/

Células “imortais”. Família de Henrietta Lacks processa empresa de biotecnologia

1

A família de Henrietta Lacks processou a empresa Thermo Fisher Scientific por ter obtido lucros a partir da “linha celular imortal HeLa”.

Quando Henrietta Lacks foi diagnosticada com um cancro do colo do útero, os médicos do hospital Johns Hopkins retiraram amostras de tecido como parte do tratamento (sem o seu consentimento) e, depois de as analisarem, descobriram que as células continuaram a reproduzir-se a uma taxa muito alta.

Na altura, as células de Lacks ficaram conhecidas como a “linha celular imortal HeLa“.

Estas células “imortais” acabaram por ser produzidas para servir vários estudos científicos, tendo sido produzidas mais de 50 milhões de toneladas de células, usadas em mais de 60 mil investigações. Tudo sem o seu consentimento e, durante vários anos, sem o conhecimento da família.

Os familiares só tomaram conhecimento do uso das células em 1973, mas nunca chegaram a receber qualquer compensação pelo uso das suas células – isto apesar de mais de 100 corporações, na sua maioria empresas farmacêuticas, terem beneficiado da linha celular HeLa.

Segundo o Live Science, a família decidiu processar a empresa de biotecnologia Thermo Fisher Scientific, argumentando que obteve lucros a partir da linha de células muito depois das suas origens pouco éticas se terem tornado conhecidas publicamente.

No processo, a família de Lacks procura tanto uma compensação financeira da gigante da biotecnologia, como um acordo para que a empresa não utilize células HeLa no futuro sem primeiro obter autorização da propriedade dos Lacks.

O processo não especifica um montante financeiro, mas pede ao tribunal que ordene à Thermo Fisher que “notifique o montante total dos lucros líquidos obtidos através da comercialização da linha de células HeLa”.

É escandaloso que esta empresa pense que tem propriedade intelectual sobre as células”, disse, em conferência de imprensa, Ben Crump, advogado de direitos civis que representa a família Lacks, citado pela Associated Press. “Porque é que eles têm direitos intelectuais sobre as células e podem beneficiar de milhares de milhões de dólares quando a sua família não recebe nada?”

Vários órgãos noticiosos – incluindo o USA Today, a AP e o The Boston Globe – contactaram a Thermo Fisher para comentar o processo judicial, mas a empresa ainda não respondeu nem emitiu qualquer declaração.

  ZAP //

1 Comment

  1. … quando a realidade ultrapassa a ficção. Números absolutamente astronómicos, isto é que foi ganhar a lotaria (mas com um bilhete gamado).

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.