recorde de doentes em unidades de cuidados intensivos, alertou a ministra da Saúde, Marta Temido, em conferência de imprensa sobre a capacidade do Serviço Nacional de Saúde para combater …

A Budapest Eye foi restaurante por um dia (e com estrela Michelin)

Um restaurante com estrela Michelin em Budapeste, na Hungria, ofereceu aos clientes uma experiência gastronómica na famosa roda gigante Budapest Eye. Atraiçoado pela queda de faturação após o desaparecimento de turistas estrangeiros, o restaurante Costes, premiado …

Antigo ministro da Saúde Leal da Costa admite novo estado de emergência

O antigo ministro da Saúde Fernando Leal da Costa defendeu hoje que em algum momento deve ser decretado de novo o estado de emergência, para que o Governo possa tomar medidas na luta contra a …

Marcelo promulga uso obrigatório de máscara na rua por 70 dias

O Presidente da República promulgou esta segunda-feira o decreto da Assembleia da República que determina o uso obrigatório de máscara na rua, por um período de 70 dias, sempre que não seja possível cumprir o …

Cruzeiros vazios no meio do oceano tornam-se destinos turísticos

Embarcados num pequeno ferry, turistas dirigem-se até aos locais onde grandes navios cruzeiros estão parados e desertos. Esta foi uma solução encontrada para reavivar o setor. A pandemia de covid-19 está a fazer com que, genericamente, …

Todas as pensões mais baixas vão ter aumento extra de dez euros

As pensões mais baixas, até aos 658 euros, vão ter um aumento extraordinário de dez euros no próximo ano. O Governo confirmou a informação avançada pelo PCP. A ministra do Trabalho e Segurança Social, Ana Mendes …

Na fase inicial da pandemia, o setor privado "não quis e não entrou no combate à pandemia"

A antiga ministra da Saúde Ana Jorge considera que os privados podem ser envolvidos na luta contra a pandemia, recebendo doentes não covid-19, mas avisa que é preciso um “equilibro” nessa ação, depois de estes …

Uso de máscara pode salvar 130 mil vidas nos EUA até final de fevereiro, revela estudo

As medidas de distanciamento social, principalmente o uso de máscaras em público, podem salvar até 130 mil vidas nos Estados Unidos (EUA), revelou um novo estudo divulgado na sexta-feira. Em abril, o Presidente dos Estados Unidos …

A guerra contra o plástico está a distrair-nos da poluição invisível

O atual foco na poluição de plástico está a fazer com que as pessoas descurem o tipo de poluição que não é possível ver, alerta uma equipa de investigadores. O plástico é um material incrivelmente útil …